Quinta-feira, 23 de Abril de 2009

... falha!!!...

... quando desconhecemos, entregamos a quem sabe,

desvalidos, sem solução para o q´intentamos,

interrogação permanente que s´instala, massacra,

persegue, no pouco que nos cabe,

motor de barco, d´avião, do carro que não pega,

tentativa vã, dura refrega,

desconsolados, quando nos entregamos,

pequeno imbróglio que nos agasta,

televisão que não acerta, comando avariado,

telefone estropiado,

barreira que nos dificulta acesso,

pára qualquer contacto, progresso,


estupidificados, pendentes

doutras gentes,

porta que range, engrenagem q´atropela,

ruídos q´agastam, roupa puída, farpela,

capazes, incompetentes,

torneira que pinga, janela que cerra,

teimosa, não abre, emperra,

desempenho, habilidade, alguma prática repetitiva,

naquele pequeno caso que nos cativa,

disfuncional aparelhómetro, acabadinho de comprar,

garantia, antipatia quando s´acaba por entregar,

posicionamento, quase desespero,

escuridão que nos prende, reduz,

ansiosos por interruptor, alguma luz,


iniciação do q´era hábito antigo,

prestação de serviço que s´aguarda,

do chão duro e negro, surgiu, como por magia,

beleza rara, harmonia,

aveludadas pétalas duma rosa,

num canteiro fragrante repousa,

determinada hora,

troca de palavras, combinação,

alguma expectação,

mau jardineiro, esquecimento,

rega desajustada, folha caída, rosa estiolada,

aluimento de muro mal construido, argamassa,

água em demasia,

enegrecimento,

não polivalente, eis a questão,


porque não auto-suficiência em qualquer matéria, serviço,

técnicos de tudo, conhecedores profundos,

entre cabos, fichas, complexidades d´agora,

problema d´acesso, NET que foi embora,

incompletos, não ajustados a qualquer situação,

um todo num corpo único,

garbosos, com viço,

não descurando outros, invertendo determinação,

parafernália de sons díspares, modernidades,

maquinetas diminutas, concentradas, novidades,

aquiescência de quem não sabe, não tem,

aguardando alguém,


posição,

ausência de quem tenta, não consegue, persegue,

não encontra solução,

como asno, fraca alimária, limitação,

imposição contrária, discernimento que não surge,

quão vulnerável me sinto quando não me basto,

rumino, viro, reviro, aproximo, afasto,

raiva que sobra, ruge,


é assim, completamo-nos, quando juntos, quando perdidos,

outros mais conhecedores, sabidos,

logo nos encontramos,

valias que vendem, conhecimentos distintos,

técnicas q´usam com qualquer tralha,

complexa, mais rudimentar, objecto imprescindível,

tempo inclemente, desgaste próprio, descuido, utilização inadequada,

trapalhada, função desajustada,


necessidade que se torna norma, quase esmola a quem precisa,

ignorância tão dependente, vinda d´alguém mais capaz

que s´aguarda, na resolução do que se tornou ineficaz,

problema minúsculo, habilidade que se desconhece,

chateia, complica, aborrece,


gostaria de tocar todos os instrumentos, ser auto-suficiente,

completo, rápido, racional, consciente,

“manitas” nas complexidades que nos rodeiam, tornam mais agradável o mundo d´agora,

assim, como assim... na hora!!!... Sherpas!!!...

publicado por sherpas às 14:35
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 15 de Abril de 2009

... ventos... do Norte!!!...

... acautelai do vento norte, companheiro,

gélido, insensível, quando presente,

calculista companhia que desaconselho,

mescla traiçoeira, por dinheiro,

bárbara passagem que tudo mata,

hordas doutros tempos, ódios, espólios,

frémitos de medo, quando lembro,

saqueio pertinaz, usurpação do alheio,

vidas agrestes, tão rudes,

sementeira que espalharam pelo mundo,

doutrina de valores tão contrária,

abismal separação do que é profundo,

posse violenta, usurpação,

carências cumulativas que os instigavam,

conduziam, quando desciam,

avassalavam por édens florescentes,

civilizações que, pelos excessos, se descuravam,

permissivas gentes,

tão cativas ao remanso, prazer terreno,

clima mais doce, ameno,


massacres constantes, sentimentos,

vagas tão densas se abatiam,

hercúleas criaturas, bestialidades

pragmáticas, cruéis no proceder,

objectivo determinado, portentos,

destruição do que arrasavam, fugiam,

dura realidade,

quando surgiam,


acautelai do vento norte, companheiro,

continua sendo o que sempre foi,

ávido distante, gélido na alma, no corpo,

terra que molda, clima inclemente,

sítio medonho, sentir amargo num Paraíso,

cobiçando local mais prazenteiro,

fazendo do vivo um resto, já morto,

arrostando obstáculo, quando preciso,

ultrajando espaço, destruindo gente,

impondo força sobre o engenho,

apossando virgem, em terra de sonho,

quando comparo, proponho,


alma rupestre, sentindo pouco,

abrigo constante, nuvens no céu,

vergastas que são ventos,

águas tão negras, profundezas,

agitadas que estão, sombrias certezas,

castigos imensos,

cautelas tão grandes,

terras distantes,


frias paragens,

eclodem blocos flutuantes,

sons cavos que se propagam,

anfiteatro contido entre gigantescas brancuras,

muitas procuras,

solidão que inunda,

demência que se adona, aprofunda,

outras imagens, nortadas de medo,

ressurgimento de encapuçado,

semente espalhada, mesmo veneno,

dependências, segredo,


acautelai, companheiro... do vento norte,

nosso destino, tua pouca sorte,

nos coube um desnorte,

destemperança que nos achaga,

te colapsa, nos mata,

violenta presença,

sendo pertença,


fazendo parte dum MUNDO cruel,

sem sol, sem paz,

simples papel,

curta intervenção de quem tem o “GRAAL”,

essência final,

redoma mais alta, definição total,

chacina, enfrentamento,

 

cuidado com o vento!!!... Sherpas!!!...

publicado por sherpas às 16:53
link do post | comentar | favorito
|

... "porcos"... com "mortos"!!!...

... linhagem de favor, contradança

d´interesses, caviares, canapés,

escabeches, barrosões, finos rojões,

lombos recheados,

mariscos frescos, aves delícia, caças, petiscos,

sem custos, vinhos próprios, brancos ou tintos,


aromas ao alcance da bolsa dos milhões,

tábua de queijos diversos, enchidos, afiambrados,

finas tiras de patas negras rosados,

reversos d´outros tempos, passados,

sempre presentes, actualizados,


inaudito q´ainda se não pense num morto,

género humano, não galinha nem porco,

tão pouco apagado parafuso,

deitado fora da máquina, sem uso,

mediante quem disso acumula,

progresse, fazendo fortuna,


rebentando c´as costuras nos banquetes que realiza,

na medalha q´ostenta, sorrindo,

enveredando, como antropófago convicto,

por caminho escabroso, horrendo,

senhor de chipes, de bites,

cometendo disparates,


consciência pouca de quem não pensa

sobre quem vegeta, quem não come,

simples pretexto, mero traste,

dando origem a grande contraste

do q´alivia a fome mediante simples canja,

num MUNDO que se não arranja,


sem afinação, não s´amanha,

vidinha d´abastança tanta,

perante quem nada tem,

continuando sendo ninguém,

incongruências

face a algumas excelências,


corpos deitados na rua

tendo como lençol a lua,

cobertor q´afaga, não jornal,

sol brilhante de Portugal,

banco de jardim duro,

recanto n´algum portal,

estático, sem quebra na postura, face impura,

cerimonial de quem inclui, esquecendo,

não repara nos que vão morrendo,

prometendo, prometendo,

incómodo poiso como cama,

quantas, quantas vidas s´arrastam na lama,

sem cor, sem luz, sem chama!!!... Sherpas!!!...

 

publicado por sherpas às 06:42
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 13 de Abril de 2009

... galinhas... com porcos!!!...

... tudo s´arranja,

inventiva, alguma imaginação,

peça daqui, peça dali, parafuso que s´atarraxa,

sem cor, sem graxa,

na rosca, enroscando, quando estragado, põe-se lá outro,

deita-se fora, interessa pouco,

maquineta q´arranca,


sofisticada, actual, com chipes, com bites,

uso mais leve, objectos de peso, fraudes, roubos, disparates,

dá-se-lhes o jeito, sem força, escanção,

hábil usança dum tinto que s´entorna,

copo de pé alto, bojudo na forma,

cheiro, trejeito, sabor que se renova,

pitada tão leve, quando na prova,


galinha depenada, trucidada na cozinha, ingredientes na hora,

cozida, fricassé, sopa de canja, fritada tão leve, crocante sabor,

água na boca, supremo olor,

predisposição, apetite d´alguém,

comensal casual na mesa de ninguém, refúgio de quem vem,

 


negócio q´é tema, variedade desconforme, prenuncio do que sobra,

excessos d´alguns, escassez que s´adivinha,

mesmo com galinha,

com canja tão leve, com tinto que se jorra, sem forma, sem jeito,

num copo qualquer, num corpo que tem fome,

rejeitado na rosca,

maneira tão brusca, grotesca, tão tosca,

máquina que os come,

hábil no jeito, homem, mulher,

desperdícios de momento,

sem casa, sustento,


tudo s´arranja, se converte, reverte, inverte, remenda,

dura contenda, esquecimento, razão, quando s´intenta,

reformulação do que raiou na desesperança,

desânimo d´alguém, desgraçado que não tem,

alvorado no milhão, consciência que s´adormece,

descarta, não olha, rejuvenesce,

empanturra, enquanto enriquece,

sem canja, sem fricassé,

outros sabores, vinhaça retinta,

no monte, na quinta,


colheita do ano, frutado, pastoso, encorpado,

prova a preceito, escanção com jeito,

serviço, libré, sem trapo no pé,

assim é que é,

quem sobe, sem esforço,

alcança quando avança, não estica o pescoço,

dá-se ares, rebrilha,

quando enche o peito,

tormenta tão grande, sórdida ilha

entre porcos que fazem mortos,

parafusos que... são galinhas!!!... Sherpas!!!...

publicado por sherpas às 18:28
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 10 de Abril de 2009

... deixei de... "TWITTAR"!!!...

 

 

"... deixei de... TWITTAR," logo agora que me sentia embalado!!!... Nestas COISAS da NET... quando "controlado" ponho de lado!!!... Nunca gostei... continuo não gostando!!!... Escrevo aqui... por respeito com alguns "amigos" que tinha por lá!!!... Enfim... não aquece nem arrefece!!!... A vida... segue igual!!!... Abraço aos... que se mantêm!!!... Sherpas!!!...

 

publicado por sherpas às 22:17
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 9 de Abril de 2009

... falésia!!!...

... mais falésia do q´arriba, cortada por machado gigante,

sem requebros, com recantos, mesmo a pique sobre o mar,

altaneira, como fronteira face a massa líquida inquieta, sem parar,

alterosa em dias de vento, temporal que se levante,

rugidos que fazem tremer, mesmo abrigados em terra,

nas suas fauces vorazes que tudo engolem, quando capazes,

desprevenidos, bem perto, na imagem que os ilusiona,

mais ruidosas, mais encanto, espumas marulhentas tão belas,

há q´acautelar com elas,


na magia que nos reduz, vendo o Sol em contraluz,

barco lá longe q´avança, quase parado pela distância,

sentimento que nos cativa, imagem que nos seduz,

estáticos na insignificância, adorando imenso azul,

céu que se reflecte nela,

conjunção repleta, singela,

ventinho salgado que nos beija recordando marisco fresco,

bem no cimo, abarcando horizonte que faz sonhar,

neste entorno, neste mar,


fazendo parte da falésia,

rocha talhada, bem alta, mesmo a pique, um altar,

adoração que m´enche, quando aprecio este dom que me foi dado,

vendo passar a vida, olhando para tanto lado,

embevecido, encantado,


delicados fios de prata, cintilantes quando focados,

cenário que se concerta sob foco intenso,

brilhante,

neste espectáculo em que entro,

mera figura na falésia,

assistente que participa em plateia tão cimeira,

tendo o mar como ornamento, beleza como feição,

calafrio que sinto, sol tórrido que m´inunda,

face lapidada, diamante,


silêncios de quadros parados,

pintura que m´inebria,

nesta calda que foi alquimia,

fogaréu, incendiamento,

início, inebriamento,

almofariz de quem fazia,

me preenche, estesia,

me toca fundo, emoção,

fazendo parte, criatura estática, muda,


cores que se multiplicam, reflexos que trocam tudo,

cinzentos mais carregados, azul forte q´irrompe,

clarão de chamas gritantes, fogaréus que dançam, por vezes,

faiscantes como estrelas, raios de rumo indefinido,

olhando por cima do Mundo,

algum movimento interrompe,

barcaça de vela esbranquiçada, pontinho escuro no leme,

quantas e quantas gaivotas, suas adjuntas, revezes,

ora em terra, ora em mar,

num planar tão conseguido,

enquadrando aquele poiso, doce recanto,

encanto,

não sendo arriba, antes falésia de rocha dura, cortante,

no ocaso doutro gigante!!!... Sherpas!!!...

publicado por sherpas às 21:21
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 4 de Abril de 2009

... perdido!!!...

… sei que não sabia, estando perto, como me diziam,

aflição, na profunda desorientação que sentia,

neblina densa que m´apagava,

irrealidade que pressentia, confusa situação,

estava, não estava,

borbotão d´ideias, pretensão,

ajuda que buscava, aproximação dos que trabalhavam,

interrompiam,

lá m´orientavam, mesmo ali, virando à direita,

seguindo em frente, logo depois daquele monte d´areia,

 

dizia que sim, assentia,

continuava andando, virando, revirando,

olhando,

como cego momentâneo, q´estranho,

seria certeza, seria engano,

enquanto buscava o que procurava,

sensação de frustração que, de mim, s´apoderava

quando, depois de muitos passos, seguindo directrizes precisas,

não encontrava, estaca zero, tal como no início,

sonho ruim, influência de medicamento,

noite perdida, profundo intento,

palavras desnecessárias, desperdício,

completamente perdido naquele sítio,

 

tão perto, desolado,

acompanhado por chusma de pedreiros, máquinas de betão,

pás, risadas entre companheiros, confusão,

laborando na construção,

barulho q´identifico, entre dois toques, dois descarregamentos,

rolar de cascalho, normal chinfrineira da betoneira,

paredes que s´erguem, levantamentos,

caixote quase igual, cor diferente,

mesmo esquema, avenida com ligeiras alterações,

tal como cogumelos em pleno plantio,

espécie de desafio,

 

intemperança de quem atira, de quem não acerta,

de quem disserta,

como preso em lamaçal que me retém,

não arredando, sentindo-me refém,

aconselhamento, indicação,

logo seguidos de confusão, muita dispersão,

dúbio posicionamento, local conhecido,

sentindo-me perdido,

por ali, por aqui, virando, subindo, deslocando,

montinho de cascalho, carregar, descarregar materiais vários,

usufruto dos empresários,

 

urbanidade, mesmo próxima, ali ao pé,

uma loja, um café, rua que se projecta,

não afecta,

distanciada pergunta que se renova,

som distorcido, imagens que s´esvaem lentamente,

sozinho, no meio de tanta gente,

perdição aflitiva que me consome,

ambiguidade no discernimento,

naquele momento, no gesto, na explicação de quem conhece,

não m´esclarece,

 

apontando, afirmando q´é já ali, virando à esquerda,

pertinho daquele sítio onde m´encontro,

confirmo, quando aponto,

deslizo, corro, busco, vasculho,

engulo tempo, espaço,

devasso,

inútil esforço, desilusão, maior aflição me consome,

tão pequenino me sinto,

terreno que foi meu, conhecimento abrangente,

total certeza do que me regia, como gente,

passos perdidos, ultimamente,

 

sinto-me triste, busco incessantemente,

procuro, não encontro,

naquele ponto, estranho bocado, tão revirado,

construído sobre outros bocados tão iguais, anormais,

destruição do que me completava,

ambiente que se torna repetitivo,

imbuído de ganâncias irracionais,

não sendo mais, não sendo menos,

eram terrenos,

 

conhecidos, tão próximos, tão iguais,

tão desejados, tão destruídos, tão reduzidos,

caixotes erguidos,

espaços cobertos, mais fechados, mais pequenos,

amplas janelas, mesmo estilo,

preocupação que se tornou pesadelo,

conciliação que não consigo,

ferrete que me trespassa,

estando comigo, esfalfado, não consigo,

distinção entre realidade, imaginação,

efeitos colaterais de medicação,

deixando de ser, não sendo,

estando vivo, quase dormido, discorrendo,

mente afectada, imagem difusa,

confusa,

 

mais alargados,

montes d´areia, estardalhaços, tantos pedaços,

forças conjuntas,

covas profundas,

 

raízes d´aço, estruturas erguidas, arrecadações,

quantos milhões, desqualificações,

desorientação,

confusão,

local conhecido, procuro, investigo, não distingo,

a isso m´obrigo,

cansado por labirinto, procura em vão… tão reduzido!!!... Sherpas!!!...

 

 

publicado por sherpas às 08:24
link do post | comentar | favorito
|

... partiu!!!...

… partiu-se a meio, num instante,

harmonia de toda uma existência,

ramo de rosas amarelas,

naturais, tão belas,

no começo, doces sabores, idílios mil,

olhar do desespero,

na solidão, no desterro,

devaneio, embevecimento, romance

q´era constante,

 

cedo se demarcou da vida airada,

mais descuidada,

campo vasto da morte,

sepulturas iguais, rasas, com cruzes,

plásticas coloridas, palavras cruas,

ausências,

descobriu o que surgiu ao som discreto dum vinil,

música que ficou como deles,

corpos sem alma, féretros,

decompostos, já ossos, já restos,

 

prenúncio do q´haveria de se prolongar,

amar, amando com entrega total,

renúncia, recomeço na presença,

olhar alucinado, vago, perdido,

ressurgimento,

pedaço, pedra alva na casa q´é jazigo,

sem fingimento, como complemento,

 

unidos p´rá vida, pr´á morte,

bons augúrios,

recordação que lhe surge, local inapropriado,

deslocado,

sentindo-se como pássaro desplumado,

tão sozinho, abandonado,

desejos de todos q´estiveram presentes,

quase estupidificado,

cantatas esquecidas, coisa séria, eflúvios,

juras, promessas, beijos tão ausentes,

 

foi corrida, foi destino,

foi rosa que desabrochou, foi fruto sumarento, tão doce,

gargalhares, passeios bem juntos, segredos,

alguns espinhos, alcantilado caminho,

sobressaltos, ausências, medos,

catadupa de pensamentos, passados,

separação forçada, cumprindo,

retrocesso no regresso,

ali chegado, passos andados,

reviu, como num filme próximo do fim

partido ao meio, assim como assim,

 

reinício do que havia, sempre existiu,

encanto, desvario,

rebentos tão lindos, mais do que dois,

criados com muito cuidado,

sombra escura, terra fria, tumba que procura,

local do ser amado,

quanta amargura,

 

resultados que foram crescendo,

abriram asas, partiram cedo, casal unido,

na torrente d´imenso carinho,

raízes bem fundas, um bom exemplo,

 

torrente que se não atalhou, tão precoce,

desta vida se foi, deixando ausente,

metade inconsolável no silêncio que s´abateu,

transfiguração dum rosto, busca dum corpo que jaz,

por ali, tanto faz,

ansiedade que o circunda, s´apossa do que foi,

arranjo de rosas amarelas,

tão naturais, no desespero que nelas se reflecte,

tão belas,

pára, olha em redor, inflecte,

chora o que teve… não merece!!!... Sherpas!!!...

 

publicado por sherpas às 08:21
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 3 de Abril de 2009

... não abriu!!!...

… não abriu, envergonhado pelo entorno,

enrubesceu um pouco, fez caminho inverso,

não coloriu mês, estação, fez retorno,

aconchegou na terra húmida, escura, fechou,

 

caule pouco viçoso, folhas descaídas, botão que não se mostrou,

decrescendo, como quem não quer,

perante homem, perante mulher,

perante criança sorridente,

perante esperança, murchou,

 

 

não quis ser Abril, não quis ser revolução,

emblemática flor que se punha na lapela,

enfeitava Parlamento, deslizava pela multidão,

fúria de muitos, contenção,

doutros, como se foram donos, apropriação,

tema de lindos poemas, belas canções,

delírio de multidões,

desfile tão bonito, avenida plena,

foi uma pena,

 

mais racional que os que se dizem,

tomou “tino” no seu caule, não s´agarrou às raízes,

inverteu processo tão natural,

não espreitou Sol, não veio à luz,

coisa inaudita no nosso Portugal,

quando desdizem,

 

vaias, confrontos, mentiras, juízes,

bandos que se guerreiam, s´enaltecem,

não merecem,

ressurgimento dum grande momento,

desabrochar de cravo vermelho,

passeio, festa que resta,

cortejo, parlatórios, conversas,

conferências,

discursos empolados,

excelências,

 

POVO disperso, depauperado,

desempregado,

remessas,

molhos nas estufas que disseram não,

negação,

 

ponto d´honra duma flor que não quis pactuar,

acabou por recusar,

parece mentira,

quando se diz, s´atira,

brincadeira na certa, incrédulos os mais despertos,

agora, não crescer, desobedecer às leis da mãe natureza,

afirmam com toda a certeza,

 

improvável d´acontecer,

tem semente, condições precisas,

é tempo mais indicado,

faz parte, é ornamento,

Primavera ridente, sol na temperatura ideal,

Abril como mês do desabrochar,

cravos emblemáticos,

carismáticos,

recusatórios, revolucionários,

invertendo posicionamento,

 

pararam, recuaram, decidiram não pactuar,

antes de tal acontecer, sumo privilégio,

no meu canteiro, quase em segredo,

muito a medo,

ciciaram-me ao ouvido tal cometimento,

tal sacrilégio,

 

decidiram, pelas circunstâncias, pobreza, desemprego,

incerteza, injustiça no seio dos homens,

desequilíbrios assombrosos,

actos pasmosos,

desapego,

não abrilhantar o dia mais lindo,

não ser Abril de novo, não estar presentes,

quantas tristeza, quantas dores, guerras, fomes,

 

vaidades incomensuráveis, coisinhas poucas,

atitudes loucas,

ruas, praças,

graças, chalaças,

devaneios com gritos, lutas na rua,

enfrentamentos na festa, sem festa,

naquilo que resta,

 

não quero ser deles, não quero ser tua,

não quero crescer,

retorno ao meu seio, terra húmida, escura, aconchegante,

não brilho mais,

atitude radical, como os mais,

 

murchou,

botão q´enrubesceu, caule estiolado, folhas caídas,

não quis ser, acabou,

esperanças… perdidas!!!... Sherpas!!!...

 

publicado por sherpas às 12:36
link do post | comentar | favorito
|

.Sherpas

.pesquisar

 

.Junho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. ... os mal amados!!!...

. ... antes que... a vida, ...

. ... são... como as cereja...

. ... inclita geração!!!...

. ... guarda-chuva... color...

. ... acrimônia!!!...

. ... pedras com... regras...

. ... cliente!!!...

. ... o cavalo do... LEONAR...

. ... memorização!!!...

.arquivos

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Outubro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

.favorito

. ... antes que... a vida, ...

.links

.as minhas fotos

blogs SAPO

.subscrever feeds