Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sherpasmania

... albergue de poemas, poesias e... outras manias, bem sentidas, por sinal!!!...

Sherpasmania

... albergue de poemas, poesias e... outras manias, bem sentidas, por sinal!!!...

30
Jun04

...foi...puro acaso, simplesmente!!!...

sherpas
…o Poder!!!...Ah, o Poder!!!...Exclamava ele, com a boca escancarada, com os olhos esbugalhados…completamente transfigurado!!!...Há pessoas assim e…muito mais, por causas relacionadas com milhões, dinheiros aos montões, pelo Poder, tão frágil, tão fugaz, ilusório, como se nada…de tudo são capazes!!!...


…foi, por acaso, podem crer… aliás, tudo quanto escrevo é, por vontade própria, puro realismo, acasos do dia-a-dia, coisas que se passam comigo!!!...Nestas escrevinhadelas, claro!!!...Nas poesias de brincar, as minhas, é diferente, são momentos de introspecção, interioridades, pouco profundas, um querer brincar com…as palavras, versejando, a meu jeito, pois então…sem pretensões, como em tudo!!!...Sou assim!!!...

…tinha ido às compras ao super-mercado, actividade que faço, com frequência e…parece mentira, nem a propósito, também comprei o leite, o tal!!!...Quando me dirigi para a Caixa, para efectuar o pagamento, logo a seguir a um indivíduo, para a minha idade, mais ou menos…a propósito dumas palavras, dele, em voz alta, fiz o meu comentário, desatou-se-me a língua, como se nada, naturalmente!!!...Veio à superfície a minha faceta de provinciano, alentejano puro, fechado, de início…um fala-barato, depois, aberto, sem peias…com o coração na ponta da língua, com franqueza total, por vezes, para meu mal… porque me prejudico!!!...

…palavra puxa palavra, a conversa gerou-se, alongou-se, tornou-se acesa, interessante!!!...Com os sacos das compras nas mãos, tanto ele, como eu…lá fomos, depois de termos pago, ao longo das lojinhas, já fora da superfície comercial!!!...Parando aqui, parando acolá, abrimo-nos, os dois, como se nos conhecêssemos, desde há muito!!!...E, não sei se por influência, da crise, das trapalhadas, das molhadas dos políticos, a conversa virou para aí, simplesmente!!!...Foi então que, com todas as letras, com todas as verdades, de que foi capaz, o meu interlocutor se abriu e…me confessou que, tal como eu, era reformado, que conhecia os políticos, bastante bem, por sinal, pela profissão que desempenhou, aquando no activo, de todos os quadrantes, que ficou farto deles, que bastante lhes aturou!!!...De todos os quadrantes, não tinha saudades de nenhum, não nutria consideração, senão por dois, mais humanos, homens direitos, simples, a preceito, não ofuscados pela posição, a de momento!!!...

…tinha sido segurança, guarda-costas, tanto cá, como no estrangeiro, tinha-os acompanhado, em hotéis de classe superior, em automóveis, em aviões, tinha-lhes aguentado as suas manias e alguns…valha-me Deus, dizia ele, metiam nojo, pelas manias, pelas superioridades, pelos medos, mais que muitos!!!...Agora, àqueles dois, devo-lhes muito, pelo trato, pela deferência, pela educação, pela maneira respeitosa com que me tratavam!!!...Um foi, no passado, oficial superior, Presidente da República e, tal como ele, a senhora…uma simpatia!!!...Confesso que, quando ouvi o nome da excelência não me espantei, admiti que sim, embora não fosse, na altura, muito do meu gosto!!!...O outro, boçal, franco, aberto, ministro competente, de várias pastas, honesto…sem peneiras, puro!!!...Um amigo, me dizia!!!...Como, em tempos tive o gosto de o cumprimentar, pessoalmente, num encontro casual, quando fazia, como eu…compras, tal cidadão normal, vulgar, tive de concordar, inteiramente!!!...Deste último, tenho a mesma impressão!!!...

…não cito nomes, seria incorrecto, da minha parte, vulgarizar uma conversa dum ex-segurança pessoal, guarda-costas reformado, farto dos políticos eleitos, dos que, quando no Poder, se transformam, se deslumbram, se tornam insuportáveis, no trato com os anónimos, deste Povo, que os servem, por vezes, quase sempre, como empregados chegados, como eleitores, como cidadãos, numa democracia qualquer, a quem não respeitam, machucam, desprezam, como se nada!!!...Ouvi outros nomes sonantes, ainda na berra, ainda no alto, fiquei mais esclarecido, mais convencido que, ainda há bacocos aos montões em lugares que…pelos defeitos, pelos feitos, não merecem ocupar!!!...Podem crer, afirmo-o mais uma vez, o que lhes relatei…aconteceu, foi um facto, não é treta!!!...Abraço do Sherpas!!!...
29
Jun04

...e viemos...por ali fora!!!...

sherpas

…e viemos por ali fora, entrámos na Itália, estivemos em Milão!!!...Assistimos às discussões políticas dos Milaneses, visitámos a imponente catedral, eu não, estava em calções…fiquei sentado nos degraus, à porta!!!...Os italianos, quanto a isso, são radicais, muito formais!!!...É com eles, claro!!!...Na grande praça, frente à Catedral assisti a uma cena, que me deu pena!!!...Um pombo tinha sido cilindrado pelo rodado dum automóvel e…a companheira, a pomba, coitada, ali ficou, tempo infinito, parada, como que chorando, fazendo pranto, pelo seu companheiro, o atropelado!!!...Ainda dizem que os animais, os outros, os ditos de irracionais…não sentem!!!...Tretas!!!...Tomámos um expresso italiano, uma bica curta e…num restaurante, comemos pasta, à la milanesa!!!...O empregado fez tudo, como bom italiano, como bom funcionário!!!...Deu-nos a comida, quase que no-la fez engolir, pagou-se e…pôs-nos a andar, de seguida!!!...Nunca tinha visto nada assim!!!...Tanta competência, tanta presteza…profissional a sério, à italiana!!!...

…por outras cidades passámos, de culto, de religião, de mosteiros, de santos, de frades até que avistámos Veneza!!!...Para lá chegarmos, ao centro, à Praça de S. Marcos, tínhamos de tomar um barco, o que fizemos, depois de termos deixado o carro e as tendas, já armadas, num parque de campismo, em terra firme!!!...No barco, por desconhecimento, sem bilhetes, calculando, como dizia o meu amigo que, talvez por greves, não nos vinham cobrar os bilhetes, lá fomos radiantes e…sorridentes!!!...Não pagámos…na ida!!!...Ficámos encantados com o entorno, com a Praça de S. Marcos, com os canais, com as pontes, com os cafés com as esplanadas e os violinos, com as gôndolas!!!...Foi um dia bonito e, quando regressámos, por desconhecimento, sem bilhetes, calculámos que…a dita greve, continuava, eis senão quando, um fiscal se aproximou!!!...Pediu-nos os ditos e, como não os tínhamos, fomos multados, pagámos a dobrar!!!...Coisas que acontecem, por falta de informação, a que não buscámos!!!...Aprendemos!!!...

…mais uns dias com os italianos e rumámos para a antiga Jugoslávia!!!...Logo no início, numa terra simpática, fomos almoçar a um restaurante que tinha, nas imediações, muitos camiões TIR, os da altura!!!...Segundo o meu companheiro…era um bom indício!!!...Costumam, os referidos, frequentar locais que os servem bem!!!...Conclusão acertada!!!...Comemos umas belas bifanas, em quantidade, bem regadas!!!...Baratinho, comparando com Países por onde já tínhamos passado!!!...Foi um bom começo!!!...Parámos em Postojna e, não me esqueço, visitámos as grutas!!!...Com um impermeável, num pequeno comboio, lá nos enfiaram, sempre para o fundo, numa viagem alucinante, com outros viajantes!!!...Quando parados, tremenda catedral subterrânea!!!...Imponentes, soberbas…as estalactites, as estalagmites, os fios de água, os lagos, os tons, os recantos!!!...Experiência única…a das grutas de Postojna!!!...

…parámos e contactámos com pessoas de Rijecka e de Ljublejana, admirámos o litoral, com muitas ilhas, frondosas e com casario, cenários admiráveis!!!...Naqueles tempos, as populações…à primeira vista, entendiam-se!!!...Mal adivinhávamos, o que se iria passar naquele País, um dos muitos que, logo após a segunda guerra mundial, foram feitos com régua e esquadro, de qualquer maneira…logo entregue ao Tito, me parece!!!...Deu…no que deu!!!...Comprámos umas recordações…com as moedas que nos iam sobrando, que mantenho, desde então, como preciosidades, em minha casa, pois então!!!...

…depois… bem, depois, passados que foram cerca de trinta dias, fomos regressando, umas vezes pelos mesmos passos, outras, não…aos poucos, com vontade de recomeçar, de novo, outra vez!!!...Viajar…é bom, quando se pode, quando se tem vontade!!!...Turista…sofre!!!...Abraço do Sherpas e BOAS VIAGENS!!!...
29
Jun04

...políticas internas...desprezadas!!!...

sherpas



…a política interna, deixou de ter interesse, é secundária, pelo que tenho lido, pelo que tenho ouvido, conclui que…estamos sujeitos a sobras, simples migalhinhas que, os do bando maioritário europeu, o P.P., direita extremada ou não, nos queiram ofertar!!!...Os políticos, Durão, Santana, qualquer do P(SD), bem como os pontinhos insignificantes dos apaniguados do Portas…não têm qualquer valia, não têm qualquer expressão!!!...São simples serviçais de quem…manda mais!!!...Políticas de direita, com algum significado em Países desenvolvidos, sem pobreza, sem miséria, devidamente contidas…não servem neste cantinho, o nosso, com muitos laivos, profundos abismos… disso e de muito mais!!!...Razão pela qual, as recentes políticas de Durão, não as dele, as dos patrões do dito, não se enquadrem, na nossa triste realidade!!!...Razão pela qual, teimam em tratar dos telhados, desprezando, porque assim os mandam…os alicerces, aos que não ligam, aos que colocam de lado, aos que viram costas, como se nada!!!...É tempo de acabar com políticas erradas, erráticas, desajustadas que…não prestam, simplesmente!!!...Ao SOCIAL, essas políticas insensíveis, costumam dizer NADA!!!...Resumem-se a cuidar dos seus imensos capitais!!!...Não somos assim, não nos queremos desse modo…somos pobres mas, com sentimentos, solidários!!!...

…mal comparando porque, legais, devidamente implantadas no sistema, no democrático, com leis, muitas, para todos os casos, para todas as coisas, as famílias europeias, de direitas e de esquerdas, fazem-me lembrar, por vezes a saga da Máfia, dos filmes do Marlon Brando, do Al Pacino…no tão conhecido, Padrinho!!!..Nós, portugueses, no meio de tudo isto, não passamos do que somos, simples parentes pobres, direitistas forçados, por imposições…de trapo no pé, mais que descalços, a quem, vezes por outras… dão alguns tostões!!!...Depois, bem…depois, os ditos, ficam-se pelas cúpulas, pelos ricos!!!...Os carentes continuarão carentes, típicos, direi, como paisagem triste, amarga, como um fardo…aos que não ligam, aos que exterminam, com sobranceria, com desprezo, com indiferença até, a quem exploram, a quem dão… pouca esmola!!!...

…continuando com comparações, não por mal, nem com intenções, malévolas, da minha parte…tal como nos campos de concentração, nos tempos brutais do nazismo… por cá, colocam alguns Kapos, a quem dão directrizes que, subservientes, seguem, massacrando o próprio Povo, como se nada!!!...E, é ver o caminho que isto toma, em todos os campos, em todos os sectores!!!...Não temos nada e…o pouco que tínhamos, está desfeito, quanto a pescas, a agriculturas, a comércios, a industrias e…a turismos, pois então!!!...Neste último, mais tarde, com greens, com hotéis de classe superior, para esses senhores, os patrões das famílias direitistas, extremadas ou não, os verdadeiros donos do País que, para nosso mal, não é nosso, ainda serviremos para alguma coisa, tal como o Durão…no posto que lhe dão!!!...Seremos, como somos, um couto muito privado a quem darão, aos poucos, umas migalhinhas, quase nada, que se ficarão pelas ramas, como sempre!!!...Triste destino…um desatino!!!...Qual honra, qual carapuça, simples paus mandados, títeres, como o Prodi e outros tantos, os que terminam, simples figuras decorativas…da família direitista, extremada, ou não!!!...

… que reúne consensos, muito alargados, dizem!!!...Dos galinfões, dos patrões, dos donos mais que assumidos, desta Europa de várias velocidades…de tristes realidades!!!...Não sou contra a Europa, antes pelo contrário, mas penso e esvrevinho, na mesma linha, na da coerência, com que me rejo, claro…em relação a um belicista, com fotografia e tudo, lá na cimeira, na dos Açores…profundas dores, tantas… um incompetente, com a nossa gente, um prometedor de promessas, não cumpridas, praticando políticas, as que lhe mandam fazer, ao invés, ao arrepio dos quereres, das vontades, das populações, pacíficas, boas gentes, maltratadas…pequenos nadas!!!...

…estamos nisto, estamos assim, enganados, sem identidade própria, numa Europa, na qual não nos revemos, descalços, de trapo no pé…direitistas forçados, ludibriados!!!...Sherpas!!!...
28
Jun04

...miseráveis???...Não!!!...Fundações!!!... 6

sherpas
…quando, por ali…passo, ainda os há, em muitos lados, os tais bairros de lata, barraquinhas de cartão, de tijolos desviados, de tábuas, de latão…encostadas, umas às outras, a medo, com medo…delas próprias, com vergonha de se mostrarem, de se verem, recuadas, ali ao pé…mesmo em frente, perante os nossos olhos, escancarados, de espanto, condoídos, sofridos, com pena, com dó, num terceiro mundismo constante, gritante, aviltante, nesta Europa em que nos encontramos, a quem mostramos…sem pejo, nossas misérias, pilhérias, impossíveis nas cabeças dos que…não querem crer, não querem ver, porque não!!!...

…quando, por ali…passo, tento esquecer, tento não pensar, tento não escrever mas, podem acreditar, sinto dor, sinto um aperto, uma grande necessidade, de falar verdade, de apresentar…a realidade!!!...Políticas de direitas…num País terceiro mundista???...Não!!!...

…abraço do Sherpas!!!...

27
Jun04

...continuando...pela Bélgica!!!...

sherpas
…na Bélgica, espanto nosso, na Grand Place, em sítio de destaque, um restaurante português!!!...Acercámo-nos, entrámos e tivemos o privilégio de trocar umas palavras, no nosso idioma, com o dono e, mais tarde, com um empregado, compatriotas nossos, pois então!!!...Mais tarde, estivemos lá, noutra viagem que fizemos, do género, passados que foram mais de vinte e tantos anos, a almoçar, de novo, falando com o mesmo dono…já nosso conhecido, do recuado!!!...Ainda visitámos um emigrante, da nossa terra mas, por pouco tempo!!!...O coitado tinha de se levantar cedo…para ir trabalhar!!!...Já tínhamos ido prestar homenagem ao pequeno boneco, naquela fonte original, o da pilinha na mão, sempre com fatinhos novos, para cada dia… um, diferente!!!...Tínhamos estado no Atómium e…fez-se noite, sem parque de campismo, em pleno centro de Bruxelas, numa avenida qualquer, desconhecida!!!...Arrumámos o carro, o meu amigo abriu o ninho de águia e eu, com a minha mulher, dormimos no interior do carro!!!...Passou-se!!!...Ah, a juventude, os poucos anos, os que tudo permitem, claro!!!...

…e estivemos em Roterdão, em casa dum amigo holandês, amigo dos meus amigos!!!...Fomos bem recebidos, obsequiou-nos com o que tinha, levou-nos a almoçar, num restaurante simpático, em zona de terras baixas, as recuperadas!!!..Partimos para Amesterdão!!!...Quando chegámos, ficámos extasiados, com os canais, com as casas, com as bicicletas, com o movimento, com o sossego!!!...Fomos a um parque de campismo e, pelo que vimos, logo recuámos!!!...Ali, não!!!...Havia muitas canadianas e…em frente de cada uma delas, numa posição relaxante, como que meditando, com as pernas cruzadas, olhar vago, apalermado, frente a uma velinha acesa…muitos jovens, fumando…um charrinho, um porro, o que lhes queiram chamar!!!...Eram os tempos da liberalização das drogas ligeiras, a todo o gás!!!...Tememos por nós e…continuámos viagem!!!.. Antes ou depois, ainda fomos a Berlim, estivemos junto à igreja da memória, aquela que se mantém destruída, quando ainda estava dividida pelo muro!!!...Na federal, num parque de camionistas, numa noite, à falta de outra solução, a mais cómoda, a mais indicada, mais uma vez…o meu amigo, no ninho de águia, enquanto nós, os da canadiana…no carro, pela segunda vez!!!...

…passámos pelas portas de Brandenburgo, fomos à República democrática!!!...A passagem foi um pesadelo, com tantos olhares, desconfiados, com tantas armas em punho, com tanques de guerra, bem posicionados, ao longo dum corredor que se afunilava!!!... Olhavam os passaportes, olhavam-nos a nós, uma e outra vez, com insistência, com olhar feroz mas…passámos!!!...E, o que vimos, pelas estradas, o pouco movimento, os carros a cair de velhos, todos ou quase todos iguais, as casas degradadas, a cair aos bocados, sem vida, paradas… ou quase!!!...Tínhamos regredido, no tempo, tínhamos parado!!!...Lá chegámos a Liepsig, demos umas voltas e condoemo-nos pelas penúrias, nos cafés, nos comércios, nas esplanadas, no movimento, pela caça de dólares, à socapa, a medo, dos residentes!!!...Por curiosidade, entrei num hotel do centro!!!...Fiz-me interessado, entrei e…perguntei preços de quartos, enquanto ia observando, vendo, com olhos escancarados!!!...As recepcionistas, raparigas jovens, prematuramente envelhecidas, sem sorrisos, máscaras assumidas…um dó!!!...Regressámos à democrática…contristados!!!...
...foram mais umas centenas de quilómetros e fomos acampar num parque divinal, na Alemanha, junto a um grande lago, imenso, com barquinhos à vela…um espanto!!!...No dia seguinte, lembro-me, como se fora hoje!!!...Era cedinho e, como tínhamos por objectivo a Áustria, mais precisamente, aquela preciosidade, Salzburgo começámos o dia comendo, à portuguesa…com um prato de bacalhau com batatas e ovos, bem regado, com vinho tinto!!!...Os vizinhos das nossas tendas, de várias nacionalidades, sorriam e…arregalavam os olhos, surpresos, com sorriso e ditos, evidentemente!!!...E nós…como se nada!!!...Antes de entrarmos na Áustria, me parece, não recordo bem, ainda fizemos, mais uma vez, campismo selvagem, em plena Alemanha, junto a uma mata escura, escusa…confesso, tivemos medo, falo por mim e pela mina companheiro!!!...Deitámo-nos, com o credo na boca!!!...Mas…não passou nada!!!...

…Salzburgo, que maravilha, que encanto, que doçura!!!...Já lá fui, outras vezes mas…a primeira, ficou-me gravada, no olhar, no espírito, no coração!!!...Ficámos maravilhados, em êxtase profundo!!!...As viagens têm destas coisas!!!...Dão-nos muito…mais do que esperamos, surpreendem-nos!!!...Dali, para a Suiça, estivemos em Géneve, junto ao lago, o do repuxo, num dia esplendoroso!!!...Quanto usufruímos, quantas fotografias, quantas risadas, quanta disposição!!!...Sumo prazer o meu, quem conduzia era eu, quando atravessámos o túnel do Monte Branco, quanta emoção, experiência gratificante!!!...Em plenas alturas, com frio, não de rachar…algum, acampámos num espaço ao lado da estrada, com canadiana montada e tudo!!!...Quando nos deitámos, estávamos sós!!!...No dia seguinte, em tendas e roulotes, tínhamos muita companhia!!!...Foi um despertar risonho, no meio de muito paleio, com muito inglês, espanhol, francês, algum português!!!...Éramos turistas…viajantes da aventura!!!...Por aqui me fico…qualquer dia, conto mais, sobre esta minha primeira grande viagem!!!...Alguns nomes, de alguns lugares, de alguns sítios…podem estar, porventura, ortograficamente errados mas, quando me ponho a desfiar, as recordações, das minhas viagens, sou compulsivo e, em frenesim aloucado, não paro, não me dou ao trabalho de certificar…se está certo, se está errado, defeito meu, algum receio…de perder…a embalagem, não invólucro, antes, rapidez!!!...É como sai…com imenso prazer, podem crer!!!...Abraço do Sherpas e…BOAS VIAGENS!!!...
26
Jun04

...continuando...a viagem!!!...

sherpas


…e, continuando, dando seguimento às minhas recordações, as de há vinte e tantos anos atrás, nessa grande primeira aventura, com as suas peripécias, como já disse!!!...Como posso eu esquecer, o meu primeiro parque de campismo, logo no início da Inglaterra, debaixo duma chuva teimosa, insistente, renitente… tentando armar a canadiana, molhados que nem uns pintos, encharcados!!!...Lá o conseguimos, lá entrámos, lá nos deitámos e…dormimos, cansados mas, consolados, com sonhos cor-de-rosa, pelo que já havíamos visto, pelo que havíamos desfrutado!!!...No dia seguinte, levantámos arraiais, com armas e bagagens, rumo a Londres!!!...Encontrámos um parque, nas imediações da capital, com árvores frondosas, recepção digna, do melhor, tipo casa rural senhorial, com green extenso, adequado…um encanto!!!...Ficámos decepcionados com as casas de banho, os sanitários, mais precisamente, coisa esquisita, nunca vista, até então!!!...Em lugar de sanitas, víamos baldes, com tampa, para poisar o dito cujo e…lá no fundo, a boiar, não vale a pena comentar!!!...Com algum produto químico, evitavam os cheiros mas…as vistas, eram de esquecer!!!...Enfim, coisas de quem anda por paragens estranhas, diferentes!!!...

…lá nos habituámos, chegou a noite, dormimos e…no dia seguinte, manhã cedo, num autocarro inglês, very tipical, de primeiro andar, lá fomos, rumo a Londres, onde nos instalámos num hotel modesto, com intenção de, no dia seguinte, assistirmos, frente ao Palácio, o da Rainha, ao render da Guarda!!!...Lá vimos, lá nos regalámos, mesmo em frente, aos pés da estátua, em honra da Victória, the Queen!!!...Mais nos adentrámos, mais tarde, já de carro, lá nos perdemos, lá nos encontrámos, mediante ajuda preciosa, dum amável inglês…que nos pôs, mesmo a jeito na M (???...) a que nos conduzia ao norte, com destino à Escócia, claro!!!...

…e, como em todos os dias, fez-se de noite!!!...O pior foi o local, a auto-estrada, no meio de tudo, no meio de nada!!!...Grande ponto de interrogação…em relação a Parques de Campismo!!!...Perguntar a quem…nem vivalma, ninguém, nem um carro, confusão, atrapalhação total!!!...Coisa de momento, pois então!!!...Como portugueses, desenrascados, derivámos… saímos, fomos para outro lado, para uma estrada secundária!!!...Arranjámos um espaço e, pela primeira vez na vida, fizemos, pelo menos eu e a minha mulher, campismo selvagem, a medo…com receios vários!!!...Dormimos que foi um regalo!!!...No outro dia, frescos quem nem alfaces, acabadinhas de regar…lá fomos, rumo a norte, à Escócia!!!...

…depois, em Edimburgo, extasiámo-nos com tanta beleza, com tanta maravilha e…num dado momento, vindo dum profundo vale, ouvimos música de gaitas de foles, concertadas, em harmonia!!!...Era um grupo de guardas escoceses que desfilaram perante os presentes, tocando a seu jeito, a preceito!!!...

…de regresso ainda estivemos em Londres e, na Oxford Street, bati um papo, utilizando o meu fraco inglês, com um senhor de idade, reformado da marinha mercante, pai duma colega minha, duma professora, como eu que, simpatia a dele…dizia que me expressava muito bem, na língua dele!!!...Há pessoas assim, de qualquer nacionalidade, compreensivas, bem formadas, pródigas, no que dão, quando connosco falam, quando, benévolas… com o próximo, claro!!!...Ainda em Inglaterra, onde entrámos debaixo de grande chuvada, antes de atravessarmos o canal, de regresso a Calais apanhámos uma granizada, com calhaus de gelo, do tamanho de ovos de galinha!!!...Deixaram marcas…no carro!!!...Lá viemos para França, lá acampámos, mais uma vez, num milheiral, sob um manto de gafanhotos que se abateu, por instantes, por momentos…de passagem, não causaram dano!!!...Nessa noite tivemos companhia de duas roulotes, de dois casais gauleses, simpáticos, confraternizadores!!!...Por hoje…fico-me por aqui, relembrando… essa grande viagem, a primeira, vai para vinte e tantos anos, atrás!!!...Abraço do Sherpas e BOAS VIAGENS!!!...


26
Jun04

...trabalho!!!...

sherpas
Trabalho


Corpos que se arrastam,
espíritos ainda fechados,
sonhos que se afastam
pelos alvores já clareados,
pelo dia que se aproxima,
pela tarefa que se avizinha,
pelo que lhes cai em cima
no escritório, na oficina,
na labuta árdua, dura,
no campo, no mar,
na escola, tão insegura,
onde se aprende a gostar
deste Universo tão diverso,
destas gentes impessoais,
do que está perto, disperso,
de nós, dos outros, dos pais,
onde começamos a ser,
sombras pálidas, irracionais,
que se arrastam, sem saber,
como os outros, como os mais,
para a rotina infinita,
para o trabalho necessário,
para a vida que nos agita,
como as contas dum rosário
dum santarrão convicto,
nas regras dum desafio,
no som agudo dum apito,
dum árbitro sisudo, apto
que segue a bola chutada
pela ponta dum sapato,
interrompendo a jogada
que adoça os espíritos fechados
dos corpos que são arrastados,
numa contradança diária,
excepto domingos, feriados
numa nuvem imaginária,
da realidade dura, cruel,
sem piedade, sem quartel!!!...


…Sherpas!!!...
25
Jun04

...miseráveis???...Não!!!...Fundações!!!...

sherpas
…quando, por ali… passo, nas ruas estreitinhas, ladeadas por casas velhas, arruinadas, muitas delas, com rachas bem avultadas, descoloridas, sem tinta, no osso, pouco vejo, pouco oiço mas, com insistência, com mais permanência, com atenção redobrada, consigo lobrigar…pessoas idosas, enrugadas, com brancos, alquebradas, curvas, desgostosas, isoladas…tal como as casas, abandonadas!!!...Não se escutam músicas, não se ouvem barulhos de rádios, de televisões, não se ouvem ruídos de crianças, tal como as ditas…os moradores, aguardam, de pé, esqueléticos, herméticos, sombras do que foram, no passado, alquebrados pelos muitos anos, débeis…quase apagados, postos de lado!!!...Pouco comem e, o que consomem…não é o mais indicado, pela mísera reforma, minguada, quase nada, pela saúde…um fogacho, uma faúlha, trémula, periclitante!!!...Vezes por outras, lá vem uma carrinha da assistência, com alguns tachos, algumas panelas, com pessoas… mulheres novas, fardadas a preceito, que entram nalgumas daquelas casas, daquele bairro degradado, rachado, arruinado…descolorido, sem viço, saindo, passado pouco tempo!!!...Morre o bairro, definham as casas, fenecem os seus moradores, pobres sombras do que foram, no passado!!!...Sem um riso, sem ruído, com um fardo, bem pesado…o da velhice, sem dignidade, tão longe da realidade, duras penas, pobres almas… que condenas, País este, que te contradizes!!!...

…quando, por ali… passo, naquele velho jardim, viçoso, sombreado, com umas mesas de pedra, gastas, pela idade, com uns bancos, de material idêntico, à roda, à volta, sedentos de quem os ocupe, por momentos, durante horas…esquecidas, por idosos desocupados, já reformados, em partidas de cartas, intermináveis, à bisca ou outras modalidades, porque nisto de cartas…há muita imaginação, muito jogo, muita tradição, contradição, muita aposta, muito gosto, muita ocupação, numa de perdidas, numa de ganhos…de vitórias que se anotam, num papel sujo, tosco, com um lápis rombo, um pedaço…já gasto, como gastas as cartas, daquele baralho, que se baralha, uma, duas, trinta, mil vezes e mais, em tardes que se repetem… em tardes quentes, em tardes frescas, mais agradáveis…numa conversada, num relembrar de quando novos, quando eram gente…antes de pararem, antes de se arrumarem, naquela mesa, naqueles bancos, com um baralho de cartas, velhas e gastas, como eles…sem préstimo, sem cheta!!!...Profunda humilhação, de quem assim trata…os maiores, os mais idosos, os que se arrumam num canto, dum jardim qualquer!!!...

…abraço do Sherpas!!!...
25
Jun04

...os convidados!!!...

sherpas
Os convidados


Entra com uns considerandos,
umas graças bem actuais,
aviva casos, descortina meandros,
faz-nos rir dos “mais iguais”,
conversa com os convidados,
meio a rir, meio a brincar,
ora os mantém sentados,
como os põe logo a cantar,
não os aflige, não os magoa,
dá-lhes força para aguentar
aquele teste, aquela loa,
a fingir, a sério, a dançar,
pois o bobo não perdoa,
o público sempre a puxar,
com família, muitos amigos,
bem focados, sempre a sorrir,
protegidos dos muitos perigos
que surgem, que hão-de vir,
naquele palco tão imenso,
tão aberto, muito denso,
tão concentrado de malícia,
onde tudo se esfumaça
numa onda de alegria,
numa conseguida chalaça,
numa breve fantasia,
numa farsa, pura magia,
num ridículo que se desfaz
de quem foi, de quem é capaz,
dum convidado amedrontado,
figura bem conhecida,
que, depois de ser confrontado,
levou aquela de vencida,
a loa, o teste, a farsa,
concreta, bem conseguida
pelo cómico que investe,
pelo bobo da nossa vida,
pelo palhaço com que se veste,
este homem irreverente
que se ri, que se sente
um rosto de tanta gente,
uma voz dos que muito calam,
que pensam, pouco falam,
dos milhões, tantos tais
que são, um pouco, menos iguais!!!...

…Sherpas!!!...
24
Jun04

...ao Povo!!!...

sherpas



…ao Povo, deram-lhe futebol… como dantes proporcionavam circo e algum pão, na Roma antiga, a dos gladiadores!!!...O Povo reagiu, veio à rua, foi aos estádios, gritou bem alto, aplaudiu, fez, dos futebolistas, heróis!!!...São as referências, as presentes, essas gentes, bem forradas mas, não passa nada…como competentes, no que realizam, no que concretizam… as vitórias!!!...Todos nós, os que temos estado a perder, constantemente, desde há dois anos e pouco, para cá…num instante, numa reviravolta, ganhámos algo, um pouco de amor-próprio, lembrámo-nos de quem somos, da nossa bandeira!!!...Logo, os incapazes, rapinas vorazes… se colaram, se puseram, como dantes, ainda há pouco, lá para os Açores… em bicos de pés!!!...Está-lhes nos hábitos, é defeito…espécie de jeito!!!...Mas, podem crer…o Povo, não esquece!!!...No momento indicado deixará…o seu recado, mesmo no sítio, no lugar próprio, na quadrícula, a da escolha, aquando das eleições, nas próximas!!!...Verão, com olhos de ver…pois então!!!...Abraço do Sherpas!!!...
23
Jun04

...sensações!!!...

sherpas
Sensações


Sensações libertárias evolutivas,
desagregação repentina do individual,
separação das rotinas emotivas,
busca incessante do sonho, do irreal,
longe, lá longe, no estranho, no diferente,
noutras terras, noutros lugares,
procura-se o que já não se sente,
no quotidiano da terra dos nossos lares,
no cantinho que já nos vai sobrando,
pela pequenez, pelo conhecimento,
pela falta de ideias, sonhando,
pela imaginação do momento
que não chega, que não nos avassala,
que nos impele, que nos atira,
num rompante desagregador,
numa libertação repentina,
numa alegria momentânea, sem dor,
para qualquer lugar que se imagina,
para longe, para o desconhecido,
para o que nos fantasia, nos inebria,
antes de se chegar, tornar conhecido,
como uma droga, doce mania,
para a balbúrdia da evolução,
para o colectivo doutra nação,
para o tagarelar, bem mais estranho,
doutro povo, doutra gente,
igual, maior, doutro tamanho,
tanto faz, é indiferente,
porque o que interessa, o que conta,
é a mudança, são os ares, é a distância,
é o que nos aproxima, o que se encontra,
o que nos faz pensar, como na infância,
é o sonho, a aventura, a procura,
é o quebrar brusco da rotina,
é a mezinha, p´rá maleita, que nos cura
é o tornear a sorte, a nossa sina,
é o sentir fervilhante da imaginação,
é o prazer longo duma emoção,
é a busca contínua da perfeição
com o acumular doutra civilização,
é a nova experiência que nos enriquece,
que nos superioriza… que se esquece!!!...

…Sherpas!!!...
21
Jun04

...as minhas primeiras...grandes viagens!!!...

sherpas
…as minhas primeiras…grandes viagens!!!...

…a minha primeira grande viagem, como já tenho escrito, mais do que uma vez, tantas, que nem sei…foi fardado, de comboio, de barco, de avião, de quartel, para quartel, culminando no Ultramar, na Guiné, onde passei, não como turista, dois anos da minha vida, a somar a outros dois, perfazendo, no total, quatro anos de viajante, forçado, claro!!!...

…As instalações eram péssimas, o desejo de me deslocar, era diminuto, inexistente, como tanta gente, empurrada…de um lado para o outro, a alimentação, uma desgraça, comida de tropas, evidentemente!!!...Os quartos, colectivos (…as casernas!!!...), casas de banho, as essenciais (…funcionais, básicas…primitivas!!!...), não privativas…um espanto, incomodidades espartanas, pois então!!!...Passaram-se esses anos, para esquecer… perdidos, que nunca recuperei!!!...Enfim, algo de positivo, o contacto com outras terras, com outras culturas, com outras gentes…o usufruto dum continente, o africano, diferente, imenso, tamanho, estranho e belo, ao mesmo tempo, fervilhante de vida, com um sol tremendo, chuvadas intermináveis, relâmpagos formidáveis, trovões de meter medo!!!...Alguns inconvenientes, ambiente de guerra, permanente!!!...

…Antes de lá chegar, num barco pequeno, de navegação costeira…atracámos na bela ilha da Madeira, de mim já conhecida, passámos por S. Tiago, por S. Vicente, onde parámos, visitámos, (…cidades da Praia e do Mindelo, salvo erro!!!...) no arquipélago de Cabo Verde!!!...Se não fossem as circunstâncias…era um bom princípio, como viajante!!!...

…O tempo passou…terminou a obrigação, pesadelo, confusão, imposição, no tempo das guerras coloniais, do Ultramar, do Império de Portugal, com guerras em três frentes, com uma já esquecida (???...), lá para as Índias…agora, em plena África, na da Guiné, de Angola, na de Moçambique, todas perdidas, com o tempo…já descolonizadas, vão anos, mais de duas décadas e meia, atrás!!!...

…Ficou-me daí…o jeito, quiçá!!!...

…Regressei ao meu mister, à missão que desempenhava, desde os dezoito anos de idade…interrompida, de supetão, por causa duma obrigação (???...), a de guerreiro, sem o sentir, sou pacifista, por opção!!!...Entretanto, casei com a mulher que me acompanha e, posso dizer, acertei, quanto a gostos, maneiras de ver a vida, de usufruir, de conhecer mais Mundo, aqui, ali, em qualquer lado, de qualquer maneira e feitio!!!...

…Já lá vão tantos anos quando, os meus cunhados, nos puseram, a mim e à minha mulher… com uma mala pequena na mão, tendo dentro uma muda, um pijama e apetrechos higiénicos, os necessários, numa paragem de autocarro, mesmo ali ao lado, em Badajoz…com algumas pesetas, poucas, no bolso!!!...E, lá fomos, a caminho de Madride, cidade que não conhecíamos, no meio de muitos espanhóis, com intenção de passar um fim-de-semana!!!...Durante a viagem, conhecemos um pintor brasileiro que, segundo nos disse, ia expor os seus trabalhos, na capital espanhola!!!...Foi ele quem, ao chegarmos, nos orientou naquela cidade!!!...Passámos lá uma semana ou…mais!!!...

…Foi a nossa primeira aventura, como casados, claro!!!...Outras, de diversas maneiras…se seguiram!!!...Sempre, com vontade de conhecer, de saber mais e mais, de nos satisfazermos…viajando, como se nada!!!...Abraço do Sherpas!!!...
20
Jun04

...numa tarde quente e...longa

sherpas


Numa tarde quente, longa,
no interior do apartamento,
só, na solidão que se prolonga,
aguardo um toque, um movimento,
bater na porta, som na escada,
ruído na estrada, zunir do vento,
um bocadinho de tudo, nada
que me quebre o isolamento,
voluntário, para sossegar, pensar,
uma tarde, um momento,
num dia qualquer, num lugar,
interiorizado, afastado,
uma paragem, no meu andar,
na minha passagem, cá neste lado,
nesta faceta da existência,
nesta dimensão dessincronizada,
nesta lufada, nesta essência,
nesta nesga de tudo, nada,
na pequena amostra da realidade,
disfarçada de amarga fantasia,
tão longe que é da verdade,
amálgama de tristeza, alegria,
num Mundo perverso, cruel,
díspar em tantos recantos,
que tanto dá mel como fel,
como pleno, falho de encantos,
quando se é primeiro, terceiro,
quando se tem qualidade de vida,
quando se sofre a tempo inteiro,
quando se é nababo, se escraviza,
no consumo desgarrado, escandaloso,
no desperdício irracional,
na fome, lado mais tenebroso,
nos que roubam, sem ser por mal,
atirados para a marginalidade,
como uma saída, mais violenta,
dos guetos, da sarjeta,
por faltas de toda a ordem
que os põem em fuga, quando fogem,
que os desequilibram,
porque não brilham,
que os torna diferentes,
das outras gentes,
contrastes tão flagrantes,
tanto agora, como dantes,
que nos fazem, por vezes, isolar
num lugar ermo, sossegado,
para podermos, por vezes, pensar
no que está certo…errado!!!...




…Sherpas!!!...

19
Jun04

...stressado!!!...

sherpas
Stressado


Um relógio que se consulta,
um salto que se dá, na cama,
um corpo que se expurga,
uma voz que nos chama,
pasta de dentes na escova,
cara que se escanhoa,
um olhar para a alcova,
onde a noite se nos escoa,
uma fugida, no vestir,
um sorriso para a mulher,
um pensar no que há-de vir,
um mexer, com a colher,
no leite, no café,
uma torrada qualquer,
comida mesmo de pé,
um adeus muito apressado,
um pé que se põe na rua,
um dia cheio, stressado,
no cimo daquela grua,
no volante do autocarro,
na fábrica em que se sua,
na escola, num sítio raro,
na oficina, no escritório,
frente a um computador,
no parlamento, no cartório,
como advogado, como doutor,
no hospital, no consultório,
tratando dos que estão mal,
como veterinário afamado,
cuidando dum animal,
aqui, em qualquer lado,
neste dia, de qualquer ano,
na entrega dum apressado,
profissional de qualquer amo,
menos do pobre stressado,
ainda dormir, acordado!!!...

…Sherpas!!!...
17
Jun04

...uma...quebra!!!...

sherpas
Quebra


No meio da caminhada,
da viagem que nos propomos,
quando, passada a passada,
nos lembramos do que fomos,
num intervalo, numa pausa,
num acidente do percurso,
quando não pensamos em nada,
quando estamos fora de uso,
num baque, numa quebra,
num problema, num mal,
numa doença que se herda,
num mau estar, não natural,
em todos os pequenos casos
que nos afectam, debilitam,
nos mais diversos, raros
que nos apoucam, irritam,
nos reveses, contratempos
desta vida dura, pesada,
nos cruéis, maus momentos,
quando a vida é bem amarga,
nessa chispa tão violenta,
nesse buraco mais profundo,
nessa mostra mais horrenda,
lutas, doenças do mundo,
numa quebra, num retrocesso,
num mau estar que nos afasta,
que nos nega, nos dá acesso
à triste alegria, que nos agasta,
que nos apouca e arrasta
para um medonho abismo,
para um sonho tão irreal,
vida pouca, virtualismo,
vida contra, com negação,
que se vive sem paixão,
sem amor, entrega total,
sem pura determinação,
em prole do nosso igual,
duma mulher, dum irmão,
duma família inteira,
que vivem à nossa beira,
porque é tempo d´ir acordando,
de repartir em profusão,
de nos darmos, entregando,
o ser, a alma, o coração,
é tempo de dar a volta,
soltar um berro de revolta,
tempo de dar um grito,
de amaldiçoar o bendito,
fazer uma revolução,
aprender a dizer NÃO,
mudarmos de repente,
como se vive, como se sente,
começar…a ser gente!!!...


…Sherpas!!!...
17
Jun04

...objectos!!!...

sherpas
Objectos

Sentir apego por um objecto
é pecado, sacrilégio, abjecto,
é uma tremenda distorção
dum pensamento, em disfunção,
dum ser que, pelos outros seres,
sente supremacia, aversão,
procura, nos teres,nos haveres,
um refúgio, uma paixão,
um esconderijo perfeito
que lhe vai mesmo a jeito,
escondendo profundamente
o que cala mas, que sente,
por tudo quanto é gente,
por tudo que é dotado de vida,
que renega, afasta,
porque se introverte, agasta,
porque não pode possuir,
não tem, não consome,
não se adona, sem sentir,
como quem, estando com fome,
tem prazer, ao consumir,
deleita-se, ao usufruir,
com o simples toque do objecto,
maléfico, sacrílego, abjecto,
é sentir-se como um Midas,
como um adorador de ouro,
um perdedor de vidas
em prole de um tesouro!...


…Sherpas!!!...
16
Jun04

...o dinheiro...não justifica tudo!!!...

sherpas
…sem políticas!!!...Com futebóis, para entreter…simplesmente!!!...


…o Povo continua pobre, continua carente, continua desempregado…posto de lado!!!...


Nesta busca constante,
nesta inquietude permanente,
neste momento, neste instante,
neste encontro, tão ausente,
num acaso, numa variante,
solitário, no meio de tanta gente,
vida plena, intensa de mutante,
retrógrado, no espírito que sente,
vazio, sem resposta concreta,
figura triste, abjecta,
homúnculo palerma, convencido,
atirado para o Mundo, perdido,
sem meta, sem finalidade,
com vãs esperanças, com certezas,
numas efémeras banalidades,
entre alegrias, tristezas,
hipocrisias, gozos, vaidades,
oscilando nas pobrezas, nas riquezas,
em religiões, em falsidades,
numa busca que se repete,
numa permanente inquietude,
numa cova em que se mete,
com muita dor, com virtude,
um corpo que se acaba
esta chama, esta magia,
esta vida, tão fugaz, tão sagrada,
de anos, meses, dum só dia,
sem respostas, sem soluções,
tão abstracta, sem ilusões!!!...

…há problemas sérios, bem graves, tratados com muita bonomia, incompetência…incúria!!!...O futebol…não vai resolver!!!...Vai entreter…os que gostam!!!...Simples intervalo num…triste espectáculo, o desta desgovernação, pois então!!!...

…não é solução, antes…alienação!!!...No lado oposto, no contrário…logo após a vitória, um desmando, uma deslumbração!!!...Como já cheira a Poder…é vê-los, cada um por si, com intenção, uns… comedidos, outros, mais agressivos, imbuídos de todas as razões, com convencimentos, os de momento, perfilados, na primeira linha, ainda assim!!!...Nisto do palavreado, são todos iguais…nisto do carreirismo, é viração, profundo abismo, atrai, como se nada!!!...Estamos fritos…não entendem, não compreendem…não se vislumbram, os laranjas, os rosas!!!...Um para mim, outro para ti e…segue em frente, como se nada!!!...Vamos ver no que dá!!!...

…sobre o tráfico, o da droga…é crime grave, assassínio em massa!!!...Os implicados…devem ser, duramente, castigados!!!...Quantos e quantos inocentes não foram mortos, mediante os bons serviços dessas gentes, loucas mentes, perversas, insensíveis!!!...O dinheiro, as ganâncias exacerbadas…não justificam tudo!!!...

…Sherpas!!!...
14
Jun04

...grande...banhada!!!...

sherpas



…a abstenção é uma triste realidade mas, não pode servir de desculpabilização para o que, todos o sabemos, se deu, hoje, dia 13, no nosso País, com futebol, com um dia lindo na praia, para uma série de políticos que…se não vislumbram, dentro do próprio umbiguismo que, teimam em manter, em arvorar, como se nada!!!...A maneira como lhes custa engolir, aceitar a derrota total que sofreram, a tal banhada do papagaio-mor…é impressionante!!!...Quanto mais os oiço, atrapalhados mas com manobras desviantes, mirabolantes, menos os compreendo, menos os aceito…não os entendo!!!...

…foram maioria, num instante, por políticas erradas e respeitando o voto dos cidadãos, os que cumpriram, votando…deixaram de sê-lo, passando a minoria!!!...Há que aceitá-lo, há que, humildemente, repensar os erros cometidos, recuar, desfazer o que têm desfeito, o que têm desgovernado!!!...Porque não, reconhecer, quando cometemos asneiras???...

…deixem de ser ridículos, deixem de ser caricatos…não produzam, com as vossas atitudes autistas, mais adeptos da abstenção!!!...Os que não foram votar, fizeram-no pela revolta sentida contra o tipo de políticas erradas…destes últimos anos, pelas promessas não cumpridas, pelos impostos que aumentaram, pelos congelados, mais que muitos, pelos desempregados, pelas injustiças, pelos escândalos, pelo circo…é e foi, continua sendo, vossa responsabilidade, da Coligação, a que foi maioria e, num instante, deixou de sê-lo, passou a minoria!!!...

…os que se desinteressam das políticas e dos políticos, os que se abstêm, nestas e noutras eleições são o resultado de políticos populistas e demagógicos, dos que se encaram como carreiristas, os que tentam tapar o sol com a peneira, os dos maus exemplos, os de pouca ou nenhuma moral, os sem dignidade e…pouca ética!!!...Com políticos destes…não se vai a lado nenhum, nem nas Europeias, nem tão pouco nas autárquicas, legislativas ou presidenciais!!!...A política…anda muito por baixo, a meu ver… consoante todos pensam e agem, para nosso mal!!!...

…quando fazem oposição à oposição, quando desgovernam, com desfaçatez, quando não cumprem, quando são incompetentes…é o que acontece, simplesmente!!!...As esquerdas meteram as direitas no bolso, como se nada…tudo o resto não deixa de ser o que todos já sabemos…tretas!!!...

...foi uma grande…banhada, lá disse o Prof. Marcelo!!!...Abraço do Sherpas!!!...
12
Jun04

...Portugal...embandeirado!!!...

sherpas
…Portugal…embandeirado!!!...


…bandeiras portuguesas, verde, rubro…com escudo, ao meio, doirado, com quinas e tudo, chagas de Cristo, pois então… um espanto, uma admiração!!!...É bonito de se ver, neste, em qualquer momento, por alturas do Euro futebolístico…em todas as ocasiões!!!... Em todos os cantos, em todos os sítios, alivia a alma, levanta o ânimo, fica o ar menos carregado, menos entristecido, menos deprimido, dá ambiente de festa, de alegria, cria amor-próprio, afaga o…coração!!!...Depois, bem…depois com os santos populares, com festas, mais que muitas, com Verão de feição, com praias belas, aos montes, por toda a Nação…uma embasbacação, tremenda animação!!!...Com umas cervejolas, as bejecas, as tais, mais sardinhadas, mais churrascos ou não…alienação (???...) parcial, senão, total, quiçá!!!...

…não, não sou de futebóis mas…sou português e, como não podia deixar de ser, vou torcer, vou sofrer…pela nossa selecção mas, nem só de futebóis vive o País, este, o que se contradiz!!!...Janelas, muitas, várias, em todas as terras, na capital do Sul, na do Norte…lá para os Algarves, nos interiores profundos, engalanadas, com pompa e circunstância, uma jactância, colorida, divina… cores patriotas, para os jovens, para os cotas, um afago, um carinho, um sentimento, puro espavento…somos assim…uns choramingas, de memórias curtas, está mais que visto!!!...Há quem queira disfarçar, há quem queira mascarar, há quem se queira aproveitar…da parolice, da crendice, da suprema formação de todo um Povo, inocente, humilde, pobre, massacrado…miserável???...Ou, antes pelo contrário, será como tantos pensam…puro incentivo, patriotismo???...Porque será???...

…tenho-as visto, de todas as cores, de todos os feitios, em abundância, por essa Europa fora, ondeando ao vento, com orgulho, a preceito…por outras razões, não estas…as dos futebóis, por vidas mais equilibradas, por sorrisos que se alargam, de satisfação…com a governação, a deles, pois então!!!...Nos States…também gostam de bandeirinhas!!!...É normal…naquelas gentes!!!...Pelos vistos, durante uns tempos…vai ser moda!!!...Aceito, desde que, mais tarde, se obtenham outras grandes vitórias…na melhoria de vida dos que, vegetam, os postos de lado…os desempregados!!!...

…não sou, nem mais parvo, nem mais esperto, sou normal, como tantos, macacões ou tansos, no meu íntimo, choro, deploro…os graves problemas que nos assolam, que não se esquecem, que se quedam adormecidos, temporariamente, por momentos, num intervalo…enquanto se prolongarem, os futebóis, as festas, as tradicionais, as praias, as comezainas, os copos, as cervejolas, as bandeiras…as bandeirolas, como patriota que sou, mais um, entre tantos mas…quando vejo, quando oiço, quando leio, quando penso…vou escrevinhando, a meu jeito, porque sim!!!...

…como gostaria de acabar com os buracos, com as luzinhas ténues, insignificantes, hesitantes…lá ao fundo, do tal túnel, não o do Santana, não o do Jardim, não o do Tejo… o da retoma, recessão que dura, que perdura, que se alonga, para nosso mal!!!...Haverá, porventura, esperança de, mais tarde, a curto prazo, durante ou logo após o Euro, o do futebol, o de 2 004 ver…em todas as janelas dos portugueses, indiferentemente, ao lado das bandeiras, das bandeirolas nacionais, doutros símbolos queridos, verdes e rubros, com escudos doirados, com quinas e tudo, com chagas de Cristo, notas de, pelo menos, 500 Euros, a partir daí, até aos
5000, não mais!!!...Escandalosamente pagos, com as acumulações, com promiscuidades de dinheiros, autênticos vespeiros, arranjinhos, entre tantos, os que se forram, os de actividades duplas, triplas, disparates, os que nos fazem passar como ursos, puros dislates, os das mordomias mil!!!…Sentir os políticos, reformados, como os outros, ao fim de trinta e tal anos de bom e efectivo serviço, avaliá-los em todas as frentes, como eleitos, como oposição…colocá-los de lado, quando incompetentes, desempregados, como os outros, seus iguais, nesta democracia que se agita, que grita, que barafusta…que está farta!!!...Ver toda a gente activa, com pleno emprego, com segurança total, com saúde capaz, com ensino superior gratuito, alargado, óptimo, melhor que bom, valorizando o que melhor temos…as pessoas, ao invés das políticas economicistas, as americanas, pois então!!!...

…somos poucos mas, somos bons, temo-lo demonstrado, em qualquer canto, em qualquer lado!!!... Tenhamos gentes boas e competentes, outras, como líderes, como referências, como excelências, lá em cima, lá no topo, servindo o nosso País, de todos, sem excepção, solidariamente, como alguns que…infelizmente, se vão, desta vida, libertando e… certamente, lhe daremos a volta, por cima, como se nada!!!...É tempo de mudar as políticas (…dos eleitos e das oposições!!!...) que…pelo que estamos verificando, não servem, só servem quem as pratica e…pouco mais!!!...

…que Portugal vença o Euro 2 004 e…depois, a batalha da verdade, da honestidade, da dignidade…contra a incompetência, o orgulho bacoco, a desfaçatez, a injustiça, a prepotência, sei lá… que mais!!!...Abraço do Sherpas!!!...
10
Jun04

...como preito!!!...Homenagem!!!...

sherpas
…preito, homenagem a…dois grandes homens que nos deixaram, repentinamente, Sousa Franco e Lino de Carvalho, um, independente, como eu, outro, com uma ideologia, a dele, a de tantos como ele!!!...Pessoas de elevado gabarito, dignas, de referência, boas no trato, no pensar, de carácter…competentes, de referenciar!!!...Um louvor a Ronald Reagan, Republicano e Presidente dos States, com muitas COISAS positivas e…outras, negativas, como, quase, todos os que o antecederam, como, quase, todos os que vieram depois dele, Republicanos ou Democratas…dessa grande Nação!!!...O Mundo, esta semana, ficou mais pobre!!!...Sherpas!!!...


Pequenas coisas, pequenos nadas,
insignificantes participações,
sonhos, lembranças imaginadas,
fantasias, plenas de ilusões,
minúsculas recordações,
somos, o que não fomos!!!...

toda uma existência,
pedaços curtos, rápidos
notável experiência,
lampejos fortes, ávidos
feroz sobrevivência,
fomos, o que não somos!!!...

única, suprema valência
desta tão rápida passagem
pelo âmago da humanidade,
sem prestar preito, vassalagem,
numa mostra de liberdade,
somos, o que não fomos!!!...

nem ao rei, nem ao padre,
nem a outro prepotente,
reles amostras de gentes
que, dos pequenos nadas,
se sentem muito afastadas,
fomos, o que não somos!!!...

pelas elevadas missões,
pelas palavras sagradas,
por outras tantas paixões
que os enfunam, engrandecem,
tornam cínicos, vaidosos,
somos, o que não fomos!!!...

diminuem, envilecem,
convertidos em cães raivosos,
que não sentem, pelas coisas,
aqueles pequenos nadas,
recordações maravilhosas,
fomos, o que não somos!!!...

insignificâncias bem amadas
duma existência passada,
bem longínqua, afastada!!!...


Somos pó, somos nada,
somos sonho, somos passado,
somos, não o que fomos,
memória, posta de lado,
recordação, ilusão que feneceu,
lembrança que permanece,
de quem viveu, morreu,
de quem fez, de quem merece,
de quem se entregou, se deu,
como mestre, como servidor,
como exemplo, como senhor,
como referência, como excelência,
como digno, como valência,
deixando rasto, pegadas,
por obras, por gestos, por valia,
não, por excessos, por palavras,
mais cortantes, agressivas,
maldosas, sibilinas,
vómitos nauseabundos,
de quem engole muitos Mundos,
de quem, se não visualiza,
como uma nuvem, simples brisa,
uma imagem, simples passagem,
duma, para outra margem,
ponte, periclitante,
vacilante, incerta, não segura,
de pouca monta, que pouco dura!!!...

Somos pó, somos nada!!!...

…profundamente condoído, dentro da minha insignificância, curvo-me, respeitosamente, perante…esta gente, que foi, deixou de ser…num instante!!!...

…Sherpas!!!...

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2005
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2004
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D