Sábado, 9 de Maio de 2015

... margem SUL!!!...

... gosto de viver na margem sul, na outra banda,

não tão luxuosa, arrumadinha,

gente mais humilde,

considerada como dormitório de quem por LISBOA trabalha,

todos os dias, bem cedinho, se levanta,

numa correria infernal, ligação escassa à capital,

pontes que não dão vazão, uma que outra diatribe,

quando se gera confusão, por um pacote qualquer,

por descontentamento que se enormiza,

quando se quer,

 

 

carros que se aglomeram,

paragens que se prolongam,

acidente ou desatenção, regresso das belas praias que temos,

nas horas consideradas de ponta,

num termo, num ponto final,

pormenores que se tornam maiores,

quanto os tememos,

não desejamos, tentamos contornar,

afinal,

 

barcos tão pressurosos,

comboios que se alongam,

rapidez incerta, por vezes, transtornos que ainda temos,

governantes lentos, preguiçosos,

tratando dos seus interesses,

quase sempre, por vezes,

 

dizem que somos pobres,

que não temos,

inviável terceira ponte, aeroporto em Alcochete,

comboio rápido, veloz, continuidade da Europa,

tudo nos chega, nos achaga,

portagens que não acabam,

residentes aos milhões, pobres pagantes que pagam,

tanto mal que não acaba,

 

hospitais que nos faltam,

estruturas mal acabadas,

ao abandono, arruinadas, com verdete,

detestável, colossal ferrete,

cidades tão desprezadas,

terras, casas, espaços fabris que foram,

desleixo em qualquer urbanidade,

passeios, ajardinamentos,

tristeza de meus olhos que vêm,

quase lacrimejam, quando deparam,

gentes humildes, mais pobres,

na margem sul onde moro,

falta de atenção, sem cobres,

 

pontitos escassos,

manutenção, selva sombria bem no centro,

aparadelas em relva viçosa,

arvoredo que mete medo, mesmo à porta,

embora com contratempos,

bonita, tão formosa, não tão arrumadinha,

concordo,

quando a enfrento, a avalio, a recordo,

 

determinados locais, certos momentos

quase me fazem chorar,

aglomerados em instituições,

seja para receber ou pagar,

belas igrejas monumentais onde os chagados vão rezar,

grandes áreas comerciais,

pouca afluência nas tradicionais,

freguesia que se esfumou, dinheiro parco, mais racionais,

 

fuga dos que enricaram, vias dúbias,

intenso trabalho,

margem rica, mais ostentatória,

deslumbrados por Kapitais,

para os que, da lama surgiram,

pais de família, gentes abonadas,

para ali foram, fugiram,

 

entre pinheiros que os protegem

d´olhos indiscretos, invejosos,

locais belos, bem alindados,

longe de ruas, de vielas,

quase redoma protegida,

por cá se encontram, aos montes,

segurança por todos os cantos,

privilegiados com fontes,

bem comidos, bem regados,

aberração, grande confronto,

resort´s que fazem furor,

green´s que são um enlevo,

muito lazer, conforto,

 

charcos artificiais para embelezar,

barreiras propositadas,

nos recreios, nas jogadas,

céu aberto, azul tão límpido,

pertinho do mar com seus recantos,

reservados, tão discretos,

face da moeda, inversos,

vida airada, grandes encantos,

 

com quantos contrastes deparo

quando ando, passeio, reparo,

vivenda bonita em venda,

espaço frontal que era jardim,

placa da imobiliária, tão velha,

não há interessados por ela,

 

tanto tempo, tanto empenho,

alguém, desvalido, com dificuldades,

do jardim fez um hortejo,

quantas iguais eu vejo,

 

no centro das urbanidades,

nesta margem, gentes humildes,

algum esforço, sementes diversas,

afloram plantas comestíveis,

flores para sobrevivência,

alhos, cebolas, couves, faval que se compõe,

desenrascanço, valência,

a cabeça pensa, o corpo pede, dispõe,

 

casa arruinada,

terreno vedado com tralhas,

sem canseiras, não trabalhas,

aves que são alimento, algum poiso, capoeiras,

empenho, curta criação,

bem no centro da povoação,

 

hortinhas em espaços dispersos,

buracos sem portas, janelas,

caminhos por onde passo,

roupas estendidas no cordel,

tão diferentes, tão diversos,

 

miséria que tanto degrada,

famílias carentes, sem nada,

sociedade destruída, sem elo,

quadro que me desagrada,

quanta gente desocupada,

 

imenso bairro de lata,

não aglomerado, pontilhado,

disfarçado, por se acaso,

lágrima que me chega, enxugo,

sonho que vai sendo pesadelo,

carregado, vestido de luto,

margem sul, na outra banda,

sol brilha, quando se levanta... Sherpas!!!...... 

 

publicado por sherpas às 12:55
link do post | comentar | favorito
|

.Sherpas

.pesquisar

 

.Junho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. ... os mal amados!!!...

. ... antes que... a vida, ...

. ... são... como as cereja...

. ... inclita geração!!!...

. ... guarda-chuva... color...

. ... acrimônia!!!...

. ... pedras com... regras...

. ... cliente!!!...

. ... o cavalo do... LEONAR...

. ... memorização!!!...

.arquivos

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Outubro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

.favorito

. ... antes que... a vida, ...

.links

.as minhas fotos

blogs SAPO

.subscrever feeds