Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sherpasmania

... albergue de poemas, poesias e... outras manias, bem sentidas, por sinal!!!...

Sherpasmania

... albergue de poemas, poesias e... outras manias, bem sentidas, por sinal!!!...

03
Fev05

...pai...paaaiii!!!...

sherpas


…PAI!!!... PAAAIIII!!!...

…grito imenso, no vazio,
chamamento, procura vasta, louca,
por toda a parte, perdido, confuso,
quanto mais velho, mais me arrepio,
mais sinto a falta, tão grande a amizade,
nesta vida…que se apouca,
que se encurta,
se alonga,
pai, irmão, verdade,
confiança, encosto, força,
minha base, meu companheiro,
de sempre…por inteiro,
quanta falta, quanta saudade,
quanta escuridão, desespero,
minha origem, progenitor,
meu exemplo, meu esplendor,
profunda dor,
ausência… Senhor,
quando grito, quando procuro,
na imensidão, no escuro,
na turba, na multidão,
um que outro rosto,
uma visão,
na falta que sinto,
quando teu nome…grito!!!... Sherpas!!!...
03
Fev05

...estratégia dos...senhores do destino!!!...

sherpas
…claro que teríamos de ter um plano, uma estratégia, um esboço… fazer pesquisa, estudar pessoas, tanto cá, como lá, as francesas, com deslocação ou não, através das novas tecnologias, magias… outra questão, colocando um ponto, um acrescento, um toque pessoal, muita imaginação!!!...

…bem, depois…recuaríamos uma vintena de anos, situaríamos a época, controversa, a dos pais, outros tempos, realidades diferentes, por alturas da ditadura, a que se prolongou, ao longo de quarenta e tal anos… em Portugal!!!... Haveria muita coisa para contar, no aspecto social, político, geográfico e económico… neste cantinho nosso, numa aldeia situada em vale formoso, cá em baixo, rodeada por altas montanhas, de difícil acesso, lugar esquecido, por Deus e pelos homens, pelos governantes daquela era!!!... Seria um fartar, um campo propício para embelezar a obra, para preencher, condizendo com o estatuto parco, reduzido, dos pais dos intervenientes!!!...

… arranjaríamos uma querela, entre eles… uma tragédia, ódios de morte, sentimentos adversos, quadros negros, pesados, qual familiares de Romeu e Julieta, à portuguesa ou… pior, a origem duma situação de incesto, praticada mais tarde, entre o casal jovem, inocentemente, pelas circunstâncias!!!... Explicaríamos as razões da emigração, para França… a permanência dos outros, no local, parados no tempo, isolados, ao longo de duas dezenas de anos, quiçá!!!...

…iríamos a França, ou…usaríamos a Internet, mais cómodo, mais preciso, mais conciso…descreveríamos a região, acompanharíamos o crescimento da donzela, o seu entorno, o seu apoio, a sua integração, com facilidades e dificuldades de vida, muito próprias, muito normais, em casos destes… outros que tais!!!... Iríamos recuando e avançando, aos poucos, entrechocando o presente, com o passado, as duas realidades, as duas posturas, os dois Países, casos tão graves e repletos… como a pobreza, a miséria, o obscurantismo, a ignorância, o analfabetismo, carências visíveis, aberrantes… as de dantes, por essas alturas, agruras e sofrimentos… sem um lamento, como um destino, tanto na serrania, aqui em casa, bem perto no tempo… ainda há pouco, como os bairros de lata, os bidonvilles franceses, primeiras habitações dos recém-chegados, portugueses e outros, o trabalho esforçado, o desenrascanço, lá fora, como cá dentro!!!... Tempos difíceis, claro!!!...

… e, acompanharíamos o desenvolvimento dos principais, das vítimas escolhidas, das personagens de toda esta trama, com muita descrição de terras, de paisagens, de pessoas… quanto a carácter, quanto a valores, quanto a cometimentos, vários, os de vidas… mais que normais!!!... Capítulo, após capítulo…iríamos somando centenas e centenas de páginas… mantendo acesa, a paixão, a ilusão, o mistério, a tragédia… com altos e baixos, com precisão, com acutilância!!!... Uma seca… como já o afirmei, pano para mangas, labirinto perfeito para quem… como eu, não gosta, nem um pouco, é de louco, parar muito tempo, no mesmo sítio, escrevendo sempre e sempre…sobre o mesmo, vivendo vidas alheias, com sofreguidão, com penas e dores, com risos e gozos, com amores e… desamores, ódios e vinganças, algumas esperanças!!!...

…enfim, como pluralizei… nesta segunda parte, vamos singularizar, tal como fiz, ainda há pouco!!!... Não aponto caminhos a ninguém!!!... Quem sou eu, para o fazer???... Quero convencer-me, simplesmente… que não fui talhado para isso, respeitando quem o faça, quem o cometa, quem ganhe com a proeza, em satisfação pessoal e… material!!!... Muito menos, tal como o tenho dito e…redito, seria incapaz de prostituir algo que, por mim falo… acho tão natural, como o acto de escrever, de partilhar, de comunicar!!!... Deixo-me de mais coisas e, como se nada… vou continuar, como sempre fui, igual a mim próprio, tal e qual!!!... Sherpas!!!...
03
Fev05

...senhores...dos destinos!!!...

sherpas



…uma personagem, tosca, rude, baixa ou magra… tanto faz, de carácter forte, personalidade bem vincada, ambiciosa, com sonhos, muitos, num local qualquer, pequeno ajuntamento de casas, dispersas… inquieta, fogosa, desiludida com o destino, com o seu viver, sempre igual, trabalho braçal, inculto, ainda novo!!!... Dias que se sucedem, conversas repetidas, encontros casuais…rodeado de bestas, de animais, pelos campos, nos currais, vida de vegetal, a da sobrevivência!!!... Uma tasca, grupo restrito de amigos, cartas que se atiram sobre uma mesa, conversas, sempre as mesmas!!!... Sonho que persiste, que massacra, que persegue!!!...Noites inquietas, ainda novo, gordo ou magro… tanto faz!!!... Incómodo, lá vai arrastando o seu destino!!!... Figura criada, como outra qualquer… no papel, pelo senhor dos destinos, um escritor, seja quem for!!!...

…imprevisto, nunca visto, de beleza rara, fina criatura, de sexo contrário, tremenda formosura, sobrinha dum vizinho, pertinho de sua casa, um encanto, de visita, de passeio, curta estadia!!!... Veio de França, filha de emigrantes, passar uma temporada com os tios!!!... Encontros, desencontros, calhares… olhares!!!... Sonhos cor-de-rosa, de parte a parte!!!... Encantamentos, embevecimentos, cumprimentos, falas curtas, repentinas, amor que… desponta!!!... A vida, por vontade do escritor, quando… antes, rotineira, por obra de milagre, passou a ter mais encanto!!!...

…o amor incendiou, a paixão surgiu, os amigos passaram, por vias das circunstâncias, para segundo plano, era estranho, pensavam eles, não desconfiando, sequer!!!... Com arrebatamento, num celeiro perto, nos arredores do povoado, sítio apartado, sossegado, encontro combinado, consumação do acto, um desespero, uma fúria, desejo satisfeito, plenitude conseguida, união… de facto!!!...

…o tempo passou e… o fazedor de estórias, senhor dos destinos, por obras e por actos, com intenção mais que pensada, não atendendo ao amor límpido e sereno entre aquelas criaturas, uma… rude e grossa, iletrada, fúria bruta da natureza, com sonhos, peada, presa a um lugar esquecido, vegetando, até então, outra… elegante e formosa, alta, loira, esbelta, de passagem, entendeu, por bem…separá-los, com muita paixão, pelo meio!!!... Foi o princípio, começou a trama, os dados tinham sido…lançados!!!...

… a belezura, Teresa se chamava, filha de emigrantes, prenhe de paixão, ainda nova, arrebatada, presa de coração, passados uns tempos, com amores, com encontros, com uniões de facto, no celeiro ali perto, recanto de sonhos, cantinho rosado, mais que amado, desejado… intensamente, pelos dois, por via das circunstâncias, teve de regressar para junto dos pais, lá para Grenoble, terra nobre, de tradições, com história, com gentes francesas, com amigos e amigas, os de sempre!!!... Partia, ia embora, deixando para trás… o ente amado, aquele rapaz, rude e forte, fonte da sua loucura, paixão dos seus amores!!!... Começou a bater mais forte, a pena do senhor dos destinos, a do escritor!!!...

…um desgarrar, uma fúria avassaladora, no último encontro, no ninho de amor, no celeiro!!!... No dia seguinte, os tios da pequena, iam levá-la à estação, de mala na mão… de regresso!!!... O tosco iletrado, sem ser culpado, bom carácter, trabalhador, personalidade forte, alto ou baixo, bem apessoado, um poste… contido, sofrido, quedou no sítio, cabisbaixo, mais isolado, ferido, quebrado!!!... O escritor desalmado, tinha encontrado duas vítimas para a sua trama, para a sua estória, para a sua ficção, para a sua obra!!!... Daí por diante, com planos, com estudos, com mais ou com menos discrições, com conversas e situações, com quereres, com amores e desamores, com acréscimos, com valores, com baixezas, com riquezas, com estertores, com idas, com vindas, com passeios por Grenoble, com conversas em cafés, com partidas de cartas, na tasca, com sofrimentos acrescidos, conseguidos, separados, pensativos, amores avassaladores, sonhos acrescidos, famílias comezinhas, fúrias e arrebatamentos, compreensões e ambições…lá vai, capítulo, após capítulo, engendrando, desafiando, criando, destinando, com estilo muito próprio, conseguido ou não, de emoção em emoção, pesquisando paisagens, povoações, corações!!!...

…são assim os senhores dos destinos, os criadores, donos cruéis, implacáveis… das suas personagens, mais compreensivos, por vezes, amáveis e sorridentes, apelativos… boas gentes, por formação, apaixonados e ardentes, relembrando nos que criam…suas paixões passadas, vividas, pacientes, insistentes, persistentes, capítulo, após capítulo, uma seca, quanto a mim, muita obra… quando feita, completa, repleta, lida, aceite e…compreendida!!!... Fazedores de estórias, filósofos, psicólogos profundos, detentores de conhecimentos vários, pesquisadores notáveis, ágeis de pena, imaginação fértil, várias pessoas, numa só, criadores, tal e qual!!!... Vivam eles, os entertainers da actualidade, os que nos fazem sonhar, os putativos, narrativos, incomensuráveis escritores, verdadeiros donos e senhores do destino!!!... Deuses, entre gentes vulgares, vulgares… entre os Deuses!!!... Sherpas!!!...
03
Fev05

...flor bela, doce...emotiva, do Alentejo!!!...

sherpas



…ainda pequena, junto da casa dos pais, pelos campos em volta, pertinho duma oliveira, olhando para uma formiguinha, para uma pétala rubra, para uma seara verde e ondulante, para um pardal, para uma libélula, para uma gota da chuva, para um raio de sol… quanta paixão, quanto amor sentia, quanto arrebatamento, engrandecimento!!!... Uma necessidade imensa de plasmar na memória, mais tarde… no papel, a fúria intensa que se desatava, pelo acumular de sentimentos, pelos desvarios, pelo rodopiar de ideias, tantas coisas belas, tanto amor, doce esplendor, remanso, descanso, prazer intenso!!!... Cantarolava, compunha, pulava, girava…ainda criança, versejava, numa lengalenga angustiante, gritante, numa voracidade incontrolável, diferente, distante, tão próxima, tão distante… das outras crianças, suas iguais!!!... Maravilhosa ferramenta, a escrita, a leitura, refúgio, paixão, emoção!!!... Com rimas belas, esfusiantes… transpôs para o papel, catadupas de sensações, paixões amores e…desvarios!!!... A vida, viveu-a intensamente… em permanência, sempre presente, não ausente, tudo bebeu, tudo ingeriu, tudo converteu, por doces palavras… em obras, lidas de se lerem, de se sentirem!!!... Alentejo da sua alma… da alma de tantos outros, poetas e amores, paixões e sofrimentos, momentos, emoções!!!... Foi voraz, foi capaz, foi poeta…foi esteta, foi suicida, quis ser dona do seu destino, um desatino!!!... Amou de repente, perdidamente!!!... Quanto amor, quanta paixão…quanta solidão!!!... Sherpas!!!...

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2005
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2004
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub