Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sherpasmania

... albergue de poemas, poesias e... outras manias, bem sentidas, por sinal!!!...

Sherpasmania

... albergue de poemas, poesias e... outras manias, bem sentidas, por sinal!!!...

26
Jan05

...eles falam, falam!!!...

sherpas



…eles falam, falam… como alguém, por aí escreve, como alguém, por aí diz e… o certo é que, tanto um, como outro enfermam dos mesmos males, muita treta, poucos feitos, só para inglês ver, é evidente!!!... Como o tempo tem estado como todos sabemos, uma Primavera fora de época, uma seca, para quem necessita de água, para campos e para gados, para consumo, no interior, mais carenciado, mais negligenciado, abandonado, tremenda calamidade, pura verdade!!!... Ao invés, para os do litoral, com mais ofertas, com muitas distracções, um pouco mais abastecido do essencial, quanto a abastecimento do líquido precioso… nem dá para ver, seguem, como se nada!!!... A vidinha vai-se fazendo, vai correndo, com alguma normalidade, dentro da anormalidade, a deste País, tão diferenciado, tão desequilibrado, prometido e… esquecido, logo a seguir, num desleixo, numa incúria, num laxismo, gritantes, entregue, desde há três, quatro anitos… a um molhinho de irresponsáveis e incompetentes, de várias cores, indiferente!!!... Como me ia explanando, escrevinhando meus lamentos, meus pensares, meus sentires… continuo, no mesmo sentido, com o mesmo conceito, quanto a tempo, quanto a água, a que se não tem, quanto a Sol… o que abunda, nesta Primavera extemporânea, que se prolonga, para nosso mal, claro!!!...

… quem não gosta do astro rei???... Quem não gosta do bom tempo (???...), mesmo fora de tempo???...Quem não aproveita… desde que possa, ainda que mais não seja, para aliviar de outras penas, carradas delas, ultimamente???... Com uma aberta, com um carrinho ao jeito, com vontade, com algumas lecas, numa tarde qualquer… um ver se te avias, ala que lá vão eles, nós, os outros, tristezas para trás das costas e… ao caminho, que se faz tarde!!!... Pois é… entre tantos que não podem, entre tantos com fome, entre tantos desempregados, ainda me considero um privilegiado, um abençoado, embora tristonho, de mal com muitas coisas que não concebo porque, penso muito nos outros, nos mais carenciados, nos postos de lado!!!...

… foi no domingo passado, aqui ao pé, aqui à porta, a um saltinho… à serra da Arrábida, a tal que é zona protegida, que tem dado muito que falar, pelas casinhas, quintinhas dos importantes, ministros ou não, em gestão ou… no activo, pelos vistos, pela cimenteira, pelos lixos banais, pela co-incineração e, pelo melhor que ela tem, espécies únicas, que deveriam ser protegidas e não foram, não são, pelas paisagens grandiosas, autênticas obras-primas, pintadas numa tela dum pintor mágico, fantástico, superior!!!... Fomos lá dar uma voltinha… há quanto tempo o não fazíamos!!!...

… isto, depois de ver, com olhos pesarosos… uma reportagem duma visitinha dos bloquistas, ali para o Baixo Alentejo, local onde depositam óleos, líquidos tóxicos, lençol enorme de lamas, a céu aberto, no concreto, uma enormidade, calamidade!!!... Como este local, quantos outros não haverá, como se estivessem escondidos debaixo do tapete… por inconvenientes, incómodos para os que descuram o ambiente, os que deveriam ser e não são… responsáveis, os que falam, falam… até quando???... Há problemas gravíssimos no nosso ambiente, avassalado, descuidado, escarnecido, vilipendiado!!!...

… mas, voltando ao tema, à volta pela Arrábida, local da minha afeição, beleza incomparável, perfeição absoluta, não tanto, quiçá!!!... Fomo-nos chegando, passámos por Azeitão, começámos a subir, a deliciarmo-nos com o que víamos!!!... Fomos subindo, subindo… com o oceano lá ao fundo, azul claro, calmo, alguns barcos que, ao longe, pareciam parados, do outro lado, a península de Tróia, a costa alentejana, como um fio doirado… a perder de vista, o estuário do Sado, largo, preguiçoso… maravilhoso, o casario de Setúbal, lá ao longe, quando chegados ao ponto mais elevado, por uma aberta, do lado esquerdo, o inverso, paisagem diversa, arredores de Azeitão, outras povoações, casinhas de brincar, com muitos verdes… um encanto!!!... Já lá não passava há muitos meses, ia satisfeito com o que via, nem tão pouco me lembrava, pois não!!!... Ao descer, num rompante, em plena serra, calamidade, veio-me à mente o incêndio, a série de fogos do último Verão, tremenda maldição, responsabilidade acrescida, memória recente… perante o que ia vendo, árvores e arbustos calcinados, enegrecidos, tantos!!!...

…quebrou-se-me o encantamento, entristeci, reflecti!!!... O ambiente com lamas, com tóxicos, banais ou não, com desprezo, com laxismo, com fogos, mais que muitos… no curto espaço de tempo, três ou quatro anitos, tem sido gravemente atacado!!!... Não basta descurarem as pessoas, as que são tratadas como lixo, como ainda o entorno, o Paraíso, o protegido, inclusive!!!... Ainda têm a lata, quando falam… de se incriminarem, uns aos outros, como se fossem detentores da verdade, possuidores das soluções!!!... Eles falam, falam… como alguém escreve, como alguém diz!!!... Pobre País!!!...

… para me compensar do triste espectáculo, não como recompensa, não como homenagem, antes… como hábito antigo, desde há muito, contristados, fomos comer umas tortas de Azeitão, as verdadeiras, as primeiras, no local de sempre, à hora do lanche!!!... Quando os oiço, quando os vejo, quando os leio… quando penso, tenho de escrever, estas coisas, entre outras!!!... Ao que chegámos, Deus meu!!!... Sherpas!!!...


Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2005
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2004
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub