Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sherpasmania

... albergue de poemas, poesias e... outras manias, bem sentidas, por sinal!!!...

Sherpasmania

... albergue de poemas, poesias e... outras manias, bem sentidas, por sinal!!!...

31
Jan05

...com tretas!!!...

sherpas



…com tretas,
conversas, desconversadas,
mascaradas,
com loas, com petas,
discursos elaborados,
sorrisos forçados,
papéis decorados,
combates e lutas,
em colisão,
nas mesmas rotas,
em diversão,
quando convergem,
quando divergem,
esquecem,
aquecem,
incendeiam,
enxameiam,
alteiam,
mascarados,
disfarçados!!!...

…com berros, com gentes,
em salinhas, em salões,
multidões,
inocentes,
convencidas,
esquecidas,
diferentes…
ausentes,
lá no alto,
percalço,
no encalço,
do perdido,
prometido,
ainda à mão,
que ilusão
com máscara,
talvez… não!!!...

…outro jeito,
já desfeito,
mascarado,
ultrapassado,
rejeitado…
oportunidade,
inverdade,
pantomina,
contra-mina,
desilusão,
sem perdão,
ocasião,
frustração,
máscara
que disfarça,
farsa,
ilusão!!!... Sherpas!!!...






31
Jan05

...tiques e... toques!!!...

sherpas


…tiques e toques,
retoques,
remoques,
amolgadelas,
pinceladas… a preceito,
enfeito,
esganiçadelas,
esfusiantes, gritantes,
esvoaçantes,
como dantes,
sem jeito,
com defeito,
imperfeito!!!...

…um acento,
uma tónica,
afónica, atónita,
de momento,
sem sentimento,
sorriso,
conciso,
preciso,
esgar profundo,
desajustado,
do outro Mundo…
contestado,
detestado,
sem jeito,
imperfeito,
defeito!!!...

…um estar,
sem estar,
mau estar,
tangencial,
por estar,
afinal…
desenquadrado,
acabado,
ultrapassado,
posto de lado,
sem jeito,
com defeito,
imperfeito!!!...

…um pesadelo,
um sonho mau,
um novelo,
um deslindar,
um vau,
um acabar,
baixio,
restinga…
que se não finja,
sem jeito,
com defeito.
imperfeito!!!...

…com toques,
com retoques,
com remoques,
com ditos,
sem estar,
como malditos,
em acentos,
sem sentimentos,
sonho mau, pesadelo,
novela ou… novelo,
num vau… estagnado,
tão mal situado,
imperfeito,
sem jeito…
com defeito!!!... Sherpas!!!...








30
Jan05

...num dia qualquer!!!...

sherpas



…num dia qualquer, procurando,
em qualquer altura, pensando,
em qualquer lado, noutro lugar,
parado, sentado… a andar,
pergunta constante, gritante,
alucinação permanente,
pergunta, sem resposta,
ilusão de tantas gentes,
nesta vida que… nos foi imposta!!!...

…gostaria de saber, indago,
como cão de caça, farejando,
nunca me quedo, parado,
noutro sítio, em qualquer canto,
procuro na leveza da flor,
na beleza que comporta,
no aroma que propaga,
na onda, no fragor,
na vítima que se imola,
na bala que se dispara,
na hecatombe, no terror,
na controvérsia, que não para,
nos sábios, nos poetas,
sabedores… profundos estetas,
detentores doutros olhares,
tanto em terras, como em mares,
pelo Mundo imenso e belo,
às aves que passam, voando,
ao diminuto insecto,
ao grandioso paquiderme,
ao molusco… ao verme,
sem cessar… curioso,
sem resposta… furioso!!!...

… tanta volta dei, na vida,
tanto trambolhão, tanta queda,
neste lapso, neste engano,
período curto… numa ida,
sem retorno, que se veda,
quando morto… desengano,
sem resposta… pergunto,
quando interrogo…fico mudo,
calado, medroso… confuso!!!...

…tanta alegria, tanta festa,
partilha, entrega, dádiva,
bocadinhos de felicidade,
o pouco que nos resta,
neste cadinho, nesta vida,
em busca da verdade,
a que se nos nega,
a que se não tem,
quando se invectiva,
quando se prega,
acreditar em quem (???...),
procurar aonde (???...),
obter uma resposta viva,
a quem (???...)
a quem se esconde,
também???...

… deduções, conhecimentos,
citações, deslumbramentos,
momentos,
ilusões,
réplicas do passado,
confusões,
denuncias… postas de lado,
realidades cruas e nuas,
as minhas, tanto… como as tuas,
escritas, expostas,
em liberdade,
com verdade!!!...

…procurando, num dia qualquer,
pensando, como se quer,
andando, parado, sentado,
cabisbaixo,
introvertido,
averiguando…
sem ser tido, pouco convencido,
desiludido,
com esperança, ainda,
nesta vida que avança,
mais de partida,
ainda… na chegada,
revivendo… escrevendo,
rindo, chorando, gemendo!!!... Sherpas!!!...


29
Jan05

...fraude e...pesadelo, quiçá!!!...

sherpas
…há que inverter a situação, vai sendo tempo… a farsa está-se prolongando, vai-se transformando, aos poucos, em tragicomédia imensa, imparável, descontrolada, sem remédio algum!!!... Já não pretendo, daqui para diante, afirmo-o a pés juntos, quase que juro… denegrir ninguém, vou deixar de ser sarcástico, redutor, em relação a políticos, a gestores, a economistas, a empresários, a homens bem colocados na vida… em geral, tão pouco, diminuir comentadores, apelidando-os do que não são… ou são, quiçá, vou passar a ter mais juízo, não quero contribuir, com os meus simples escritos, ao aparecimento de correntes negativas, fluidos empestados de desconfiança, com raivas, com ódios… mais que muitos, a jorros, vou parar, vou condimentar, vou deixar de ser repetitivo!!!...

… bater num morto, é tara, é mania, dá em nada… é um absurdo!!!... Pertencer ao grande grupo dos críticos… embora carregadinho de razões, provoca-me um mau estar latente, permanente que, depois de pensar… vou tentar evitar!!!... Vou fazer de conta que não estou presente, que me encontro ausente, que não estou neste País, tão baralhado e confuso ele anda… ultimamente!!!... Fazer de conta que… não os oiço, aos inteligentes, aos sábios, aos indicadores de caminhos, aos profissionais da política, aos que ficam, aos que permanecem, aos que se enaltecem, aos que se convencem do que não são… porque não!!!... Quanto aos comentadores, como eu, como tantos, tanto aqui, como em qualquer órgão de comunicação… vou fingir que estão errados, que escrevem sobre uma ficção qualquer, que o fazem, por maldade, simples vaidade própria… sobre o que escrevem!!!... Habituaram-se… não sabem fazer outra coisa!!!... Vou descontar, simplesmente!!!...

…vou-me enganar a mim próprio, vou embarcar, aceitar o despropósito, o logro, a manipulação, o amanhanço, a promiscuidade, a inverdade… partilhar com os meus conterrâneos, a fraude, as fugas, as pantominas, com um encolher de ombros, como se nada!!!... Estou-me nas tintas, daqui para a frente, é evidente… que corra para cima, que corra para baixo, alhear-me, aceder, como se verdade fora que… a economia não está assim tão mal, assim o proclamou o fenómeno, o dos casos diários, logo na mesma altura em que empresário de vulto, o Belmiro de Azevedo, com todas as letras… disse que não iria investir mais em Portugal pela simples razão que, todos sabemos, não tem incentivos, não existe consumo, o poder de compra do vulgo, é reduzido, quase nulo!!!...

…enfim, com este estado de alma, com esta tristeza, com esta firmeza, quanto a propósitos futuros pessoais, enquanto escrevo, pensando… só tenho uma explicação, o programa de televisão da RTP, o de ontem, sobre o Estado da economia, a situação paupérrima das pessoas, as tristes figuras políticas que temos!!!... Todos unânimes, concordantes, numa grande percentagem… quase, quase me convenceram a mudar de rumo, deram-me pesadelos, passei a noite… em claro!!!... Ainda mais com as perspectivas, as dos dez anos que se avizinham, com calamidades, com a ruptura eminente do equilíbrio da Terra, o que se não tem, por causas diversas, a do aquecimento global, o efeito de estufa… a falta de juízo dos grandes causadores, os mais e os menos desenvolvidos, os que usam e abusam, não respeitando o ambiente!!!... Tudo isto se me colou no interior do pensamento, no momento… se prolongou, me deu uma noite de pesadelo, repito, insisto!!!...

… daí pensar que… não vale a pena, sou tão pouca coisa… perante os grandes disparates dos mais avisados, dos que continuam palrando, nada fazendo, mostrando que nada valem, está aí, à vista de todos… o lindo serviço, o resultado do que não fizeram!!!... Com caras de pau… ainda comentam, ainda inventam, ainda prometem enquanto outros fogem, viram costas, buscam outros locais, mais prometedores, empreendedores, incentivadores, não desbaratando dinheiros… em vão, num chão estéril com péssimos agricultores, nenhuns resultados!!!... O poder de compra é inexistente, para tanta gente, a sociedade em geral, de há uns três anitos para cá… estagnou, não ata, não desata, aguarda, expectante!!!... Ainda por cima… os crânios mais elevados avisam que tudo isto, pelo que vamos vivendo… está por um fio, temos um prazo de validade de cerca de dez anos apenas!!!... Após este período… tudo se espera, tudo é possível!!!... O desequilíbrio social, o desequilíbrio natural… vieram para ficar, vão-se agravando, segundo dizem, segundo escrevem!!!... Daqui para diante… o quadro enegrece!!!... Gostaria de ter uma réstia de esperança, sem mentiras, de voltar a acreditar na humanidade, com verdade… gostaria de não me sentir, como sinto, após esta noite de pesadelo!!!...

… continuar escrevendo, enquanto vivo… espero fazê-lo, está em mim!!!... Não serei tão acutilante, quedar-me-ei pela rama, um pouco mais positivo!!!... Assim procedam os intervenientes desta farsa que se instalou, desta fraude que se agiganta, que paira sobre nós, vítimas inocentes, pobres gentes!!!... Se teimarem em esconder o que não fizeram, em apresentarem o pouco… como obra de vulto, em se considerarem o que não são… então, dou o dito, por não dito, insisto!!!... Sherpas!!!...


29
Jan05

...quantos e...quantos???...

sherpas
…eu bem disse, já o tenho afirmado várias vezes que, nestas coisas da literatura, coisas sisudas que dão que pensar, não posso ser levado muito a sério!!!...Não gosto de lembrar e relembrar constantemente os que, desta vida, se foram deixando-nos espólios ricos e variados, os seus escritos mas, vai que não vai, umas vezes por outras, não posso fugir, tal como todos nós em geral, à saudade de obras lidas no passado, escritas há tanto tempo, sempre actuais, sempre belas, mais as de poesia, pelas quais me sinto fascinado, cativado por completo!!!…

…por mais que escreva, por mais que pense, por mais que reflexione, quando leio, quando vejo, quando oiço, estão sempre presentes, os grandes ausentes, minhas nobres referências, minhas glórias da imaginação fértil e formosa, pelo que cantaram nos seus versos, hinos de amor e de beleza, sempre vivas, eternas!!!…

…aos que, por obras valorosas, se vão, da lei da morte, libertando!!!... Assim escrevia Camões, assim pensaram todos os que, ao intelecto, deram mais valor… especialmente os que, durante a vida, se refugiaram na poesia, em si próprios, num Mundo mais harmonioso para eles, os desenquadrados de sempre, os despistados, os que vivem nas nuvens, os que, por mais que tentem, não conseguem perceber o que, para muitos, é mais que evidente e…racional (???...), a realidade dura e bruta, a insensível, a bestial, de besta, sim senhor, a cruel, sem coração… não dependentes do dinheiro vil que corrompe, que corrói, que escraviza, que diminui os que, com ele, engrandecem, ficando pequenos, ínfimos nos valores, nos princípios, indignos sabujos do que lhes negam, aos referidos, aos carentes, aos que sobrevivem, aos que vegetam!!!…

…quantos e quantos sonhadores, homens sensíveis, criadores, vítimas do intelecto, da imaginação, são votados ao abandono, esquecidos pelos detentores da grana, do pastaréu???... Em tudo há compensações e, enquanto uns se vão cevando com excessos de todo o tipo, materiais e concretos, proporcionados pelo dinheiro fácil de negociatas, outros, os que deste Mundo, vivem apartados, vão-se, da lei da morte, libertando, por obras valorosas:
- Não me quero comparar/com outros vates passados/que bem souberam sonhar/ao escreverem, bem narrados/seus versos de encantar/ajudados ou não ajudados/pelos Deuses, pelas musas/que, nos seus tristes fados/lhes deram forças confusas/nos sórdidos momentos/das suas vidas obscuras/dentro das dificuldades/lhes mostraram a verdade/do que havia de formoso/no meio da promiscuidade/do que era bem famoso/próprio daquelas eras/porcaria e ignorância/faziam militância/em quase todas as terras/deste jardim ribeirinho/país de muitas feras/com poucos cravos, no cimo/de todos bem comentado/pelo que tinha, de atrasado.../Eles, como tantos outros/surgiram do lodaçal/para bem dos vindouros/de alguns antepassados/apresentaram o nosso mal/com versos tão dourados/que nos honraram e bem/mostrando mais além/nossos feitos passados/por mares, não navegados/de todos, desconhecidos/outros mundos, só sonhados/cobiçados, enfraquecidos/depois de bem explorados.../Foram grandes na pena/férteis na imaginação/foi com garra e sanha/que deixaram, para os que estão/obras de magia tamanha/que nos tocam o coração/pelo profundo encantamento/pela beleza total/que, para mim, não há igual/esse tão doce momento/em que leio ou ouço recitar/poemas dum Camões, dum Bocage/dum Pessoa ou duma Espanca/doutros, que nos dão a imagem/dum Paraíso, que não estanca/antes progride, ressurge/mais novo, porque urge/acompanhar o progresso/dum Mundo, que está pelo avesso/que é preciso parar/para o fazer pensar, em verso!...
…honra lhes seja feita pelos cometimentos realizados, sós, num canto, afastados, pensativos, criativos, sensíveis a uma flor, a um doce chilrear, a um ribeiro que passa, a uma pessoa chorosa, a uma criança abandonada, a um alegre passeio de gentes jovens, formosas, a uma paisagem idílica, num descampado qualquer, a uma dor que sente, a uma fruição repentina, a um sonho, a uma emoção, a um desejo que tem!!!...
…temas tão importantes, poemas tão relevantes, tanto agora como dantes, inspiração de momento, uma lágrima, um lamento…honra lhes seja feita pelo que foram, pelo que criaram, pelo que nos deram, pelo que nos deixaram… honra lhes seja feita porque, da massa anónima dum povo, se apartaram, deixando o insignificante ser, morrer, porque ressurgiram grandes, maiores, perante os cidadãos que os desprezaram porque, não os souberam compreender, na sua nobre missão de se libertarem, por obras valorosas, da lei da morte!!!…
…sem esquecer, é evidente… todos os pensadores, inovadores, produtores de filosofias várias, iniciadores de outras correntes, quando a ideias, se referem!!!... Bem hajam… como bases, como projectos arrojados, como exemplos, somente!!!... Descansem em paz!!!... O Mundo das ideias, dos pensamentos, dos escritos, complexos ou não, mais ao jeito, mais à mão, agora… é dos novos, desde que o queiram, desde que assim pensem!!!... Confio em vós!!!...Sherpas!!!...

29
Jan05

...ser erudito... por vezes, distancia-nos!!!...

sherpas
…vezes por outras, passo os olhos pelos vossos excertos, pelos vossos escritos, leio atentamente as citações que buscais, de filósofos, de reputados pensadores, tanto actuais, como passados… as conclusões que tiram, depois de dissecadas ao pormenor, as ditas, engulo em seco, pasmo!!!... Sem desprestígio, aplaudindo… deixo-me rir interiormente, com esse vosso passatempo, respeito!!!... Por mim… enjeito!!!... Fazem-me lembrar um certo catedrático da Universidade de Coimbra, num blog seu, por aqui, pela Internet…quando se referia a conferências elevadíssimas a que assistia, presenciadas por grupos restritos, reduzidos, iniciadas, encaminhadas e… terminadas, com uma série de palavrões rebuscados, ao nível deles, claro…fora do vulgar, não tão banais, de gabarito!!!... Ao longo do que escrevia, deu exemplos e colocou um pequeno texto, dentro do palavreado usado nessas conferências e… a respectiva tradução, noutros termos, em palavras mais normais!!!... As citações, as conclusões, o conteúdo, de tão profundos… eram indecifráveis para a maior parte da população portuguesa, mais de dois terços, quiçá… mais, autênticas chinesices, em Portugal, ao alcance duma minoria restrita, duma elite de snobs, de intelectuais de pacotilha, reduzida, insignificante, ultrajante!!!... Fez a tradução do texto que… depois de feita, ficou ao alcance da grande maioria, entendível, percebível, normal!!!... Tanto com a literatura, como com a filosofia…com a música clássica, a ópera, entre outras, desde que acantonadas, complexas, elitistas…quanto a mim, quanto a esse catedrático de Coimbra, correm o risco de se apagarem, de se reduzirem, de darem em nada, simplesmente!!!... Uma espécie de panaceia, de droga rara, pouca… para meia dúzia de abençoados, de ungidos, sem grande alcance, um entretenimento… apenas, um mostrar que se possui algo de muito valioso que, ao fim e ao cabo… não se consegue dar, fazer passar aos outros!!!... Desperdícios de mentes… de gentes, concluía ele, o catedrático em questão… penso eu, um vulgar cidadão que, por acaso, gosta de escrever, sendo abrangente, normal, sem pretensão!!!... Há que saber fazer, há que saber passar a mensagem… quando nada disso acontece, estamos mortos, parados, inertes, andamos às voltas, sempre no mesmo sítio, embevecidos connosco, esquecendo os que nos rodeiam, lá nas alturas…convencidos, tontos, com citações de treta!!!... Por mim, penso que… vai sendo tempo de mostrarmos o que valemos, por nós, sempre assim pensei, vai sendo tempo de deixarmos os mortos em paz, por muito sábios e eloquentes que tenham sido, pelas obras que nos deixaram, vai sendo tempo de nos situarmos, de nos arredarmos de posicionamentos complexos e absurdos, mudos, de ficarmos quedos e parados, com os nossos pensamentos, a falar para as paredes, com dois ou três, somente… vai sendo tempo de criarmos, de dar origem a qualquer coisa de diferente, de sermos gente, entre a gente, utilizando as bases, os conhecimentos adquiridos, com leituras doutros, passados, enterrados, sempre vivos… nas obras, ausentes!!!... Agora nós… abrangentes, contribuintes, não de impostos… de ideias novas, de novas correntes, de novos pensamentos, mais abertos, mais entendíveis, menos cinzentos, menos snobs, sem elitismos bacocos, imprestáveis, ultrapassados!!!...Arrevesar as coisas, muitas das vezes claras e transparentes, simples e fáceis de abordar…com o intuito de nos mostrarmos, de nos engrandecermos, de fazer passar imagens inatingíveis, lá nas alturas, não lembra nem ao Diabo, faz-nos viver noutras esferas, faz-nos fingir que somos… o que não somos, afinal!!!... Simples reflexões, Alva… sem intenção de ferir, sequer!!!... Ser erudito, em demasia… distancia-nos, por vezes, da realidade!!!... Abraços do Sherpas!!!...
28
Jan05

...conjecturas minhas... meu caro!!!...

sherpas
…a leitura nunca fez mal a ninguém, sempre foi uma maneira de adquirirmos novos conhecimentos, de nos aperfeiçoarmos, de nos armadilharmos contra tudo e contra todos, de nos distrairmos, de sentirmos prazer inefável, diferente, supremo, de encararmos o que nos rodeia, com outros olhos, mais perspicazes, mais vorazes, mais sedentos, porque, quanto mais temos, através da leitura, mais e mais pretendemos, nunca nos satisfazemos!!!...
…agora, com a minha idade, pouco vou lendo mas, mantenho uma certa disciplina intelectual, lendo menos, lendo a qualidade, lendo o que me interessa, mantendo-me activo, como vivo, como sedento, como participe desta maravilhosa aventura…a da leitura!!!...
…em tempos, quando mais novo, pleno de ilusões, em busca de respostas a perguntas que me fazia, tudo lia, sem discriminar, fosse o que fosse!!!...Muito mais teria lido se não tivesse vivido numa época de obscurantismo, no tempo do Marcelo e do Salazar, os da censura prévia, os da proibição total!!!...
…quando olho para trás, quanta pena sinto, verdade, porque não minto…de relembrar as bibliotecas que rebusquei, com muitos volumes mas, incompletos, com muitos espaços, mais que vazios, dos livros da minha ambição, dos que se não viam, dos que se não liam, dos que se não comentavam…eram, estavam proibidos, tal como outras COISAS mais!!!...
…ainda há quem nos queira fazer regredir e, pelo que vejo, pelo que sinto, aos poucos, vamo-nos esquecendo, vamo-nos acomodando, vamo-nos alheando…do fundamental, da leitura, da boa leitura, em prosa, ou poesia!!!...Os culpados desta profunda apatia, deste descalabro intelectual, são monstros, piores do que assassinos, são os que nos matam o pensamento, nos igualam a um jumento, nos imbecilizam, nos reduzem, nos diminuem!!!...
…cursos superiores, sem bases variadas, sem cultura geral, não passam daquilo que são, ferramentas, para determinada função!!!...Quão triste me ponho quando licenciado, de qualquer licenciatura, mostra desconhecimento, apresenta ignorância perante perguntas corriqueiras, de ordem geral, de qualquer sector, de qualquer ofício ou arte, por não ler, um simples jornal, por não se dedicar, parcialmente, a esse vício nobre e salutar…a leitura, como prazer, como aventura!!!...
…ler, faz-nos subir, faz-nos elevar, faz-nos ir aos céus, faz-nos melhores, faz-nos completos, faz-nos possuir mais afectos, faz-nos despertar todos os sentidos, faz-nos ser mais ligeiros, mais vivos, faz-nos pensar, faz-nos escrever as nossas emoções, faz-nos sentir tantas sensações, ser diferentes, dos que não lêem, dos que se quedam pelo simples, pelo vulgar, pelo aparente, a outra gente, a que não precisa, segundo pensam e acreditam…pobres, coitados, os iletrados, analfabetos, licenciados, com cursos superiores, muitos doutores!!!...Há excepções, claro, como em tudo na vida!!!...
…enfim, verdade seja dita que, no meio dos que gostam de ler, por vezes, encontramos os que se preocupam somente de determinados assuntos, de certas matérias, técnicas ou quejandas, as que lhes dizem respeito, as que lhes dão dinheiro!!!...São pobres de espírito, não gostam de sonhar, não apreciam brincar com as letras, com as palavras, de as sentir, no mais belo que elas possuem, o dom de fazerem chorar, de fazerem sofrer, de fazerem rir, de fazerem pensar!!!...
…a leitura, ah, a leitura, meus amigos, quanta ilusão, no tempo da proibição, o que me ofereceu, quanto sonho me proporcionou, quanta gargalhada proferi, só, como um tonto, com um livro na mão, quanta aventura, quanta emoção, quanta mais não teria, se tivesse…os livros da minha ambição, no tempo próprio, quando mais novo, ilusionado!!!...Mas, quem sou eu???...Um abraço do Sherpas!!!...

28
Jan05

...gostei...do que li!!!...

sherpas



…gostei do que li________, relembrei factos horrendos do passado, do presente, ainda há pouco, uma fartura, por todo o lado!!!... O Mundo não aprendeu, ainda proliferam muitos Sinistros por aí, encapotados… está bom de ver!!!... Numa coisa discordo, quando escreve e… passo a citar:

-E acabemos com a mania dos bodes expiatórios; deixemos de acusar uns e outros como na Idade Média se acusavam as bruxas. Quando chove é por causa do efeito de estufa e a terra aquece; quando faz frio e não chove também é por causa do mesmo efeito, das indústrias e dos automóveis e dos malandros que os guiam.

…quando se acusa, não de modo simplista, antes… com razão, é porque se sente na pele, incluo-me também, os efeitos negativos de políticas erradas e erráticas, cometidas por gentes eleitas que prometeram, que esqueceram, que se não responsabilizaram, incompetentes e incapazes, vorazes nas suas vaidadezinhas bacocas, imbecis, tratando-nos como tontos!!!... Não acuso, sem razão alguma, antes pelo contrário!!!... Não me arrumo ao termo simplista, nem um pouco, sequer!!!... Continuarei como sempre fui, sem ser caçador de bruxas, na Idade Média, nem caçador de comunistas, em tempos… lá pelos States!!!...

…quero acreditar… no que me prometem!!!... As guerras, para mim, tanto a do Sinistro, como as que se prolongaram, as que ainda existem… são, no concreto, bestialidades, indignas, impróprias, com barbaridades inenarráveis, por mais que se tente descrevê-las, mostrá-las!!!... Com o seu escrito, cometeu uma boa prestação!!!... Aplaudo-o!!!...

…daqui para o futuro… gostaria que a impunidade fosse coisa morta, que a responsabilidade, deixasse de ser palavra vã, que a competência fosse excelência, que a corrupção… se enterrasse de vez!!!... Continhas claras, bons exemplos, Estado sério, serviço público completo, nada de enganos!!!... Os simplistas, nos que não me incluo… surgem quando vamos verificando certas coisas esquisitas e diferentes daquilo que nos mostraram, ao princípio, em altura de convencimentos, pode crer!!!... Para que os simplistas se extingam, por eles próprios… políticas de verdade, contas claras e… feitos!!!... Não foram só os simplistas que deram origem ao Sinistro, aos Sinistros que, para nosso mal… ainda existem!!!... Pense no que lhe escrevo, é sentido, vem de dentro!!!... Quero o equilíbrio na sociedade a que… me honro, de pertencer!!!... Pode crer!!!... Exigir e denunciar não é atitude simplista, quanto a mim, é o direito que todos temos, numa democracia qualquer, séria e digna, claro!!!... Abraços do Sherpas!!!...
28
Jan05

... a leitura é... fundamental!!!...

sherpas

…a leitura é fundamental!!!...Desde que tenhamos quem nos consiga, por ela, despertar o gosto, é das fases mais gratificantes no harmonioso desenvolver do nosso ser…há alturas que, por mais que queiramos, não conseguimos apartar da nossa companhia, um livro, um bom livro…fases na vida de qualquer um a quem proporcionaram essa habilidade, a da leitura!!!...

…depois de adquirida é tudo uma questão de a saber canalizar no sentido correcto, no bom caminho… bem vistas as coisas, desde que tenhamos o vício, o da leitura, tudo o que nos apareça pela frente é devorado com voracidade, independentemente de clássicos ou não clássicos, nacionais ou estrangeiros!!!..

…quando mais novo, muito antes das novas tecnologias, nos tempos da rádio e…nos primeiros passos da televisão, a preto e branco, tudo consumia, desde que tivesse letras, palavras, frases e…algum sentido, com bonecos ou sem eles, de cordel ou não, sérios, muito sérios ou chocarreiros e sem interesse, para alguns!!!... Por mim falo, tudo me agradava e conseguia prender a atenção, me transportava ao cimo das nuvens, tal o prazer que obtinha com o que lia…era, o que se chamava, um verdadeiro rato de biblioteca, por vontade própria, por inclinação, sem ser por obrigação!!!...

…quanto aos estudos, à minha formação académica, à minha preparação para a vida profissional, sempre fui muito refractário, teimoso e resistente, nunca gostei de barreiras impostas, de obrigações intransigentes, de ser obrigado a gostar do que não gostava, daí a minha aversão a certos palavrões, a determinados lugares comuns dos que, por jactâncias e convencimentos, se fecharam num grupo muito restrito, o dos intelectuais, os que se adonaram de verdades absolutas quanto a escritores, prosadores ou poetas, do passado ou do presente, de todas as latitudes e longitudes, de toda esta bola em que vivemos, muito completa, quanto aos que escrevem, desde os cavernículas até aos nossos dias, dos mais citados e recomendados aos mais apagados e anónimos…gosto de ler porque a leitura, em si, me dá prazer!!!...

…ela, a referida, na sua essência, não deixa de ser o que é, simplesmente uma transmissão de vivências, mais burilada ou não, com mais ou menos floreados, com termos de arrebatar, com frases de espanto, com filosofias muito próprias de quem escreve, com mais ou menos aceitação por parte de quem a lê, com maior ou menor imaginação, com criatividade suficiente que nos prenda, nos vicie, desde o início, como um bálsamo, uma oferenda dos céus, um agrado inigualável, uma referência que permaneça viva por muitos anos da nossa curta existência!!!...

…li muitos autores, desde os intocáveis e adorados por toda uma série de fanáticos dos referidos, até aos mais soft, os que, por razões que não entendo, não passam da cepa torta, não ascendem ao estrelato, não deixam o anonimato, as sombras em que se encontram…deles, sem excepção, sempre tirei alguma coisa nunca os endeusando porque, afinal, não deixaram de ser o que foram, simples mortais que nos deixaram escritos!!!...Foi a contribuição deles para humanidade, tal como um pedreiro, um lavrador, um varredor, um médico, um advogado, um sapateiro, eu sei lá, qualquer tipo de profissional que desempenhe, com verdade e honestidade, a sua tarefa!!!…Foram grandes no que fizeram???...

…talvez o tenham sido, pelo que… deles, se lê, se fala, se comenta, se estuda, se esmiúça até ao âmago, não deixando de ser, tal como já o afirmei, simples peças desta grande máquina produtora de novos génios, sempre e sempre, cada vez mais, à medida que o tempo passa, à medida que nos interiorizamos porque, quantos e quantos não há que, desde que a isso se proponham, conseguem transmitir para o papel tudo e todas as experiências das suas próprias vidas, porque todas as vidas, desde que vividas, têm interesse!!!...É tempo de não perdermos muito tempo com os mortos de há séculos!!!...Que eles nos sirvam como base, como ponto de partida, muito bem!!!...Que eles nos proporcionem momentos inolvidáveis, tudo certo!!!...Que eles nos sirvam de referência, claro!!!...Que sejam obsessivamente citados, esventrados até ao seu mais íntimo pormenor, parece-me que é demais e…aborrece!!!...

…o mal da literatura cinzenta, quanto a mim, é este, o que tenho tentado descrever, humildemente, neste palavreado que, já se vai arrastando, mais do que pretendia, no início!!!...É a minha maneira de ver a questão, respeitando, evidentemente, todos os outros pontos de vista e de opinião!!!...Sou, como sempre fui, um pouco contra todas as regras instituídas pelos sistemas da nossa sociedade, uma persona non grata, para muitos… pelo menos neste sector, o da literatura, pura e…dura!!!...Um abraço do Sherpas!!!...
28
Jan05

...literatura... a dura???...

sherpas
…literatura…a dura???...

…literato, iletrado… convencido,
deslumbrado, consigo próprio, lá nos altos,
comungando projectos, bem dilectos,
em patamares superiores…muito ungido,
da plebeia multidão…afastado,
cordato, em sítios mui selectos,
sisudo, com livros, mais que muitos,
investigador, rato de biblioteca,
homem de pouca estaleca,
com pensares, com rodos, com fluidos,
papelarias, suas fantasias,
sonhos arrecadados, em estantes,
vidas paradas, estanques,
visionamento de frases, de obras,
de filosofias várias, de sobras,
com óculos, com barbas, pensativo,
discernimento de, pouco activo,
intelecto febril, corpo passivo,
literato de extirpe, de trato,
no seu círculo, no seu âmbito,
rodeado de ideias mil, nos papéis,
calhamaços, como maços, sem cordéis,
gente fina, de gabarito,
uma moda, um hino, uma excelência,
num deslumbrar que se prolonga,
pura vaidade, excrescência,
numa literatura que se não alonga,
que se encerra, se coíbe, se inibe,
se fecha…se restringe,
se diminui, se evapora, se dilui,
porque se vende…se prostitui!!!...


…quando os vejo, quando os oiço, burilados,
arrastando nomes, citando frases, excertos,
dando uma de sérios…enrolados,
num falar d´outras esferas…espertos,
perante tolos, tristes palonços,
boquiabertos…com os insossos,
intelectos…bem dilectos,
bafientos, com traça…infectos,
restos de todo um passado…dejectos!!!...

…todos os escritos, todos os saberes, todos os sentires,
desde que vividos, desde que sentidos… depois de escritos,
são importantes, gratificantes, digna e pura…literatura,
não há cordéis, não há bibliotecas, não há porvires,
nem papelarias, nem editoras…com proscritos,
logo à partida, no início…como censura!!!...
…quem sente ou sentiu, escreveu,
quem não gosta do que leu,
engole em seco, sem escarnecer,
porque…faz doer!!!...

…Mas, quem sou eu???...Abraço do Sherpas!!!...

27
Jan05

... nostalgia e... memória!!!...

sherpas



…nostalgia e memória, pelo olhar melancólico de quem… já viu, já sentiu outras coisas, na sua vida!!!... Concordo contigo, não por concordar, para te incentivar ou qualquer outra coisa do género, contemporizar, apenas… pelo simples facto de querer sê-lo!!!... Estou na mesma linha de pensamento, ao recordar episódios de há muito, na minha vida… vividos, como se fora hoje!!!... Parece que estou a vê-los, era eu criança, havia poucos automóveis e os meios de transporte eram mais à base de tracção animal, de burros, de machos, de mulas, de cavalos, de bois… qualquer quadrúpede, servia, na altura!!!... O piso das ruas pejado de excrementos, pelos ares… um odor apropriado, vai para cinquenta e tais anos!!!... Muita fruta, meu Deus!!!...

… na minha santa terrinha, havia um homem, já de idade, pelo aspecto, não pelos anos… entre os trinta e os quarenta, sofrido, mal comido, com uma rebanhada de filhos, aguadeiro de profissão, companheiro dum burro, que o servia…pacientemente, com canga apropriada, onde carregava quatro cântaros grandes de metal, latão… para ser mais preciso!!!... Era o trabalho dele, a sua tarefa diária… entre caminhada e caminhada, entre a fonte, lá para a serra, afastada da vila, água com outro sabor, um primor, com muitos apreciadores… diga-se, e a povoação, onde apregoava o produto, é evidente, vendendo, por meia dúzia de patacos, o precioso líquido!!!...

… como já mencionei, o homem em questão tinha família numerosa, vivia no meio de muitas dificuldades, pelo pouco que ganhava, pelo número de filhos que tinha!!!... A sua única distracção, no fim do dia de labuta… era a tasca, junto da qual parava o burro, solto, sem estar amarrado a nada!!!... O dono entrava no local, satisfeito, boçal… pensando de antemão, noutro líquido, no tinto, copo atrás de copo, que emborcava, enquanto falava e gargalhava com amigos, adeptos de tal desporto, claro!!!... Fora, solto, como se nada… o burro, de olhar meigo, enigmático, pensativo, quiçá, pacientemente, aguardava!!!...

… o tempo ia passando, o burro esperava e… o dono emborrachava-se!!!... A cena repetia-se, no dia-a-dia!!!... Embriagado por completo, com a ajuda dos parceiros das libações alcoólicas, sem consciência, totalmente fora da realidade, sentia-se içado, era colocado, a custo, em cima do lombo do asno!!!... Bonacheirão, paciente, sem um gemido, sequer… o bicho (… sem desprestígio, simples expressão!!!...), aguentava!!!... Os companheiros, depois de verem o aguadeiro bem sentado, seguro… davam uma palmada no pobre do animal e, com o arre burro do costume, este, encaminhava-se docemente, com movimentos lentos e cadenciados até casa do seu dono, onde parava, raspava os cascos, fazendo som, dando sinal!!!...

…a mulher do vendedor de água fresquinha, da fonte da serra, quando ouvia os pés do animal a rasparem nas pedras da calçada, abria a porta, descia os degraus e… forte e robusta, com palavras azedas, amargas, com raios e coriscos, num português de época, apropriado… bem ao jeito, a preceito, abraçava o corpo inerte do marido, adormecido, embriagado por completo, apeava-o, levava-o para dentro de casa!!!... Depois de o meter na cama, num lugar qualquer, de o arrumar… sempre barafustando, ralhando com o marido, com a vida dela, com a tasca e com os companheiros de bebedeiras do dito, vinha à rua, tirava os cântaros vazios, a canga, os arreios… ao pobre do burro, dava-lhe uma palmadinha de reconhecimento e… este, com os seus vagares entrava por um portão, ali ao lado, para um casão, onde tinha a ração, na manjedoura, onde estendia seu corpo cansado no chão!!!... Era assim, todos os dias!!!... Estou escrevendo o que via, estou vendo o que vivia, na altura, como se fosse agora, como se fosse hoje!!!... Estas imagens ficaram-me gravadas na memória, deram-me conhecimento de vida, ensinaram-me a respeitar muitos daqueles que… muitos de nós, depreciativamente, denominamos de animais, de irracionais, por aí fora… sem nos visualizarmos, sequer!!!...

… não é ficção, nem com o intuito de te ir ao jeito, não é essa a minha postura… era a realidade de vida, na altura, numa vila alentejana do passado, com os cromos da época, pois então!!!... Figuras típicas… de há cinquenta anos e tal, memórias minhas e de burro, também!!!... Abraços do Sherpas!!!...


26
Jan05

...eles falam, falam!!!...

sherpas



…eles falam, falam… como alguém, por aí escreve, como alguém, por aí diz e… o certo é que, tanto um, como outro enfermam dos mesmos males, muita treta, poucos feitos, só para inglês ver, é evidente!!!... Como o tempo tem estado como todos sabemos, uma Primavera fora de época, uma seca, para quem necessita de água, para campos e para gados, para consumo, no interior, mais carenciado, mais negligenciado, abandonado, tremenda calamidade, pura verdade!!!... Ao invés, para os do litoral, com mais ofertas, com muitas distracções, um pouco mais abastecido do essencial, quanto a abastecimento do líquido precioso… nem dá para ver, seguem, como se nada!!!... A vidinha vai-se fazendo, vai correndo, com alguma normalidade, dentro da anormalidade, a deste País, tão diferenciado, tão desequilibrado, prometido e… esquecido, logo a seguir, num desleixo, numa incúria, num laxismo, gritantes, entregue, desde há três, quatro anitos… a um molhinho de irresponsáveis e incompetentes, de várias cores, indiferente!!!... Como me ia explanando, escrevinhando meus lamentos, meus pensares, meus sentires… continuo, no mesmo sentido, com o mesmo conceito, quanto a tempo, quanto a água, a que se não tem, quanto a Sol… o que abunda, nesta Primavera extemporânea, que se prolonga, para nosso mal, claro!!!...

… quem não gosta do astro rei???... Quem não gosta do bom tempo (???...), mesmo fora de tempo???...Quem não aproveita… desde que possa, ainda que mais não seja, para aliviar de outras penas, carradas delas, ultimamente???... Com uma aberta, com um carrinho ao jeito, com vontade, com algumas lecas, numa tarde qualquer… um ver se te avias, ala que lá vão eles, nós, os outros, tristezas para trás das costas e… ao caminho, que se faz tarde!!!... Pois é… entre tantos que não podem, entre tantos com fome, entre tantos desempregados, ainda me considero um privilegiado, um abençoado, embora tristonho, de mal com muitas coisas que não concebo porque, penso muito nos outros, nos mais carenciados, nos postos de lado!!!...

… foi no domingo passado, aqui ao pé, aqui à porta, a um saltinho… à serra da Arrábida, a tal que é zona protegida, que tem dado muito que falar, pelas casinhas, quintinhas dos importantes, ministros ou não, em gestão ou… no activo, pelos vistos, pela cimenteira, pelos lixos banais, pela co-incineração e, pelo melhor que ela tem, espécies únicas, que deveriam ser protegidas e não foram, não são, pelas paisagens grandiosas, autênticas obras-primas, pintadas numa tela dum pintor mágico, fantástico, superior!!!... Fomos lá dar uma voltinha… há quanto tempo o não fazíamos!!!...

… isto, depois de ver, com olhos pesarosos… uma reportagem duma visitinha dos bloquistas, ali para o Baixo Alentejo, local onde depositam óleos, líquidos tóxicos, lençol enorme de lamas, a céu aberto, no concreto, uma enormidade, calamidade!!!... Como este local, quantos outros não haverá, como se estivessem escondidos debaixo do tapete… por inconvenientes, incómodos para os que descuram o ambiente, os que deveriam ser e não são… responsáveis, os que falam, falam… até quando???... Há problemas gravíssimos no nosso ambiente, avassalado, descuidado, escarnecido, vilipendiado!!!...

… mas, voltando ao tema, à volta pela Arrábida, local da minha afeição, beleza incomparável, perfeição absoluta, não tanto, quiçá!!!... Fomo-nos chegando, passámos por Azeitão, começámos a subir, a deliciarmo-nos com o que víamos!!!... Fomos subindo, subindo… com o oceano lá ao fundo, azul claro, calmo, alguns barcos que, ao longe, pareciam parados, do outro lado, a península de Tróia, a costa alentejana, como um fio doirado… a perder de vista, o estuário do Sado, largo, preguiçoso… maravilhoso, o casario de Setúbal, lá ao longe, quando chegados ao ponto mais elevado, por uma aberta, do lado esquerdo, o inverso, paisagem diversa, arredores de Azeitão, outras povoações, casinhas de brincar, com muitos verdes… um encanto!!!... Já lá não passava há muitos meses, ia satisfeito com o que via, nem tão pouco me lembrava, pois não!!!... Ao descer, num rompante, em plena serra, calamidade, veio-me à mente o incêndio, a série de fogos do último Verão, tremenda maldição, responsabilidade acrescida, memória recente… perante o que ia vendo, árvores e arbustos calcinados, enegrecidos, tantos!!!...

…quebrou-se-me o encantamento, entristeci, reflecti!!!... O ambiente com lamas, com tóxicos, banais ou não, com desprezo, com laxismo, com fogos, mais que muitos… no curto espaço de tempo, três ou quatro anitos, tem sido gravemente atacado!!!... Não basta descurarem as pessoas, as que são tratadas como lixo, como ainda o entorno, o Paraíso, o protegido, inclusive!!!... Ainda têm a lata, quando falam… de se incriminarem, uns aos outros, como se fossem detentores da verdade, possuidores das soluções!!!... Eles falam, falam… como alguém escreve, como alguém diz!!!... Pobre País!!!...

… para me compensar do triste espectáculo, não como recompensa, não como homenagem, antes… como hábito antigo, desde há muito, contristados, fomos comer umas tortas de Azeitão, as verdadeiras, as primeiras, no local de sempre, à hora do lanche!!!... Quando os oiço, quando os vejo, quando os leio… quando penso, tenho de escrever, estas coisas, entre outras!!!... Ao que chegámos, Deus meu!!!... Sherpas!!!...


25
Jan05

...vá para fora... cá dentro!!!...

sherpas


…o tempo não vai bem para a época, anda tudo trocado… em pleno Janeiro, um mês por inteiro, sem chuva!!!... Anda muita coisa confusa!!!... Gostamos de ver o Sol, quando aquece, quando não constipa… é agradável, confortável!!!... Inquietante, por estarmos, como estamos… com sol, com frio, sem chuva!!!... Arrefecimento global, coisa esquisita, nunca vista, de há muitos anos a esta parte!!!... Os crânios, andam inquietos, baralhados!!!... Fazem previsões do camano!!!... O que esperavam daqui por umas centenas ou milhares de anos, calculam, agora… que se irá começar a dar, a sentir, daqui por uma ou duas décadas!!!... Reúnem, comparam, avisam, dizem… o que não disseram!!!... Não há meio de colocarem um ponto, no acumular de asneiras que certos Países, teimosamente, continuam cometendo, para mal deles, da humanidade, em geral!!!... Enfim, como ser insignificante que sou… no meio de tantos, limito-me a encolher os ombros, fazendo o melhor possível, dentro do que me cabe, não cometendo barbaridades no consumo, tentando ser respeitador, o mais possível… com esta Natureza, com este Mundo, minha casa, casa de todos, não a agredindo, usufruindo-a, quando posso, espantando-me com ela… a cada momento!!!..

… como parece estarmos em plena Primavera, há uns dias atrás, num domingo qualquer, soalheiro, por inteiro, ainda há pouco… aproveitámos os dois, eu e minha mulher, metemo-nos no carro, atravessámos a ponte, a que mudou de nome logo após a revolução dos cravos, a que está mais que paga (…grande negócio, tremenda exploração!!!...) fomos para o outro lado, para a outra banda do rio, para a margem norte, é evidente!!!... Ali, em Alcântara, virámos à direita e seguimos pela marginal, bordeando o rio Tejo, o dos meus amores, o dos amores de todos os portugueses!!!... Basta vê-lo para ficarmos enamorados!!!... Sou namorado dele… antigo, vai para muitos e muitos anos!!!...É sempre um encanto, apreciá-lo, não me canso!!!... Depois de Cascais, da Boca do Inferno, continuámos… parámos no Guincho, espreitámos a praia, sempre alterosa, com as suas vagas, com as suas ondas, apanhámos um pouco de Sol de Janeiro (???...), o tempo está trocado, soube-nos bem!!!... Continuámos, subimos a Serra, usufruímos as vistas e… fomos até Sintra, na mira dum bolinho regional!!!...

…como qualquer português que se presa, embora goste de andar… nesse dia, por força, queria estacionar o mais próximo possível da pastelaria!!!... Tarefa dantesca, impossível de concretizar!!!... Demos voltas e voltas na povoação… ficámos com a vontade e regressámos, pelo mesmo caminho!!!... Nunca me canso de passar por ali, por este circuito!!!... Já em Belém, contra ventos e marés, como quem diz… contra montes de gente, como sempre, aos domingos, fomos comer uns pastéis, na pastelaria mais afreguesada que conheço, a do sítio, junto do Palácio da Presidência, uma excelência!!!... Com paciência, aguardámos uns escassos instantes e… tal como dantes, deliciámo-nos!!!... Com eles, nunca me engano… acabadinhos de fazer, quentinhos ainda!!!... Esticámos as pernas, vimos a árvore das lâmpadas mil, aguardámos pela noite, ficámos satisfeitos com o que vimos, num local aprazível, frente aos Jerónimos, ali ao lado do mamarracho, (…o que lhe chamavam na altura, obra muito contestada, já aceite, somos assim!!!...) obra do Cavaco… o Centro Cultural!!!... Já noitinha quando atravessámos o Tejo, por cima da ponte, a tal, a mesma, a que rende e rende… uma fartura!!!... Mais uns quilómetros, poucos e… estávamos em casa, depois deste parênteses, num dia de Sol agradável, fora do tempo… em Janeiro!!!...

… foi bom o passeio!!!... Vá para fora… cá dentro, sabe bem, de vez em quando!!!... Boas viagens!!!... Sherpas!!!...


24
Jan05

...entre papagaios e... palhaços???...

sherpas



…numa sala de espera, dum consultório médico, dum laboratório qualquer, dum dentista, também… enquanto se espera, há sempre um jornal, uma revista, à mão!!!... Ajudam a passar o tempo, folheiam-se, lêem-se as gordas, um que outro artigo, do dia, do anterior, com semanas passadas, ultrapassadas, quiçá!!!... Hoje, para não fugir à regra… estendi o braço, apanhei o Correio da Manhã, não sei se do dia, de hoje… se do anterior!!!... Fui lendo, por alto, sem ligar muita importância a comentadores, outros como eu, como nós… quando escrevemos, quando comentamos, papagaios caseiros, na nossa, na de outros… tanto faz, dá igual, indiferente!!!... A crediblidade dos políticos, pelo lido, não é de agora, já dura… anda pelas ruas da amargura, pelos vistos!!!...

…quando, incrédulo me quedei… o Povo anda deprimido, descrente, tanta e tanta gente mas, mesmo nas piores alturas, ainda não perdeu, tal como o papagaio-mor, o sentido do humor!!!... Este, papagaio assumido, distinguido, despedido, calado, afastado, já regressado… há pouco, poucochinho, fala de Guterrista de segunda, não se visualizando sequer e… aos seus, outros que tais, mas o Povo não perdoa e… pela calada, descarrega, pois então!!!...

…segundo li, tal como vi… nos cartazes que estão, entre o Marquês e as avenidas novas, de todos os líderes, sem excepção, conforme o C.M., houve quem… com sentido de revolta, com alguma imaginação, sendo burlesco, dantesco, sistemático, conciso e preciso, se deu ao trabalho de brindar os políticos cimeiros, os primeiros, os não credíveis… com uma bolinha redondinha e vermelha, encarnada, para os que não gostam do vermelho, mesmo, mesmo… na ponta do nariz, transformando-os, dum momento para o outro, em palhaços, tal e qual!!!... Houve algumas excepções, pelo que ouvi… mais tarde, nas notícias das treze horas!!!... Afinal, o diário, era de hoje!!!... Nem tinha reparado, confesso!!!...

… entretanto há um que diz, não se contradiz, pelos vistos… que está aberto a debates e o outro, o das pedradas, das chapadas, das facadas, embirrou, ultimamente… com esta, a dos debates, com mimos, com baralhadas, com trapalhadas, numa continuidade… já hábito, ridículo, caricato!!!... Que se penitenciem, que se deixem de palhaçadas!!!... Sujeitem-se às bolinhas encarnadas, na ponta do nariz, sem excepção, pois então!!!... Dá pena… sinto dó!!!... Entre papagaios e… palhaços, cá vamos entristecendo, esmorecendo, não acreditando, talvez!!!... Dá que pensar… sobre esta série de trapalhadas, por tudo e por nada, como uma maneira de estar na política, descredibilizando, aviltando, por querer, cada vez mais, numa ascensão alucinante, degradante!!!... Porque será???... Sherpas!!!...
24
Jan05

...entre papagaios e... palhaços???...

sherpas



…numa sala de espera, dum consultório médico, dum laboratório qualquer, dum dentista, também… enquanto se espera, há sempre um jornal, uma revista, à mão!!!... Ajudam a passar o tempo, folheiam-se, lêem-se as gordas, um que outro artigo, do dia, do anterior, com semanas passadas, ultrapassadas, quiçá!!!... Hoje, para não fugir à regra… estendi o braço, apanhei o Correio da Manhã, não sei se do dia, de hoje… se do anterior!!!... Fui lendo, por alto, sem ligar muita importância a comentadores, outros como eu, como nós… quando escrevemos, quando comentamos, papagaios caseiros, na nossa, na de outros… tanto faz, dá igual, indiferente!!!... A crediblidade dos políticos, pelo lido, não é de agora, já dura… anda pelas ruas da amargura, pelos vistos!!!...

…quando, incrédulo me quedei… o Povo anda deprimido, descrente, tanta e tanta gente mas, mesmo nas piores alturas, ainda não perdeu, tal como o papagaio-mor, o sentido do humor!!!... Este, papagaio assumido, distinguido, despedido, calado, afastado, já regressado… há pouco, poucochinho, fala de Guterrista de segunda, não se visualizando sequer e… aos seus, outros que tais, mas o Povo não perdoa e… pela calada, descarrega, pois então!!!...

…segundo li, tal como vi… nos cartazes que estão, entre o Marquês e as avenidas novas, de todos os líderes, sem excepção, conforme o C.M., houve quem… com sentido de revolta, com alguma imaginação, sendo burlesco, dantesco, sistemático, conciso e preciso, se deu ao trabalho de brindar os políticos cimeiros, os primeiros, os não credíveis… com uma bolinha redondinha e vermelha, encarnada, para os que não gostam do vermelho, mesmo, mesmo… na ponta do nariz, transformando-os, dum momento para o outro, em palhaços, tal e qual!!!... Houve algumas excepções, pelo que ouvi… mais tarde, nas notícias das treze horas!!!... Afinal, o diário, era de hoje!!!... Nem tinha reparado, confesso!!!...

… entretanto há um que diz, não se contradiz, pelos vistos… que está aberto a debates e o outro, o das pedradas, das chapadas, das facadas, embirrou, ultimamente… com esta, a dos debates, com mimos, com baralhadas, com trapalhadas, numa continuidade… já hábito, ridículo, caricato!!!... Que se penitenciem, que se deixem de palhaçadas!!!... Sujeitem-se às bolinhas encarnadas, na ponta do nariz, sem excepção, pois então!!!... Dá pena… sinto dó!!!... Entre papagaios e… palhaços, cá vamos entristecendo, esmorecendo, não acreditando, talvez!!!... Dá que pensar… sobre esta série de trapalhadas, por tudo e por nada, como uma maneira de estar na política, descredibilizando, aviltando, por querer, cada vez mais, numa ascensão alucinante, degradante!!!... Porque será???... Sherpas!!!...
24
Jan05

...entre papagaios e... palhaços???...

sherpas



…numa sala de espera, dum consultório médico, dum laboratório qualquer, dum dentista, também… enquanto se espera, há sempre um jornal, uma revista, à mão!!!... Ajudam a passar o tempo, folheiam-se, lêem-se as gordas, um que outro artigo, do dia, do anterior, com semanas passadas, ultrapassadas, quiçá!!!... Hoje, para não fugir à regra… estendi o braço, apanhei o Correio da Manhã, não sei se do dia, de hoje… se do anterior!!!... Fui lendo, por alto, sem ligar muita importância a comentadores, outros como eu, como nós… quando escrevemos, quando comentamos, papagaios caseiros, na nossa, na de outros… tanto faz, dá igual, indiferente!!!... A crediblidade dos políticos, pelo lido, não é de agora, já dura… anda pelas ruas da amargura, pelos vistos!!!...

…quando, incrédulo me quedei… o Povo anda deprimido, descrente, tanta e tanta gente mas, mesmo nas piores alturas, ainda não perdeu, tal como o papagaio-mor, o sentido do humor!!!... Este, papagaio assumido, distinguido, despedido, calado, afastado, já regressado… há pouco, poucochinho, fala de Guterrista de segunda, não se visualizando sequer e… aos seus, outros que tais, mas o Povo não perdoa e… pela calada, descarrega, pois então!!!...

…segundo li, tal como vi… nos cartazes que estão, entre o Marquês e as avenidas novas, de todos os líderes, sem excepção, conforme o C.M., houve quem… com sentido de revolta, com alguma imaginação, sendo burlesco, dantesco, sistemático, conciso e preciso, se deu ao trabalho de brindar os políticos cimeiros, os primeiros, os não credíveis… com uma bolinha redondinha e vermelha, encarnada, para os que não gostam do vermelho, mesmo, mesmo… na ponta do nariz, transformando-os, dum momento para o outro, em palhaços, tal e qual!!!... Houve algumas excepções, pelo que ouvi… mais tarde, nas notícias das treze horas!!!... Afinal, o diário, era de hoje!!!... Nem tinha reparado, confesso!!!...

… entretanto há um que diz, não se contradiz, pelos vistos… que está aberto a debates e o outro, o das pedradas, das chapadas, das facadas, embirrou, ultimamente… com esta, a dos debates, com mimos, com baralhadas, com trapalhadas, numa continuidade… já hábito, ridículo, caricato!!!... Que se penitenciem, que se deixem de palhaçadas!!!... Sujeitem-se às bolinhas encarnadas, na ponta do nariz, sem excepção, pois então!!!... Dá pena… sinto dó!!!... Entre papagaios e… palhaços, cá vamos entristecendo, esmorecendo, não acreditando, talvez!!!... Dá que pensar… sobre esta série de trapalhadas, por tudo e por nada, como uma maneira de estar na política, descredibilizando, aviltando, por querer, cada vez mais, numa ascensão alucinante, degradante!!!... Porque será???... Sherpas!!!...
24
Jan05

...tempo de pai... que já lá vai!!!...

sherpas



… tempo do pai,
tempo que foi, que já lá vai,
que passou, findou,
quando se esfumou, deixou marca,
muita coisa ficou,
memória que se não aparta,
que retém, como refém,
época bonita… era eu, criança,
na sua labuta, na sua luta,
na brincadeira de rua,
doce esperança,
jogo do empurra,
uma contradança,
um polícia, outro ladrão,
barulho, gritaria, confusão!!!...


…o pai… ao balcão,
negociando, convencendo,
profissional, de corpo inteiro,
pequeno comércio, vendendo,
outros tempos,
merceeiro… miscelânea,
negócio que se arranja,
maneira de ser… espontânea,
relógio que se amanha,
sábado de azáfama,
máquina que se concerta,
conta que se paga, que se acerta,
pai… que se ama,
que se idolatra, que se enaltece!!!...


…burburinho, clientela,
naquela vila, naquela viela,
rua de confusão,
de catraios… em profusão,
bacalhau que se corta, se pesa,
mais uma despesa,
meio arrátel de café,
pequena porção de açúcar,
embrulho de papel pardo,
um queijo, uma linguiça,
um grito… é o Zé,
o escolhido, o que fica no lugar,
contagem rápida, um esvoaçar,
o que se agarra, o mais parvo,
energia que se atiça,
catraio que se esconde,
foi por ali… está aonde???...


…não posso pagar,
não há problema, ti Maria,
não há azar,
quando puder,
um faz favor,
um muito obrigado,
uma balbúrdia, noite de sábado,
noite de compras,
noite de contas,
noite de jogos, iluminados,
ali ao pé,
junto da loja,
com muita gente,
como sempre,
na rua… onde se aloja,
numa amálgama, numa animação,
o movimento,
nesse momento,
…recordação!!!...

… tempo de pai,
tempo que foi… que já lá vai!!!... Sherpas!!!...


24
Jan05

...estudar... no café!!!...

sherpas



…era normal, todos os dias, depois das aulas, quando regressava à casa onde me encontrava hospedado, nos meus tempos de estudante, adolescente!!!... Tinha um quarto, podia dispor da sala… para estudar mas, a casa não era minha, não me sentia cómodo, quiçá!!!...Quase sempre, agarrava nos livros, encaminhava-me para o café, puxava uma cadeira, pedia uma bica, sentava-me, espalhava os calhamaços (… de estudo, claro!!!) e, aguardava… olhando para o exterior, através das grandes vidraças, a vida, o povo que passava, embevecido com o que via, satisfeito comigo próprio!!!...

…chegava o café, cheiroso, quente, apetitoso!!!... Bebericava-o, aos poucos e, mais enfadado, porque enfadonho… abria um compêndio, folheava-o, sem interesse, uma seca, tirava alguns apontamentos, sublinhava a vermelho, tentava reter na memória, compreender!!!... Obrigação, dever, aplicação… imposição, lugar inadequado, o menos indicado!!!... O café, como lugar de estudo… nunca funcionou!!!... Que, com insistência, persisti… facto mais que provado, basta recordar, lembrar!!!... Tinha carradas de inconvenientes!!!... Por vezes, abstraía-me, conseguia mas… sol de pouca dura, fartura!!!... Amigos e colegas que chegavam, conversas que se faziam, combinanços de momento, planos para concretizar, no acto, na hora… livros que se fecham, uma volta, um esquecimento!!!... Vou ali… já venho e, o estudo, ficava por ali, uns minutos, uns segundos!!!...

… no dia seguinte, a estória repetia-se!!!... Estudar no café, por mim falo… nunca deu nada, antes pelo contrário!!!... Era ponto de encontro, era lugar de conversa, diversão, animação… tertúlia ao seu mais elevado nível, outro estilo!!!... Coisa boa!!!... Os livros, o estudo… eram simples pretextos!!!... Convencimentos próprios, desajustados… nada indicados!!!... Outros tempos!!!... Sherpas!!!...
24
Jan05

...neo-fascistas... como diz Bagão???...

sherpas



…fugir um pouco do Parlamento, esquecer… sem ir embora, afastar do pensamento, o dito e o seu conteúdo, coisa de vulto, aquiesço, de capital importância, vital… direi, acentuo, sempre vivo, actual, decisor e decisivo!!!... Lamento que sejam poucos, os que se dediquem a essas actividades, as do comentário escrito, sobre políticas e políticos!!!... Daí, o regabofe… em que, por vezes, caímos!!!... Contra ventos e marés, como grita o outro… o das facadas, é difícil a navegação, pois então!!!... Agora, mais recente… com mimos e carinhos!!!... Com outro rumo… têm sido tantos e tão variados, que não passa de simples fumo, derivado de algum fogacho???... Quanto ao útil… duvido, com toda a razão que me assola e pergunto, útil a quem???....Para mudar a sério… deixa-me incrédulo, abismado, tanto aqui, como em qualquer lado!!!... Quer dizer, até agora, temos andado a brincar???... Eles divertiram-se e mais 200.000, ficaram sem emprego, apregoam… na sua radicalidade, na crueza dos factos, com a realidade à flor da pele, sem peias, os militantes de extrema-esquerda dum partido a quem apelidam, também… de esquerda caviar, com desdém, grupinho de burgueses revolucionários, os que mexem nestas verdades, os que tentam endireitar o sistema, doa a quem doer!!!... Nova versão, segundo Bagão… neo-fascistas, pois então!!!... Será que denunciam situações como esta, a do desemprego, o da miséria… como simples passatempo, coisas sem importância???...

… cartazes e mais cartazes, espalhados por tudo quanto é canto, com raiva, com encanto, com sorrisos confiantes, agradáveis, sedutores, com promessas do fim do Mundo, com incitamentos, com denúncias, com queixas, com vitimizações, com ilusões, com as suas razões, as de cada um, unidos em partido, conjunto engrandecido, exército posicionado, com armas e bagagens… pouco antes e durante a campanha de convencimento!!!... Mostram tudo, dizem de mais, são irreverentes, mentem, esquecem, enlouquecem, fazem… o que chamam de luta, de combate, com dichotes, com disparates, com… enganos, tamanhos!!!... Escondem tudo, mostram de menos, como estratégia, é usual… tapam o que os possa prejudicar!!!... Quanto aos cartazes… entram pelos olhos dentro, como vozes desgarradas, como chamamentos, insistentes… convincentes, indecentes, quando ludibriam, quando enganam!!!...

…e assim vamos indo, o tempo vai passando, num combate que se alastra, que se assenhoreia de tudo, dono e senhor… das nossas vidas, no que chamam de democracia, livre escolha, voto útil, contra ventos e marés, mudando de rumo, quiçá… desta vez, a sério, enquanto eles se divertem, é evidente!!!...

… com diversão ou não… é um facto, para ser exacto, limitam-se a apontar o dedo, a tocar na ferida, a mostrar a dor, o sentimento, o aviltamento, a esquecerem burradas cometidas, a tentarem de novo, a prometerem, mais uma vez, até à exaustão, durante esta campanha, tal como noutra passada!!!... Desde sempre o têm feito… é o jeito, o modo, o tom, o som, a música, a cantiga!!!... Já estamos habituados… vamo-nos conformando, baralhados que estamos, quase não ligamos!!!... É tempo dela, mais uma… entre tantas!!!... Por vezes, dado não ser político profissional… esse é o meu mal, não o sendo, vou escrevendo, como se o fosse, tento colocar de lado, afastar-me, ir embora, abandonar o Parlamento!!!...

… penso, inclusive… por gostar de fazer o que faço, de escrevinhar, dedicar-me ao romance, ao conto, à historieta de treta, à poesia, a tempo inteiro mas, logo me desvio dessas ideias, não consigo calar cá dentro… as minhas raivas, as minhas zangas, as minhas brigas… contra tanto e tanto espavento, contra tanta e tanta mentira, contra tanto e tanto aproveitamento!!!... E, cá estou, novamente, como gente que sente, como gente que chora, como gente que… não vai embora, continua no Parlamento, fazendo o que todos deveriam fazer, exigindo e denunciando!!!... Como eu gostaria, se tivesse dinheiros suficientes, verbas apropriadas, encher cartazes e cartazes, com palavras minhas, bem grandes, enormes… sem figuras, sem rostos, assinadas, claro, não anónimas, exigindo o que nos cabe, por direito, por vinculação a um País, denunciando situações escabrosas, negociatas sujas, corrupções e promiscuidades, fazendo campanha permanente, a favor da gente da minha terra, a favor dos desfavorecidos, dos vitimizados, dos postos de lado… dos esquecidos!!!...

… com esta eleição, a do 20FEV 2 005, passados que sejam, meia dúzia de meses, independentemente de quem ganhe, suponho… pelos vistos, pelo que tenho lido, pelo que tenho ouvido, estaremos com situações muito parecidas às que nos envergonham, um pouquinho, todos os dias!!!... Desequilibrados, injustiçados… embrenhados num profundo oceano de contradições, como sempre!!!... Assim eu me engane!!!... Sherpas!!!...
23
Jan05

...pelos livros... que não li!!!...

sherpas
… de saudosista me apelidaram, mais do que uma vez, por sinal, por ser pessoa de idade, por ter muito passado, por gostar de recordar, como qualquer pessoa da minha geração, com muita vida… já vivida, não por políticas, por ditaduras mortas e enterradas, como julgam, quando o afirmam, quando o escrevem!!!... Do alto dos muitos anos que possuo, (… não tantos como assim, claro!!!...) olhando para trás, recordo, com saudade, outros tempos, outros momentos desta minha caminhada, quando criança, quando jovem adolescente, mais homenzinho, já crescido, com carácter e personalidade própria, formada… um projecto de vida, com bases fortes, num certo sentido, muito fracas, diminuídas, inexistentes… noutro, pouco esclarecido porque coartado, cerceado no que mais adorava, a leitura!!!... Ai se eu pudesse voltar para trás, o que eu não faria!!!... Exclamações destas, tenho-as quase todos os dias!!!... Não se pode remediar o irremediável!!!... Embora digam que a história se repete, a de cada um, a outra estória, depois de… acabou-se, não tem repetição possível!!!... É pena!!!... Os livros que eu leria, os proibidos, na altura, pela censura!!!... Qual seria a minha formação???... Como seria agora a minha maneira de pensar???.... Qual o meu trajecto???...

…perguntas que faço a mim próprio, que não obtêm respostas, que ficam mortas!!!... Trabalho vão, pensares desajustados, inadequados!!!... Espírito inquieto, revolta interior, recusa dum facto, inconformismo, tal e qual!!!... Como gostaria de me aquietar, tal como tantos, de ir batendo as cartas com companheiros, com parceiros, de frequentar cafés, sociedades… fazendo tertúlia, passando tempo, passivo, lascivo, indiferente, pouca gente, indiferente, de me quedar, embasbacado, frente a um televisor, torcendo por um clube qualquer, encarnado, azul ou verde, sofrendo, dando gritos, palmadas e urros, às vezes… murros, nas mesas é evidente!!!... Mas não, sou contra essa maneira de estar, de ser conduzido, induzido, não me aquieto… irrequieto, por natureza, a cabeça a fervilhar, cá dentro, pensando e recordando, ouvindo e comparando, desejando mais e mais, gostando de partilhar os meus pensamentos, escrevendo, de atirar as minhas ideias utópicas para o ar, como se nada!!!...

… pela riqueza de vida que tive o privilégio de viver, em liberdade, quando pequeno, em vila alentejana, em contacto directo com a natureza, com os campos, com os animais, com os meus iguais, companheiros de brincadeira, pelos tempos mais pacatos, mais indolentes, simples e sensíveis, não tão complexos e perversos, como os de agora… sinto saudades, imensas, tamanhas!!!... Não trocava a minha infância por nenhuma infância perdida, incompreendida, desaproveitada… dos meninos de agora, os que vivem em caixinhas, dependentes delas, fechados em redomas, doiradas ou não, com muitas oportunidades, quanto a práticas, quanto a conhecimentos, com a papinha feita, a preceito, ao jeito!!!... Muito menos pelos que… pelas circunstâncias, nem infância tiveram, pesadelos e tormentos, somente, como sabemos!!!... A sociedade actual, com os seus prós e contras, desajustada… pode ser perversa, muito má, péssima, para as crianças!!!...

… a oferta, a possibilidade de escolha, a diversidade… quanto a conhecimentos escritos, sem barreiras de espécie alguma, agora, na hora, é o que mais invejo, comparativamente, quando criança!!!... Aprendi a ler, por tabela, com companheiros mais velhos, pelo gosto pela banda desenhada, pelos bonecos que falavam uns com os outros, naqueles balões, com setas, por cima dos ditos!!!... Era pequeno, ainda não tinha ido para a escola e, como não sabia, perguntava!!!... Havia sempre um, mais velho… que lia em voz alta e eu… ouvia!!!... Eram figuras descoloridas, a preto e branco, fantasiadas, banda desenhada da altura, uma negrura!!!... Tantas vi e ouvi ler que, aos poucos, fui associando os sinais e… quando fui para os lugares das carteiras, na escola primeira, antes de me ensinarem, já sabia, à minha maneira!!!... Depois foi um aperfeiçoar, por parte dos meus professores, os da altura!!!...

…o pior foi o resto, o que se seguiu, a fome enorme de ingerir conhecimentos, a procura incessante, gigante, de saber mais e mais!!!... Obras de ficção, romances, os que me proporcionavam gozo, me davam prazer!!!... Gostava de ler, gostava de saber!!!... De tudo li, tudo averiguei, o que podia, o que me era oferecido!!!... Reduzido, proibido, censurado!!!... Estudei o que tinha que estudar!!!... Por obrigação… nunca gostei, nunca fui de cangas, espírito libertário, revolucionário, sem revolução!!!... Era, pelos meus, considerado como sendo a ovelha negra da família!!!... Não me portava mal mas… queria algo mais do que tinha, para mim e para os meus amigos!!!... Enfim, outros tempos, profundas saudades… graves carências!!!... Pelas carências, as do conhecimento, as vedadas… nunca lhes perdoei, aos ditadores, aos da altura, aos que os recordam agora, aos que os tentam ressuscitar, lhes tentam limpar a memória… escória!!!...

…é degradante, a sociedade que não aposta no conhecimento, que descura as pessoas, que as usa em proveito duma elite reduzida, mais polida, rica de bens, de dinheiros!!!... Ideias de direitas, extremadas, como as que temos… as que se dizem democratas, bacocas, pataratas!!!... Há que renegar gentes dessas, pelo passado que me negaram, quanto a livros que não li, quanto a imposições que me prodigalizaram, com fartura… quando me puseram a marchar, sem gosto, nem inclinação, sequer!!!... Agora, escrevo mais do que leio… pelos olhos, pela vista, pela idade, pela incredulidade, pela falta de sonho, pela crueza das imagens, pelo que folheio, pelo que ponho de lado… imprestável, papel sem préstimo, livros publicados, sem conteúdo, sem nexo, uma hecatombe deles, virou moda, tal como outras coisas, as menos exactas, as menos eficazes, numa época que se não condói, que ainda não se encontrou, pelos vistos!!!...

…apetece repetir o que o Povo pregoa… dá Deus nozes, a quem não tem dentes!!!... Pelos livros que não li… aqui vos deixo, mais um lamento!!!... Sherpas!!!...

Pág. 1/3

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2005
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2004
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D