Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sherpasmania

... albergue de poemas, poesias e... outras manias, bem sentidas, por sinal!!!...

Sherpasmania

... albergue de poemas, poesias e... outras manias, bem sentidas, por sinal!!!...

30
Abr04

...como sinto...o 1º de Maio!!!...

sherpas
…amanhã, é o dia, o primeiro de Maio…mais um, claro, em democracia!!!...Todos os que trabalham, de esquerdas, de centros, de direitas, partilham a alegria, a manifestação, a contestação, penso eu, excepto o patrão, porque será???...Não entendo!!!...Será que o Patrão…não trabalha???...É visível, é ridículo, é caricato…é um facto, este dia foi absorvido pelos movimentos de esquerda, com razão, não contesto, admito, pois então!!!...Porque razão???... Os de centro, os de direita, não participam neste dia de festa, de alegria, de contestação!!!...Não percebo, fico pasmado!!!...Como trabalhadores, embora com outras condições, mais elevadas, superiores, têm o mesmo direito, o de participar!!!...Porque não o fazem???...Não entendo!!!...

…vir para a rua, dar vazão à nossa alegria, despejar as nossas tristezas, gritá-las, bem alto, mostrá-las, escritas ou berradas…é de gente normal, é natural!!!...Quem se não sente, não é filho de boa gente!!!...Só assim entendo a democracia, em liberdade, em divergência, com contestação, desde que fundamentada e, quanto a mim, não há melhor dia do que este, o dia primeiro, do mês de Maio, o dia do que trabalha, do que contribui, com o seu esforço, com a sua inteligência, para o desenvolvimento equilibrado de qualquer Estado/Nação, de todos os extractos sociais, com todos os ideais, de todos os quadrantes políticos, os mais diversos!!!...

…vamos, neste dia, alvoroçar quem nos governa, gritar nossas revoltas, exigir mais justiça social, escorraçar o corrupto, o compadre da cunha, a promiscuidade, a mentira, o populismo inconsequente, a demagogia fácil, ardilosa…enganosa!!!...Mostrar que, por mim penso, queremos políticos decentes, outras gentes, exemplos, referências, de quem estamos… tão carentes!!!...Apostar, bem forte, num País diferente, mais justo…mais ajustado!!!...

…é que, já são tantos CASOS, os que se acumulam, os que nos espantam, os da incúria, do desleixo, do deixa andar… ao desbarato, de qualquer maneira!!!...

…desnorte, triste tema…triste mote!!!...

…políticos do avança e recua, políticos da demagogia, políticos de carreira, carreiristas, pois então, políticos de dizer e desdizer, políticos de políticas esquisitas, populistas, como tantos, os de agora, os do presente, estas gentes…as do Poder, as das promessas fáceis, é só dizer, não custa nada!!!...

…com túneis, com luz, sem luz, sem nada, com túneis prometidos, complicados, sem leis, porque não cumpridas, a do impacto ambiental, a da segurança total, por baixo, ao lado, do tal, o do leão, o da estátua, o Marquês, pois então!!!...Com túnel, mesmo ali ao lado, do Metropolitano, a cinquenta centímetros, um bocadinho, uma nesga de terreno, um espanto e…tanto!!!...Obra prometida, falada, apregoada, inflamada, em discursos, em cartazes, mais que muitos, pela cidade!!!...

…ai túnel, ai casino, ai tachos, ai tachinhos…que tão longe nos vão ficando!!!...A culpa, não, não morre solteira, alguém terá de pagar!!!...Se não fui eu… tal como a estória do lobo e do cordeiro…se não foste tu, foi o teu pai!!!... Aqui é o mesmo, há sempre alguém, sobre quem descarregar, alguém que se pode deitar fora, que se pode queimar, alguém de menos importância, uma insignificância, uma simples minudência!!!...Há que preservar as excelências…mesmo que incompetentes!!!...

…factos, são factos, meus amigos e…não posso deixar de reconhecer que, neste dia 1º de Maio, estamos mais desempregados, estamos mais pobres, estamos mais desiludidos, ao invés dos que se forraram, mediante grandes feiras, grandes negócios!!!...Já agora, em termos de défice, aumentámos, disfarçando, como sempre tem feito esta triste desgovernação, com a venda de anéis… ficámos com menos património, o que era nosso, agora… doutros!!!...

…pelos factos relatados, além doutros, bem reais, há muitas, mais que razões, para gritarmos, a plenos pulmões, tudo o que nos revolta, tudo o que sentimos, neste dia de emoções, neste dia que é nosso…de todos, os espoliados, da ditadura, da Coligação…uma aberração, mais que tristonha!!!...

…deu escola, caiu na moda, vai em frente, como se nada!!!...Bastou um dizer, afirmar, a pés juntos, que ficava!!!...O eu FICO, ficou, perante nossa estupefacção, perante espanto, indignação!!!...Daqui para a frente…já nada me admira, com trapalhadas, com confusões, com mentiras, com manipulações, com corrupções e promiscuidades…é tudo o mesmo, quando muito, um inquérito, dos tais!!!...Todos iguais, impunes e imunes, lá vão, cantando e rindo, para nosso mal...com bom senso, consciência tranquila, clareza e transparência???...E esta, heim!!!...Mas, quem sou eu???...

…Bom 1º de Maio, para todos!!!..


…Abraço do Sherpas!!!...
30
Abr04

...Sol!!!...

sherpas
Sol


Luz forte, avassaladora,
energia pura, criadora,
estrela maior do sistema,
centro fulcral da existência,
princípio real dum teorema,
enorme labareda, em falência,
constante alimento que se gasta,
calor, frio, quando se afasta,
fiel, persistente indutor
dum fluido gratificante, energético,
num ser vivo, numa flor,
bálsamo límpido, poético
nos espíritos mais sonhadores
dos humanos esteticistas,
invulgares compositores,
entre tantos outros artistas,
uma, no meio de mil biliões,
de muitos biliões de milhões,
no cálculo dos cientistas
que, investigando muitas pistas,
lhe dão um triste final,
um desgaste rápido, constante,
um rude golpe, fatal,
uma inversão, um sol mutante,
pálido, gélido, frio,
sem cor, sem calor, sem brio,
falho da energia que aviva
todos os seres existentes,
que lhes dão força, vida
os mantêm, sobreviventes,
neste Mundo, tão sózinho,
nosso verdadeiro ninho,
nosso lar, nossa fantasia,
nosso sol… nossa alegria!!!...

…Sherpas!!!...
29
Abr04

...natureza!!!...

sherpas
Natureza


Uma fonte de água cristalina,
num caminho da serra agreste
abrupta, medonha, bela,
com as árvores com que se veste,
um ruído cantante, uma mina,
um sonho, um horizonte, é vê-la!...
um cantinho do Paraíso, na Terra,
aqueles montes, naquela serra,
estas montanhas que tocam as nuvens,
com esta vegetação tão verdejante,
luxuriante, tão sossegada,
casinhas de algum gigante,
casarões de pequenos anões,
viveiro da passarada,
onde se formam os trovões,
onde a água se embranquece,
no tempo que mais arrefece,
a fonte deixa de cantar,
na água mais que gelada,
que não corre, que não soa,
que não morre, está parada,
tal como a ave que não voa,
que não chilreia, naquele ramo,
naquela ponta, muito parada,
muito encolhida, toda tufada,
neste Mundo que eu amo,
nesta serra tão abrupta,
naquele caminho, naquela fonte,
naquela mina, naquela gruta,
com aquela água, naquele horizonte,
onde tudo se conjuga, em harmonia,
doce prazer, elevada sinfonia,
hino da vida, plena alegria...



…Sherpas!!!...


28
Abr04

...criancinhas e...velhinhos!!!...

sherpas

…no passado…descalços e com fome!!!...No presente…mal calçados, abusados e com fome!!!...Será isto a evolução???...

…que se vêem, cada vez mais, jovens a prostituírem-se, jovens a mendigar, jovens…com fome, com tremendas necessidades, desamparados, ao abandono, pois então!!!...Que raio de País é este, que bandalhice tremenda, que hipocrisia cruenta, cruel, atroz…que baralhada total, que desgovernação, sem alma, nem coração!!!...Entregam-se a privatizações, a negócios de gabarito…descuram o mais importante, a população, a carente, a mais vulnerável, os inocentes, porque sim!!!...Mas, quem os ouve, quem os vê, nas rádios nas TV,s…aos da segurança social, com sorrisos ínvios, esquisitos, até parece que não, até parece que sim!!!...

…Deus meu, ao que chegámos, quanta desfaçatez, quanta incúria, quanta indiferença, quanta promessa, quanta mentira, discursos que são um disparate, não uma retoma, agora, fase…de vitória, falam eles, tentando mobilizar o que está desmobilizado, o que está vilipendiado, mais que baralhado, atrapalhado, confuso, difuso!!!...Que teimosia, sem estratégia, a que apregoam, a que teimam em seguir, congratulando-se a eles próprios, os incapazes, com promessas, em frenesim, pelas eleições, já ali, à porta, ao virar da esquina!!!...Prometem justiça social, mais, dizem eles, quando não há nenhuma, com fervor, como quem se desunha, em não deixar, por mãos alheias, o que tanto adoram o que os deslumbra, o Poder, pois então!!!...

…ainda há pouco, poucochinho, ali ao pé, ali na baía, vi, com estes olhos, os que a terra me há-de comer…na altura devida, um velhinho, com cana de pesca na mão, ultrapassada, pequena…uma amostra, que mal podia manejar, pela falta de forças, tentando apanhar, quiçá, algo de carne para o prato, de peixe que apanhasse!!!...Quanta miséria…lá por dentro, no seu íntimo, na sua reforma tão curta, a que não dá, a que não chega, para comer, para viver, com dignidade, com verdade, usufruindo de descanso, de bom repasto, tanto na casa, como na mesa!!!...

…o que eles falaram das…criancinhas, dos velhinhos!!!...Pois é…o que se vê, o que se ouve, o que se lê!!!...Ao que chegámos…pela teimosia dum défice, pela tanga apregoada, pela venda indiscriminada, por uma política de nada!!!...Estamos a ser desprezados, tanto agora…como dantes!!!...Temos direito a indemnizações…como espoliados da ditadura, como espoliados da desgovernação!!!...Abraço do Sherpas!!!...
28
Abr04

...cão!!!...

sherpas
Cão


Pobre cão abandonado,
velho, quezilento,
quase sempre escorraçado,
que se arrasta, contra o vento,
contra todas as vontades,
contra a própria vida,
alvo certo de maldades,
criatura bem sofrida,
escarro duma sociedade,
que, por velho, alquebrado,
o esquecem, de verdade,
o mantêm, bem afastado,
do seu antigo convívio,
das suas loucas brincadeiras,
para seu descanso, seu alívio,
para lá das suas fronteiras,
bem longe, bem esquecido,
desprezado com desfaçatez,
aquele tão nobre amigo,
que, por mais do que uma vez,
se entregou totalmente,
ao homem, a esta gente,
ao que o trata tão mal,
ao que o está escorraçando,
o que não é natural,
tanta crueza, tanto desmando,
tanto desamor, tanta hipocrisia,
por ser velho, por ser doente,
por já não dar alegria,
por se sentir, o que se sente,
num duro coração,
no final duma ilusão
dum cachorro, dum cão!...


…Sherpas!!!...
27
Abr04

...resposta ao zecacilhas do...Fórum Parlamento, no Sapo!!!...

sherpas



…caro zecacilhas, não pretendo minimizar, pessoas ou partidos…sem eles, a democracia era impraticável, impossível!!!...Do mal o menos…a democracia, pois então!!!...Quando me rebelo, quando me revolto é porque, passados que são trinta anos, com esses figurões no Poder, de vários quadrantes, claro…estamos como vemos, como vamos observando, carregadinhos de escândalos, de promiscuidades, de corrupções!!!...Ultimamente…tem sido uma desgraça, com essa raça, a dos ditos!!!...Estou, como todos, uns mais outros menos, farto…até à raiz dos poucos cabelos que tenho!!!...O amigo, como músico, é sensível, como eu, uma pequena figura da poesia, como tantos a estes descalabros…que se arrastam, que se não curam, que se não debelam, para nosso mal!!!...Abraço do Sherpas!!!...
27
Abr04

...pormenores!!!...

sherpas
Pormenores


Pequenos pormenores,
curiosas insignificâncias,
detalhes menores,
estilos, extravagâncias,
modos de estar, de sentir,
curtição duma boa vida,
pensar no futuro, no porvir,
vivê-la, gozada, sofrida,
usufruir o que nos cerca,
ter paixão pelo ambiente,
respeitar, para que se não perca,
animais, vegetais, toda a gente,
com raças, credos diferentes,
como um todo, como tu sentes,
vendo em tudo, em todos,
a beleza, a perfeição,
nos mais dotados, nos tolos,
nos miseráveis sem coração,
atender às insignificâncias,
desprezar as jactâncias,
a soberba, a ostentação,
as vaidades, como obsessão,
aceitarmos o que nos toca,
darmos, sem ser por esmola,
carinho, amor, afeição,
como um professor, na escola,
como um padre, no seu mister,
porque a vida se descola
desta Terra, deste ser,
deste corpo emprestado,
velha carcaça cinzenta,
já gasto, emperrado,
nos setenta, quase oitenta,
anos de contemplação,
de sofrimento, de solidão,
com alegrias, pelo meio,
pequenos pormenores,
neste casulo, no seio,
de detalhes bem menores,
simples insignificâncias,
estilos, extravagâncias!...

…Sherpas!!!...
26
Abr04

...flamingos!!!...

sherpas
Flamingos


Há flamingos na baía,
altos, elegantes, rosados,
há tanto tempo os não via,
na baía, calmos, repousados,
no lodo da maré vazia,
onde, um pequeno bando,
em plena luz do dia,
se vai alimentando,
ali ao pé, junto à estrada,
bem próximos daquela ponte,
tantas vezes atravessada
como meta, como horizonte,
dos que se querem manter,
dos que gostam de viver,
dos que usufruem o meio,
a natureza, o ambiente,
seu conchego, seu doce seio,
âmago da boa gente,
coração de tantos seres,
como este bando de flamingos,
que nos pretende alegrar,
fazendo santos, domingos
os dias que vão chegar,
quando os puder observar,
calmos, elegantes, rosados,
aos bandos, por tantos lados,
nesta baía tão formosa,
mais despoluída, pois então,
um pouco menos cheirosa,
local da minha emoção,
com a maré cheia, vazia,
plena de vida, de encanto,
redimida em alegria,
com flamingos… num só bando!!!...

…Sherpas!!!...
26
Abr04

...amigos!!!...

sherpas
Amigos


Amigos são como os pirilampos,
são fugazes no brilho que emanam,
não têm a bondade dos santos,
tanto agradam como desencantam,
ouvem-nos quando lhes interessa,
afastam-se, rematam a conversa,
entram noutra onda bem diversa,
de repente, a amizade cessa,
é um sentimento passageiro,
muito leve, muito ligeiro,
uma empatia que se encontra
num estranho da mesma espécie,
um fluido de pouca monta,
uma simpatia que fenece
quando não é cimentada,
quando também é partilhada
por uma família que se forma,
por trabalhos, por canseiras,
essa amizade, que se torna
uma das muitas barreiras
que, na vida, temos de galgar
para a podermos encarar
como algo de secundário,
um apêndice num formulário,
algo de tão pouca importância,
à medida que o tempo passa,
da juventude, uma extravagância,
um encosto, uma chalaça,
uma simples recordação
que nos aquece, conforta,
um toque no coração
que já pouco nos importa,
com o decorrer dos anos,
com o avançar da nossa idade,
coisa de outros tempos, antanhos,
hoje, fora da realidade,
amigos, amizades,
sonhos, pesadelos, verdades!...

…por vezes, os amigos são…como os pirilampos, infelizmente!!!...

…Sherpas!!!...
25
Abr04

...tempos de...revolução!!!...

sherpas
…porque a esperança não morre, Péstinha…os tempos, os actuais, são de revolução!!!...Depois, virá…a evolução, equilibrada e justa!!!...


…tempos de revolução, tempos de paixão, tempos de exacerbados sentires, tempos de alguma evolução… pouca, pelos escolhos que defronta, pouca, pelos egoísmos que encara, pouca, pela ganância pessoal de certos autistas políticos, pouca, pelo convencimento doentio dos que se pensam donos do que lhes não pertence, porque minoria, pouca COISA!!!...

…tempos de revolução, tempos de solidariedade, tempos de verdade, tempos de mão na mão, tempos de olhar, ajudando, o irmão mais desprotegido, o relegado, o desprezado…o posto de lado!!!...Tempos de revolução, tempos de emendar, de reiniciar o caminho, tempos de fazer políticas sociais, abrangentes, racionais!!!...

…tempos de revolução, tempos de inflectir e reflectir, de consciências sãs e limpas, de bom senso…outros tempos!!!...Tempos de revolução, tempos de contenção, nas atitudes, nas palavras, nos actos…com intenção, ajudando os carentes, as outras gentes, tempos de esquecermos os egoísmos, as ganâncias mil, as perversões…os milhões, em negócios sórdidos ou não, as manipulações congeminadas, escondidas, as obsessões por défices que se cozinham, as que massacram todo um Povo, toda uma Nação!!!...

…tempos de revolução, tempos de mudança, nas políticas, nos políticos, nos que se deixam corromper, nos que são promíscuos, nos que abusam da mentira, nos que se perpetuam, sempre no poleiro, por interesses, por dinheiros!!!...Tempos de revolução, tempos de justiça, na igualdade de deveres e direitos, sem defeitos, castigando os que prevaricam, peneirando toda uma sociedade enferma, que se agasta, que se arrasta, de escândalo em escândalo, sem valores, sem referências, de pouca moral, triste mural, má pintura, pouca figura…nenhuma história, para o porvir!!!...

…tempos de revolução, tempos que não perdoam, o incompetente, o incapaz, revolução que nos apraz, que nos melhora, que nos aperfeiçoa, mesmo que nos doa, que nos fira, que nos magoe…outros tempos!!!...Tempos de revolução, tempos prometedores, outras auroras, esperanças múltiplas, sonhos que despertam, que nos aguardam, nos…fazem sorrir!!!...Tempos de revolução, tempos de Abril…o das águas mil, o dos cravos em profusão, de várias cores, em tantas mãos, nas janelas, no peito, espalhados pelo chão!!!...Tempos de revolução…em paz, em harmonia, suprema alegria, fantasia (???...), não, uma ambição, em união, num País…que se contradiz!!!...

…tempos de revolução, em busca do excelso, do mais que perfeito, a nosso jeito, tal como somos…neste cantinho, jardim florido…à beira-mar, único, diferente, de todo o Mundo, de toda a gente!!!...Tempos de deitar fora…o que não presta, de acabar com a fome, com a miséria, com o desemprego, com o compadrio, com o xico-espertismo, ridícula postura que…tem cura, com o desenrascado, pobre coitado, com o deslumbrado, com o aldrabão, pobre mentiroso…o indecoroso!!!...Sei lá…que mais, quiçá!!!...Abraço fraterno de quem assim escreve, de quem assim sente!!!...Sherpas!!!...
25
Abr04

...já vai sendo tempo de...exterminação!!!...

sherpas
…repito-o porque é dia 25 de Abril e ainda estamos a tempo de acabarmos com estas espécies, indignas num Estado democrático… estamos numa época em que nos confrontamos com corrupção e promiscuidade, aos montes!!!...É por eles que as COISAS estão como estão, que não houve evolução, a que se esperava, plena e equilibrada!!!...

…sempre gostei de banda desenhada e ainda hoje, todo eu tremo de emoção, com a anunciada estreia do Homem Aranha no nosso País, em Portugal... Figuras de ficção, todas elas, fruto da imaginação fértil do ser humano que nos embalaram a meninice, nos acompanharam a adolescência e nos irão fazer recordar o passado aquando da sua exibição nas salas de cinema... Mas, se pensarmos um pouco, no panorama político actual ainda encontramos, não na ficção, mas na realidade pura e concreta verdadeiros Super-Homens e autênticos Homens Aranha, nas variadas vidas profissionais (cargos ou funções), que desempenham ao mesmo tempo... Eles são Presidentes, Administradores, Directores, Deputados, Comentadores, Gestores Topo de Gama, eu sei lá, desempenham um tão significativo lote de actividades, simultaneamente, que me leva a catalogá-los de Super Homens... Perante este painel de tarefas atribuídas, muitas vezes, a uma só pessoa sou levado a pensar nas somas fabulosas que deverão auferir no fim de cada mês... Quanto ganhará um elemento destes, quantos vencimentos mínimos?... Como Super Homens que são, deverão certamente ter um Super Vencimento!... Logo a seguir me vem ao pensamento como é que uma individualidade destas consegue atingir esta situação de privilégio e estas regalias remuneratórias e, sem querer, recordo-me do Homem Aranha que com as suas teias atinge os seus objectivos, na luta contra o mal... Estes Super Homens devem possuir algo de Homens Aranha, devem ter teias, ligações espalhadas por tudo quanto é sítio a fim de obterem todos aqueles postos ou situações simultâneas que desempenham positiva ou negativamente... As teias deverão, certamente, estar bem espalhadas no sector político, no governamental, no privado... Depois é só uma questão de fazê-las mover, no momento exacto, como se faz com as marionetas e com os cordelinhos, para se puderem obter as tais compensações monetárias no fim de cada mês... Enfim, no nosso País, vai ser estreado o filme do Homem Aranha, tal como já exibiram muitos do Super- Homem, figuras de ficção levadas ao cinema mas no nosso País, no concreto, existem muitos políticos que são verdadeiros Super Homens, pelas actividades que desempenham ao mesmo tempo e pelos vencimentos que auferem, bem chorudos e pouco nomeados e autênticos Homens Aranha pelas ligações ou teias que utilizam para atingirem os seus objectivos (não da luta contra o mal), na escala social e no poderio material que obtêm, em detrimento dos outros, uma grande maioria que não passa da “cepa torta” e que pertencem à massa anónima chamada de POVO!... É a vida... A ficção faz-nos associar certas figuras com certos figurões da vida real!... Eles existem!...Estão entre nós!...Vivem à grande e à francesa!...Mas. quem sou eu???...Sherpas!!!...
25
Abr04

...viver!!!...

sherpas
Viver


Viver dos outros, a vida,
triste consolo, grande ilusão,
vida monótona, vida rotina,
vida sem mágoas, sem paixão,
viver sem sonhos, sem fantasia,
sem amores, sem ódios, amorfo,
vida de sonso, sem alegria,
vida sem vida, vida de morto,
viver enclausurado, no convento,
sem um estímulo, como um frade,
vida interior, viver para dentro,
vida sem vida, vida de padre,
viver sem compartilhar,
sem repartir, sem oferecer,
sem dividir sentimentos,
viver a vida, só por viver,
sem discórdias, sem contratempos,
sem satisfações, sem prazer,
viver bem, só por momentos,
viver por querer, sem crer,
viver, sem nunca acreditar,
viver sem fé, ateu até morrer,
vida vazia, dá que pensar,
viver, por viver, uma vida inteira,
sem amores, sem família,
viver sem outros à nossa beira,
vida isolada, vida em vigília,
vida pensada, muito fechada,
vida sem vida, vida sem nada!...

…Sherpas!!!...
24
Abr04

...praia!!!...

sherpas
Praia


Um marulhar constante,
um balançar permanente,
uma subida inquietante,
uma descida que se sente,
uma sucessão de marés,
um embevecimento fugaz,
a areia aos nossos pés,
o frio que a água nos traz,
uma brincadeira, um namoro,
uma rapariga, um rapaz,
uma gritaria, um choro,
um jogo que se não acaba,
um afogado, um socorro,
um perigo que se não trava,
uma rede que se entrelaça,
umas mãos rudes, agrestes,
um dia que acaba, passa,
um banhista, as suas vestes,
um barco, no seu regresso,
que despeja o seu pescado,
da tristeza, o seu inverso,
pela apanha, pelo achado,
pelo dinheiro que, imaginam,
lhes poderão proporcionar
aqueles que ali terminam,
que acabaram de pescar,
ouvindo o surdo marulhar,
constante, bem ritmado,
cheirando aquele mar,
os banhistas rodeando
aquele ponto, naquela areia,
aquele barco, aquela rede,
quase vazia, meio cheia,
que se estica, que se estende,
que se limpa, que se enrola,
tirado o peixe, que se vende,
por um tostão, por uma esmola,
num final duma jornada,
quando o sol se vai escondendo,
um pouco dura, bem molhada,
num dia que vai morrendo,
numa praia, no litoral,
entre marés tão constantes,
neste País, em Portugal,
nestes minutos… instantes!...

…Sherpas!!!...





24
Abr04

...25 de Abril...dia da Revolução!!!...

sherpas
…e, porque estamos em Abril, quase, quase…no dia, o tal, o da revolução, sem balas, sem violência, com cravos, em Paz…tal e qual, pois então!!!...

…já o tinha editado, noutro Fórum do Sapo, salvo erro, em tempo já passado, por alturas de Abril…faz um ano, claro!!!...Guardei-o… com intenção de prestar homenagem ao Abril de 1974 em…2004!!!...Aqui vo-lo envio, com respeito e…simpatia!!!...São rosas do…meu rosário, neste caso, são cravos…vermelhos, amarelos ou brancos, tanto faz, é igual!!!...
…Ah, é verdade, amanhã, domingo, é dia vinte e cinco de Abril, dia da REVOLUÇÃO!!!...

…com bolos se enganam os tolos!!!...Com promessas vãs e, aparentemente, inócuas se alcandoraram ao Poder certos elementos retrógrados e saudosistas dum passado de triste memória!!!...Umas vezes por outras tomam atitudes menos dignas, proferem aberrações de todo o tamanho que, pela enormidade, escandalizam e desmascaram as suas verdadeiras intenções!!!...Sombras sinistras se vislumbram por detrás do que, subtilmente, tentam esconder!!!...Com persistência e teimosia tocam sempre na mesma tecla, insistem, com fins determinados, com objectivos precisos e concisos!!!...Muitos, os menos esclarecidos e…são bastantes, para nosso mal, do País, deixam-se levar, são arrastados maviosamente, para o que já passou, para 20, 30, 40 ou 50 anos atrás, sem, disso, se aperceberem, inconscientemente!!!...Tantos há que, nos nossos dias, renegam a flor representativa da revolução, da mudança, da democracia, o cravo, branco ou vermelho, tanto faz, o cravo da não-violência, o que o povo pôs no cano das G 3 dos soldados, para seu próprio gáudio, dos portugueses… os dos brandos costumes!!!...Continua-se, demagogicamente, a tentar assustar as gentes, menos esclarecidas, com o papão do comunismo!!!...Há quem pretenda retroceder!!!...Há quem recorde, com saudade, o colonialismo, as guerras do Ultramar, a falta de liberdade de expressão, a todos os níveis, a implantação da autoridade autoritária do eu posso, quero e… mando!!!...Erros, desde o 25Abril74 até hoje, quem não os cometeu, quem não os continua cometendo???...Penso que ainda não aprendemos, que ainda temos muitas arestas por limar, que a nossa democracia ainda enferma de muitas lacunas, graves e profundas!!!...Pois se… um simples cravo, uma flor, amedronta tantos, enaltece muitos, representa tudo, pelo menos o que concerne à revolução, a dos cravos, é razão, mais que evidente, que continuamos muito desequilibrados!!!...Duma coisa os políticos podem ter a certeza, o cravo, o branco ou o vermelho, não são pertença de nenhum deles, de esquerdas, centros ou direitas, pertencem única e exclusivamente ao POVO, ao bom povo português que, no dia D não quis sangue, não quis carnificina, quis o que sempre ambicionou e que…para nosso mal, está difícil de se concretizar, em pleno, a democracia, numa:




- Uma rosa é uma flor/um jasmim é um jardim/um cravo uma revolução/de toda uma grande Nação/que viu surgir, por fim/sem furores mas, com amor/a sua própria emancipação/depois de quarenta anos sofridos/sem queixumes, nem gemidos/duma teimosa ditadura/ cruel, macabra, impura/a par de algumas guerras/travadas noutras terras/vítimas dum colonialismo/que separava, por um abismo/este Portugal de Camões/de todas as outras nações/da Europa, do Mundo/que, num coma bem profundo/se ia auto imolando/orgulhosamente matando/nos seus maiores valores/do povo, do clero, doutores/filósofos, artistas, escritores/livres, esclarecidos pensadores/perseguidos, encarcerados/em fortins, desterrados/noutros países, noutras regiões/longe da situação, dos mandões/que mantinham esse sistema/verdadeiro cancro, grave edema/que um cravo colorido/branco, vermelho, garrido/conseguiu destroçar/sem ferir, sem matar/concedendo a liberdade/duma manhã para a tarde/a este jardim à beira mar/plantado com amor, para amar/por todos que o querem preservar/bem longe de autoritários/fiéis lacaios, mandatários/de pensamentos extremistas/puros camaleões, salafrários/ que navegam em todas as águas/dando esperanças, mágoas/aos que neles acreditam/das direitas viram às esquerdas/para verem se conquistam/os simples, os aselhas/que, nos cravos se ficam/como as laboriosas abelhas/que fazem mel e… muito picam!...

…não tenhamos preconceitos em relação aos cravos, brancos ou vermelhos, não os partidarizemos, não os façam pertença de forças políticas, respeitem-nos e admirem-nos porque, neles, está contido todo um sentimento colectivo de paz e amor, de bons costumes, de dignidade e boa formação… somos pacifistas confessos, poetas, por excelência, que, numa flor, num simples cravo, se revêem!!!…Passados que são trinta anos, ainda tenho esperança, mantenho sonho, transporto ilusão que, se avultam…nestas alturas, no dia que vivi, quando mais novo!!!...Acredito, quero acreditar, não por mim, (…embora ilusionado, sou um sonhador, podem crer!!!...) pelos que agora começam, pelos que estão a acabar, pelos menos afortunados…os postos de lado!!!...Um abraço do Sherpas!!!...
23
Abr04

...radicais!!!...

sherpas
Radicais


Ainda há pouco, poucochinho,
eras um mero adolescente,
um rapaz, quase gente,
espigado no físico, crescidinho,
filósofo, acomodado, dependente,
no trajar, no comer, miudinho,
no trato com os ascendentes, exigente,
um cu de mimo, dependência
de quem se considera excelência
perante os que diminui, escraviza
para seu real alambanzamento
dum corpinho bem tratado, corpulento,
que tudo goza, tudo sonha, tudo quer,
na terra, no céu, num sítio qualquer,
custe mundos, fundos ou não,
desde que se lhe possa deitar mão,
para usar, por momentos, atirar
p´ró lixo, quando já não interessar,
numa de consumismo feroz, irracional,
que, além de não fazer bem nem mal,
nos dá simples satisfação,
um encanto, uma grande emoção,
que nos eleva, sublima o ser,
pelo fútil facto de possuir, de ter,
seja o que seja, seja o que for,
um título de licenciado, de doutor,
adquirido com sacrifício, trabalho
alcançado com a carteira, comprado,
em qualquer universidade,
das de mentira, das de verdade,
que pululam por este país
semeiam, na raiz,
multidões de desempregados,
ilusionados, deslumbrados
pelos canudos de iletrados
que os chegam a convencer
que vão mudar este Mundo,
onde há tanta gente a sofrer
com vencimentos, sem fundo,
pelo “leasing” exacerbado
que lhes é, ilusoriamente, ofertado
pelos façanhudos banqueiros,
espertos, ronços, matreiros,
que se estão nas tintas, borrifando,
p´ós homenzinhos motorizados,
dos télé-lés aos montões,
com muitas ou poucas razões
mentes entorpecidas, confusas,
pela rádio, pelos concertos, pelas televisões,
pelas ofertas de moda, aos milhões,
que os endividam cada vez mais
os fazem burros, obtusos,
estes pobres jovens, cobaias radicais,
geração de Abril, meninos lusos,
da papinha feita, cueiros mudados,
criancinhas curtas de pensamento,
etéreas, voláteis como o vento,
que pretendem parar o tempo
não querem complicações,
dum casamento a sério, de obrigações,
de filharada, numa casa não paga,
que se divorciam por nada
para poderem curtir uma vida,
que se lhes escapa,
porque ela voa, não é comprida
se sujeita a ficar estragada!!!...


…Sherpas!!!...


23
Abr04

...sonhar!!!...

sherpas
Sonhar


Escrever versos, rimando,
sem ter muito que pensar,
é dormir sem estar sonhando,
é chorar, estando a cantar.

P´ra fazer bela poesia,
num instante, num arrepio,
sem milagre, é fantasia,
sem um sonho, é desafio.

Escrevemos, rimando,
quando estamos inspirados,
quando estamos pensando,

quando estamos p´raí virados,
mais a dormir, sonhando,
do que realmente acordados!...



...Sherpas!!!...


22
Abr04

...missa!!!...

sherpas
Missa


Uma missa que se ouve,
uma fé que nos acompanha,
um princípio que se trouxe,
uma voz, uma alma, uma chama,
um momento, uma espiritualidade,
um templo, um cura, um ambiente,
umas rezas, uma palavra, uma verdade,
um bem estar, um calafrio que se sente,
uma companhia, uma protecção,
uma fragilidade de quem é gente,
um afago interior, uma oração,
uma paragem, um instante, um repente,
uma pausa, um abraço, um irmão,
um mistério, um ritual que se repete,
um alimento essencial, um manancial,
uma forma de convencimento,
algo que nos suplanta, sobrenatural,
um relembrar do passado, sofrimento,
uma cruz, um pesar, um nosso igual,
uma missa, uma pausa, um momento,
uma tristeza, uma alegria, um evento!...


…Sherpas!!!...
22
Abr04

...em regressão...não há evolução!!!...

sherpas
…a liberdade, desde que o queiramos, desde que façamos por isso, pode ser mais perfeita, de acordo com o ser humano, o bem formado, o solidário!!!...

…respeitando quem discorda nalguns pontos ou a inteiro, em regressão, não há evolução…e se, por acaso, existir é em desequilíbrio, uma autêntica perversão…

…evolução, em regressão,
é caricato, ridículo, insensato,
palavrão, mais que estudado,
confusão, para o incauto,
antítese da revolução,
da que se continua,
na cidade, na vila, na rua,
a que modifica, melhora,
a sociedade que chora,
a que implora, a que geme,
a que tem fome, a que teme,
ontem, amanhã, agora,
a que se pôs de lado,
a que está esquecida,
entristecida, vencida,
contristada, mais que explorada!!!...

…pobres coitados, bacocos,
convencidos, com seus enganos,
engrandecidos, tamanhos,
deslumbrados, com seus pecados,
anões, de trazer por casa,
políticos de algibeira,
doces cantigas, tristes fados,
ambição que tudo arrasa,
num negócio, numa feira,
encapotados, à socapa,
bem longe da ralé,
como quem foge, quem escapa,
sem ser de boa fé,
num amanhanço constante,
aviltamento gritante,
esquecimento do dever,
num autismo aflitivo,
egoísmo puro, vivo,
por um ter, por um haver,
materialismo que se avulta,
com senso, com…muita culpa!!!...

…esperança num porvir,
numa revolução prometida,
numa gente mais igual,
num dia que há-de vir,
numa ilusão, mais que sentida,
sem subterfúgios, sem mal,
apoiando o desgraçado,
o mísero, o desempregado,
dando-lhe a mão, com jeito,
numa revolução, a preceito,
numa evolução…com respeito,
sem palavras fáceis, sem enganos,
com sonhos, realidades,
sem mentiras de vários tamanhos!!!...

…que seja revolução, que haja evolução,
que se rejeite o embuste, a hipocrisia,
o populismo risível, caduco,
pondo de lado a demagogia,
o charlatão…o eunuco!!!...

…que seja REVOLUÇÃO!!!...

…mas, quem sou eu???...Sherpas!!!...

21
Abr04

...janela!!!...

sherpas
Janela


Era transparente e bela
aquela abertura, a janela,
da casinha sorridente,
implantada na vertente
da colina bem airosa,
toda verde e formosa,
salpicada de vários tons,
muitas cores, berrantes,
bem gritantes e sem sons,
moradia de navegantes,
ausentes, noutros rumos,
em mares muito distantes,
em oceanos sem fundos,
com seres horripilantes,
que metiam dor e pavor
aos valorosos mareantes,
donos daquela casinha,
lá em cima, na colina,
que tinha uma abertura,
mui singela, muito pura,
uma formosa janela,
tão transparente e tão bela!...


…Sherpas!!!...
20
Abr04

...revolução ou...evolução???...

sherpas



…foi revolução???...Certamente que foi revolução, uma quebra de grilhetas, de fortes correntes de aço, amarras cruéis, indignas que, durante décadas, mais de quatro, tudo perverteram, tudo negaram, a um Povo inteiro, a uma Nação fechada ao exterior, pequena, porque sempre o foi, explorada por caciques autistas e repimpados nos cumes do Poder, megalómanos extensivos ao Mundo, para lá das fronteiras, para lá dos mares, no que era deles, nas suas profundas, imensas ganâncias, o chamado Ultramar, colónias mantidas com o esforço de populações escravizadas, as que se revoltaram e criaram guerra, os terroristas de então, os que quiseram dizer não, os que lutaram pela liberdade do que lhes pertencia, da terra dos seus avós, contra quem, contra tudo e contra todos, com a obsessão da época, a do colonialismo, enviaram carne para canhão, durante anos, os combatentes forçados, vítimas desses algozes ferozes, os do passado, caricaturas, impuras e duras, num contexto, fora de toda a razão…sem alma, sem coração, única opção, quanto a eles… pois então!!!...

…maltratados na terra que os viu nascer, nas terras de além-mar, tão recordadas, com saudade e pena, por tristes figuras, agora no Poder, sombras gastas e descoloridas, hipócritas e fingidas, nascidas em berços de oiro, de mentes destorcidas, caricatas, compungidas…sem senso, sem consciência, dura excelência, jactante e excrescente, pouca gente, carrasco descendente doutras gentes, doutras mentes, de tantos povos, os espezinhados…mais que maltratados, por terras do Ultramar!!!...Quantos mortos, quantos esquartejados, sem pernas, sem braços, quantos pesadelos, de pôr em pé os cabelos, fantasmas, horrores, tantas dores, tantos gritos dilacerados, tantos ódios, terrores de todo um passado…os de triste memória, vergonhosa história!!!...Imposições, mais que muitas, abusos, aos montões, arbítrios e desmandos, de meia dúzia de pavões, de meia centena de cinzentos, com espaventos, sós, num Mundo, posto de lado, isolados, soberbos, arrogantes, anões, feitos gigantes!!!...A juventude fluía, despejava-se, de qualquer maneira, de barco, por avião, com uma missão, matar, esquartejar, dilacerar corpos e almas, doutras gentes, os terroristas do Ultramar, sujeitos, a tempo inteiro, naquele grande formigueiro, como qualquer guerreiro, rapaz pobre da aldeia, da vila do interior, doutor ou professor, de arma em punho, na mata densa e escura, no trilho, na picada, na explosão da mina que rebenta, fim da vida, vida marcada, um nada, pouca coisa…carne para canhão!!!...

…era a obsessão, era a confusão, era o império que, aos poucos, se desfazia, triste ideia, triste mania!!!...Aberração!!!...Por cá, como sempre, analfabetos por todos os cantos, pendentes de um aerograma, notícias dum filho, dum marido, dum neto, lidos pelo vizinho, homem de poucas letras, tempos de poucos saberes, de ignorâncias tremendas, afastados do Mundo, mudos e calados, vigiados por todos os lados, contidos, mantidos, pobres progenitores, sacrificados, explorados pelos dos dinheiros fáceis, os donos das terras, os donos de tudo, meia dúzia, meia centena…uma tristeza, uma pena!!!...Claro que foi uma revolução!!!...Foi mais que justificada, ansiosamente esperada pelos que, de tudo, não tinham nada, só a vida, a utilizada, como trabalho forçado, custoso e mal pago, como armas de arremesso, em terras distantes, nas colónias, neste pequeno País, anão, fazendo de gigante, uma ilusão, tremenda frustração…aberração!!!...

…todos desconfiávamos, todos sentíamos que algo ia mal, que Angola não era nossa, como apregoavam, como cantavam, nem a Guiné, tão pouco Moçambique…muito menos a longínqua Índia, tal como Timor, doce amor e outras terras, distantes, espalhadas pelos confins do Mundo, num Império de brincar, onde alguns se forravam, abusavam…a seu modo, a seu jeito mas, quem sou eu???...

…impunha-se e…deu-se, numa alvorada, num vinte e cinco de Abril, num ano que se não esquece, uma fronteira entre a imbecilidade, a falta de verdade, a ditadura, pura e dura, a que se tenta escamotear, burilar, por meio de alguns abortos, parcos escolhos, figuras de pouca monta, as que nos afrontam, pequenas minudências, extravagâncias que persistem, que insistem, que enganam, que baralham…porque querem retroceder, inflectir, regredir!!!...Pobres coitados!!!...Tristes bacocos!!!...


…claro que foi revolução!!!...Qual evolução, qual carapuça???...Na continuidade???...Que disparate!!!...Claro que algo se fez!!!...Muito mais haveria de se ter feito, com os milhões, os fundos perdidos, os mal parados, os desviados, tanto agora, como dantes, para prejuízo, para atraso, dos de sempre, deste Povo, o enganado, o que espera mais, o que foi e é abusado!!!...Estão em dívida para com ele, uma dívida enorme, a da fome, a da utilização incessante e cruel, de vidas, de gentes, impunemente, a da escravização permanente, durante décadas, a da ignorância mantida e alimentada, propositadamente, a da exploração sistemática, gritante, a da injustiça, a da indiferença, a da mentira, a da hipocrisia, a da fantasia, a do sonho prometido e logo negado!!!...Estão em dívida com ele, ainda não a pagaram, não se vislumbra, o acerto de contas, de boas contas, em paz, com verdade, desde há trinta anos que o prometem, desde há trinta anos que houve uma revolução, repito, uma REVOLUÇÃO que, para mal dos de sempre…ainda se não deu, porque… continua!!!...


…a evolução foi…natural, com o tempo, deu-se, sem sobressaltos, desequilibrada, mais para os mais, quase nada, para os menos, não vale fazer batota, não vale fazer cabeças, as dos simples, com mentirolas, com migalhinhas, com umas esmolas!!!...Na Europa, continuamos sendo, o que sempre fomos, os mais pobres, os mais tristes, os mais desvalidos, os mais calcados, os mais desprezados!!!...Somos primeiros…pelas piores razões, já estamos habituados mas, não calados!!!...Certamente que queremos evolução…onde está ela???...Que venha…aguardamo-la, ansiosamente, nestes dias que antecedem a REVOLUÇÃO, desde há trinta anos!!!...Não pode haver evolução com meio milhão de desempregados, com dois milhões de pobres, com meio milhão de miseráveis, com educação de rastos, com segurança social precária, com saúde, por um fio, com injustiças, mais que muitas, com reformas de tostões, com desequilíbrios aviltantes, uns com muitíssimo, outros com quase nada, com aumentos de um maço de cigarros, por mês, com demagogos no Poder, com populismos baratos, com incumprimento de promessas, com políticos forrados, com ricos, mais ricos, ainda, com bancos e seguradoras com lucros fabulosos, com fujões ao fisco, os dos milhões, com negociatas do arco-da-velha, com manipulações de défices, de informação, publicidades enganosas, todo um rol de disparates…constantes, continuados!!!...Não, meus amigos, a evolução foi tímida, pequena e, acompanhando os tempos, porque sim…natural e em relação a alguns, poucos, porque, no geral, continua revolução…a que se não deu, só se prometeu, por completo!!!...Com cravos, com humildade, com verdade, com amor pelo próximo, pelo mais desgraçado!!!...Tudo o resto são…tretas e amanhanços, à vista dos mansos, dos brandos, dos de sempre!!!...Mas, quem sou eu, pergunto e…torno a perguntar???...Sherpas!!!...

Pág. 1/4

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2005
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2004
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D