Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Sherpasmania

... albergue de poemas, poesias e... outras manias, bem sentidas, por sinal!!!...

Sherpasmania

... albergue de poemas, poesias e... outras manias, bem sentidas, por sinal!!!...

04
Ago04

...regressão???...Quiçá!!!...

sherpas



…ouço-os e…rebelo-me, quando, no dia-a-dia, confronto, todos os dias, situações aviltantes, degradantes, de pobreza, de miséria…tal como dantes, sem diferença alguma!!!...Basta contactar, descer um pouco, baixar, deixar de ser o que…sempre se foi, por descendência, por sucessão, pura excelência, por riquezas que se acumularam, que se acumulam, a olhos vistos, perante os incautos, os mansos, os tansos, os que continuam sendo…brandos!!!...

…olhando para trás, quando ainda rapaz, recordo, (…ai que saudade, Deus meu!!!...) o meu pai, já falecido, comerciante de terra pequena, de vila alentejana, nos tempos da outra senhora, os tais…os da lavoura, como diz aquela Amostra, o que se não enxerga!!!...Eram tempos de ganhões, de capatazes, de maiorais, de latifúndios, de outras coisas mais, nos Alentejos esquecidos, os do passado, tempos de penúrias, de aviltamentos, de injúrias, de paquetes, de amas, de criadagem, mais que muita, barata, a troco dum chavo, de dez réis de mel coado, a maior parte das vezes, a troco dumas sopas, dum naco de pão com conduto, (…um cheirinho de chouriço, de queijo…uma azeitona qualquer!!!...) e…abrigo, uma enxerga para esticar o corpo cansado das agruras do dia de trabalho, geralmente, pesado!!!...Eram outros tempos…quase, quase…de ficção!!!...Não dá para entender como há gentes…que os recordem, com saudade, com vontade de regressão!!!...

…eu, antes pelo contrário, com tremenda aversão, pelo que vi, pelo que senti, em relação aos meus amigos de pés descalços e… com fome, dos seus pais, mais que espezinhados, trabalhando de sol a sol, ganhando quase nada, o que não dava para o sustento, sequer!!!...Muitos, dos bem instalados, agora…são descendentes, directos ou quase, dessas gentes, pobres gentes que, quando faziam as suas compras em lojas, (…comércios polivalentes, vendiam de tudo, um pouco!!!...) não podiam pagar e…iam para os fiados, livro de dívidas que existiam em quantidade, nesses locais!!!...O meu pai, na altura, não foi excepção, era mais um… dos que sustentavam as misérias dos rurais!!!...Tanto que, quando se deu a volta, a evolução, (…deixa-me rir!!!...), melhor dito, a revolução, a do 25Abril74…um pouco mais tarde, na altura da reforma agrária, com a ocupação de terras, as do meu saudoso pai, uns olivais e alguma coisa mais, houve quem se lembrasse de ocupá-las, as do senhor _____________, o comerciante mas, em uníssono, logo se levantaram vozes de protesto e lembraram, por eles próprios, os trabalhadores rurais, quem…nos tempos de miséria, lhes matava a fome, com os fiados, a perder de vista, no tal livrinho que, era norma, nos tempos da lavoura, claro!!!...

…mas, voltando mais atrás, para não me perder e…continuando!!!...Vem isto a propósito dos fiados, da pobreza, da miséria, dos que apregoam e cantam loas, dos que se não enxergam, dos que se dizem urbanos, dos que comentam a retoma, como uma realidade, pequenina mas…enfim, que está aí!!!...Palavra de honra, onde chega a desfaçatez!!!...Haja decência…a nível da excelência!!!...Acabe-se de vez…com a excrescência verbal!!!...Deixemos de ser…hipócritas!!!...Encaremos a realidade das COISAS!!!...Não fantasiemos!!!...

…é que, para mal dos que se apercebem disso, dos urbanos normais, dos vulgares, dos que contactam com todas as gentes, na mercearia, no minimercado, nas grandes superfícies, o livrinho, o dos fiados…voltou a surgir, apareceu, como maldição, como ultraje, como denunciador da situação, tristemente encapotada, vigente, existente…entre muita gente, a carente!!!...Nas grandes superfícies, os carrinhos já não vão tão cheios, vão meio despejados, em número reduzido, consoante conversas, consoante observação directa de quem, lá próximo, trabalha!!!...O resto, tudo o resto, queiram ou não, sem depressão da minha parte, como realidade de quem sente…são tretas, conversas para entreter, para fazer ver, o que não é!!!...Retoma nos bancos, nas seguradoras, nos graúdos da Comunicação, deixem-me rir…eles, nunca entraram em crise, nem em depressão, jogaram à parte, simplesmente e, agora, estão a ganhar… mais do que há dois anos e piques atrás, claro!!!...

…quanto aos demagogos e aos populistas, por causa dos submarinos…eu, sou por eles, pois então!!!...A nossa guerra… é outra!!!...Submarinos para quê???...Grandes feiras, grandes negócios…o equivalente a cerca de quarenta estádios de futebol, é obra, bolas!!!...Para que irão servir???...Para vigiar as águas territoriais que, cada vez, são menos, ( …de duzentas milhas, passarão para cem!!!...) quase não dá para os ditos fazerem manobras, irem ao fundo, virem ao cimo, nos treinos, para gáudio…dos marinheiros, das bases, das chefias…evidentemente!!!...Enfim, habilidades destes artistas, arrivistas dos sete costados, deslumbrados, irresponsáveis, incompetentes…outras gentes, lá no astral, lá no alto, tal como…nos tempos da lavoura!!!...Regredimos…uns anitos bem bons!!!...Dá que pensar, não dá???...Sherpas!!!...

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2005
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2004
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub