Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sherpasmania

... albergue de poemas, poesias e... outras manias, bem sentidas, por sinal!!!...

Sherpasmania

... albergue de poemas, poesias e... outras manias, bem sentidas, por sinal!!!...

14
Ago04

...outros tempos...os da lavoura, claro!!!...

sherpas



…outros tempos…os da lavoura, alturas em que nos impingiam bombásticas como aquelas, se soubesses o que custa governar…preferirias ser governado, durante décadas, como aconteceu nos tempos do Botas/…pobrete mas…alegrete.../…discussões e ralhos, maus ambientes…em casa de ricos, enquanto, mesmo com fome de tresandar, em casa do sapateiro, era uma alegria, constante, com cantorias.../…estórias como a da carochinha trabalhadora, incansável e…a cigarra, a da vida airada, sempre a cantar, no Verão… morrendo de fome, no Inverno!!!...Tantas outras, como estas, desde os bancos de escola primária, com livros únicos, com as lengalengas do costume, viradas para a submissão, para a aceitação, para o conformismo, verdadeiras lavagens ao cérebro dos menos dotados monetariamente, dos que se quedavam por um ou dois anos de escola oficial, analfabetos, em tudo, a tempo inteiro, fáceis de manobrar!!!...

…graves problemas de consciência dos que, presentemente, aplaudem essas gentes, todas elas ferozes, verdadeiros algozes, figuras ridículas e caricatas dum passado…para esquecer, cinzentões, dos sete costados!!!...Falo do Alentejo que conheci, quando criança mas, pelo País, de Norte a Sul, de Este a Oeste, os da minha idade, desde que pensem um pouco…recordam, certamente, cenas destas, das que contei e…bem piores!!!...Estivemos parados, orgulhosamente sós, sob as ordens de uma série de bacocos, panacas, por opção, aviltantes, degradantes…de toda uma Nação, por quererem!!!...

…fico-me por aqui, quanto ao Alentejo…ao da minha infância, já longe, distante, com muita tristeza, com muita penúria, com algum encanto, com muita saudade, era novo…não pensava, sequer, acorrentado, como os mais, já crescido, pouco sabido, quanto a leituras, (…quantas leituras não fiz, quantas não tive ao meu alcance, quantas perguntas, sem resposta, no massacre em que vivi, a opressão, a repressão, a falta de liberdade, presos, física e mentalmente, numa grande cadeia, todo o País, este…o que se contradiz!!!...) as censuradas, quanto ao exterior, vedado… nas fronteiras, por cães de fila, os da tal polícia, a política, a PIDE, a de triste memória, quanto ao Império, o do Ultramar, cemitério de tantos portugueses, por um querer irracional, deste pequeno País que, desde que o conheço…nunca se enxergou, como devia!!!...Como se pode justificar uma esmola de trinta contos, por ano, em prol dos que, por ele, pelas guerras, perderam o melhor, incapacitados físicos e mentais para o resto da vida…uma escassa migalhinha, tal como aos das reformas miseráveis, quando lhes aumentam as ditas, com um macinho de cigarros por mês!!!...Regressão???...Quiçá!!!...Sherpas!!!...
14
Ago04

...margem sul!!!...

sherpas



…tenho um apartamento numa zona dormitório da grande Lisboa, onde passo a maior parte do ano, depois de reformado!!!...Nesta margem, a sul, ainda com alguma qualidade de vida, quanto a movimento de automóveis, quanto a liberdade de movimentos, a construção de prédios para habitação tem sido, de há uns anos para cá, feroz, incontrolada, direi!!!...É com ânsia, com gula que, no espaço de poucos meses, se levantam torres e mais torres, vivendas e mais vivendas, residências espampanantes…dos que se forram, quiçá, dos construtores!!!...Como tenho escrito, pela idade, por questões de saúde, minha e da minha mulher, é usual, fazermos grandes caminhadas, darmos demorados passeios a pé!!!...Quando o fazemos, escolhemos, por norma, trajectos com bons passeios, sem obstáculos, amplos, se possível!!!...Em suma, utilizamos muito o percurso da baía do Seixal, tal como tantos outros que pensam…do mesmo modo!!!...Quando vejo, quando cheiro, quando estendo minhas vistas pelo que me rodeia, quedo penalizado, chocado, muitas das vezes, quando o faço e…penso!!!...

…este concelho, dos maiores do País, sob a alçada do Partido Comunista, desde que o conheço, tem desenvolvido, um pouco, mas…tanta mazela ainda ostenta que não resisto, falar, escrevendo, claro…do dito!!!...As obras de beneficiação à volta da baía, de há muito prometidas, avançam aos soluços, aos poucos, como costumo afirmar quando andam devagar, como se nada!!!...No papel há muita COISA em projecto mas, os anos vão passando e…não passam disso, o que é pena!!!...Claro que as autarquias estão desfalcadas, sem grana e que o mal, em relação a esta margem, sempre foi do Poder Central!!!...Zona de operariado, no antigamente, considerada vermelha pelos bem instalados, sempre foi olhada com alguma indiferença, de lado, sem interesse, especialmente pelos alaranjados, aquando no Poleiro!!!...Densamente povoada, por gentes que trabalham em Lisboa, um simples dormitório, como tantos à volta da capital, com comércio e serviços próprios, residência a tempo inteiro duma grande percentagem da população, ultimamente, continua ostentando falhas graves, vultosas, que me apenam, que me doem!!!...

…ontem, para variar, fomos dar a voltinha por outro lado, escolhemos uma das muitas azinhagas que, por aqui, proliferam, pelo meio de antigas hortas, de antigas quintas, agora urbanizadas…ou quase, em via disso!!!...E o que vimos, mais uma vez me espantou!!!...É normal, neste País que se quer Europeu, no pelotão da frente, sem se visualizar, sequer!!!...Temos tido maus políticos no Poder, desde sempre, no Central e no Autárquico, para nosso mal!!!...Só pensam nas pessoas, quando delas precisam…por alturas dos votos, em tempo de eleições e, pouco mais!!!...Que raio de País este…que se não cuida, como deve!!!...A quanto chega o egoísmo exacerbado dos governantes, autistas profundos, sem um pingo de vergonha pelos tristes quadros que se observam no dia-a-dia, em qualquer lado, dormitórios ou não, interiores desertificados ou centros urbanos, indiscriminadamente, incluindo, claro…a capital e seus arredores!!!...

…passávamos nós, em ar de marcha, pela dita azinhaga e, íamo-nos admirando pelo que víamos, enquanto íamos passando!!!...Aqui, uma barraca com tábuas, com folhas de zinco, uma corrente com cadeado, com tabuleta pendurada, avisando dos cães, nada bonzinhos, antes pelo contrário, quiçá, mais além uma sebe de silvas e cactos com picos de dimensões exageradas, perigosos, para os incautos, o chão, de terra batida, autêntica lixeira, de tudo quanto é lixo, é evidente, um início de alcatrão que…logo se finda, sem razão, de passeios laterais, nada, claro…mais à frente, de repente, uma nova urbanização, uma fileira de vivendas de primeiro andar, em construção, com arruamentos, postes de iluminação, na via pública, empedrado, para passeios futuros, curtos, para poupar terreno, como sempre!!!...Uma ilha isolada porque, logo a seguir, por obra de magia, mais barraca, menos barraca, mais quinta mal vedada, com arames, com latas, com silvas, mais buraco menos buraco, lixo, com fartura…um desconforto!!!...Não sou esquisito mas, por princípios muito meus, prezo o asseio, o ambiente, desde que me conheço e, queira ou não, sou incapaz de aceitar tamanha incúria, tanta penúria, num País que se diz…Europeu!!!...Valha-me Deus, terceiro mundistas, com pretensões… sonhos, ilusões!!!...Enfim, aos trancos e barrancos, mais buraco, menos buraco, com passeio descambado, meio arrumado…lá fomos!!!...

…avistámos zona mais alinhada, povoação por perto e…respirámos!!!...Ainda antes, uma deslumbração, no meio de tanta, aparente, miséria, de tanta, evidente, pobreza, de tanto desleixo, de tanto deixa andar…uma vila, vivenda maior, bem grande, por sinal, com exteriores de grande estadão, em fase de acabamentos…um encanto, com estátuas de bronze, como base de candeeiros de jardim, em profusão, espaço para futura piscina e…a casa, a vila, um encanto de construção!!!...Cá fora, na estrada, porque de estrada já se tratava, pelos lados, os passeios, como sempre, esburacados, desaparecidos, descambados, desconchavados, como escreve a amiga Graça Maciel…quando disserta, escrevendo, claro!!!...Desta maneira, aos poucos, de desilusão em desilusão, com alguns pontinhos de satisfação…lá nos fomos apercebendo, mais uma vez, do País que temos, o real, o que nos dão, aos vulgares e anónimos cidadãos, aos que não vivem em condomínios fechados, em redomas de vidro, não vendo porque…simplesmente, olham para o lado, porque querem, não lhes interessa ver!!!...

…e assim vamos indo, quanto a entornos, quanto a lugares desprezados, quanto a País votado ao abandono, nas cidades, nos arredores, nos interiores isolados, quanto a terrenos, paisagens idílicas, agora, carbonizadas, quanto a pontes que caem, que estão em vias disso, quanto a monumentos arruinados, descuidados, quanto a prédios que se esboroam, pelos anos, pela incúria, pela incompetência, pela irresponsabilidade dos que, não nos governam, com VERDADE!!!... Não educam as populações porque…lhes não interessa, escudados nos seus egoísmos, nas suas vaidadezinhas de caca, nos seus autismos parolos, verdadeiros bacocos, negociantes de treta, feirantes passageiros e de má memória, quando se marchem, quando nos aliviem da sua presença…porque afastados, porque imprestáveis, vendedores de banha da cobra, simplesmente, com poucos ou nenhuns feitos!!!...Portugal merecia mais e melhor, sim senhor!!!...Sherpas!!!...

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2005
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2004
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub