Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sherpasmania

... albergue de poemas, poesias e... outras manias, bem sentidas, por sinal!!!...

Sherpasmania

... albergue de poemas, poesias e... outras manias, bem sentidas, por sinal!!!...

30
Abr05

... Cinderela!!!...

sherpas

…espécie de Cinderela,

durante o dia, uma vergonha,

abuso, maus tratos… peçonha,

beleza disfarçada,

uma tela, perfeita,

sem mácula,

uma estrela… andrajosa,

está bom de ver,

podem crer,

de tão formosa,

enteada,

um ter de ser,

escrava,

bem escravizada,

bela e fogosa,

um trapo,

um desfazer,

mau bocado,…

 

sempre a varrer,

a esfregar,

a limpar,

a coser,

sempre a dar

corpinho ao manifesto,

sem um queixume,

sem um protesto,

 

pobre da Cinderela,

tão fogosa,

sem mácula,…

tão bela!!!... …

 

passam-se dias,

meses,… anos,

com montes de enganos,

como uma Cinderela,

escravizados,

com maus bocados,

com Pátria… tão madrasta,

que contrasta,

 

entre filhos,

enteados,

borra a pintura,

que amargura,

quando engana,

quando ludibria,

quando desafia,

 

num logro que continua,

à luz do Sol, à luz da Lua,

permanentemente,

como quem mente,

duma maneira… indecente,

 

pobre e bela… Cinderela,

nunca mais chegas,

com tua beleza,

formosa e casta… princesa!!!... …

 

a do conto,

a da estória,

durante o dia… abusada,

com madrinha dilecta,

diligente,

com toque de varinha de condão,

revirava,…

ia-se embora,

em carruagem apropriada,

 

outra gente,

com magia, com ilusão,

ao longo da noite, na escuridão,

era beleza, sem igual,

com trapinhos adequados,

com sedas, com cetins,

com doirados,

com sapatinhos… a condizer,

era um regalo ver,

 

num baile elegante,

um espanto,

uma paixão,

um encanto,

um sapato que se perde,

um achado, um repente,

a Lua que se vai,

o Sol que… se ergue,

quase, mau bocado,

quem se levanta… também cai!!!... …

 

tão caídos que estamos,

pobres de nós, Cinderelas,

que mal nos encontramos,

sem Lua, sem estrelas,

desmandos,

sem sapatinhos ligeiros,

transformados em bananas,

com padrastos,

com madrastas,

anos e anos… inteiros,

sem varinhas, sem magias, sem fadas,

 

tratados… com devaneios,

mal arroupados,

uns frangalhos,

caminhando por atalhos,

longe da boa vida,

a que nos foi prometida,

sem príncipe de encantar,

aqui…, neste lugar!!!... …

 

é, falta-nos o sapatinho,

um pé delicado,

a condizer,

um príncipe,

uma promessa,

uma harmonia,

um hino, um toque de varinha,

um querer,

uma procura que… não cessa,

para fazermos como a Cinderela,

tão fogosa, cândida e bela,

 

um trapo… posto de lado,

um caminho aberto,

amplo,…

encontrado,

magia,

pura magia,

com planos… com tecnologia???... …

 

por enquanto somos… Cinderela,

na Pátria formosa e bela,

com madrastas e padrastos,

com restos e...…

muitos cacos!!!... Sherpas!!!...

30
Abr05

... era uma vez!!!...

sherpas



… era uma vez,
num cantinho de lazer,
uma figura que… se fez,
um ter de ser,
não levava nada a mal,
brincava, cantava,
figura virtual,
não se vinculava,
não o fazia por mal,
limitava-se, a escrever,
para… se entreter!!!...

… era uma vez,
uma sombra passageira,
misto de coisas, talvez,
mui distintas, diversas,
sem eira, nem beira,
tendo vias… mui dispersas,
sem prisão, sem fronteira,
saltitante… com emoção,
tendo o Mundo na mão,
pensava, prepotente,
triste ser… triste gente!!!...

… era uma vez,
uma insignificância,
isolada, convencida,
de tão pouco… jaez,
com alguma jactância,
elevada, diminuída,
numa contradição perfeita,
consoante a própria vida,
já perdida, de vencida,
consolada… quando eleita,
vezes por outras,
virtualidades loucas,
insensatas, ridículas,
caricatas… partículas!!!...

… era uma vez,
deixou de ser, talvez,
entre tanta figura anónima,
mais uma, homónima,
na identidade escondida,
pérfida, ínvia… temida,
controversa,
adversa,
descontrolada, esfusiante,
pensativa, calma… insignificante,
quando se pára, repara,
que não é coisa rara,
que é uma coisa qualquer,
homem, mulher,
quando escreve, prosando,
quando poetisa, escrevendo,
pensando, gozando,
rindo, chorando… gemendo,
passageiro, afinal,
coisa pouca… virtual!!!... Sherpas!!!...

30
Abr05

... medo, de tanta coisa... afinal!!!...

sherpas



… medo, impressão… pesadelo,
assombração, terror, mal profundo,
ficar… pelos cabelos,
com os males deste Mundo,
estado de alma, espíritos malignos,
mau estar geral, confusão,
dentre os mais indignos,
um ror de… maldição,
destino, praga, intenção,
provocação feroz, deturpação,
da vida perfeita, em ascensão,
o inverso… do que se diz, em verso,
imerso, perverso,
atolado em porcaria,
tão longe da elegia,
antítese, oposição,
contrário… à boa formação!!!...

… guerras, destruições,
bombas, massacres, ataques,
armas e… armamentos,
duros os corações,
aplausos aos lamentos,
insensíveis, basbaques,
almanaques… por momentos,
números sem alma,
contas recontadas,
morte que se brinda, sem chama,
que apaga, que extingue… pequenos nadas,
vítimas inocentes,
montes e montes… de gentes!!!...

… medo, morte, agonia,
terror, maldição,
fazem parte do dia-a-dia,
deturpação,
vida, sem vida,
perdida,
esmagada,
ascensão do mal,
tida… como normal
horror, pavor, aversão,
apatia… depressão!!!...

… medo, de tanta coisa, afinal,
pavor, terror, horror,
um afastamento… um final,
um ter de ser, seja o que for,
para nosso bem, para nosso mal,
impressão, insatisfação… temor!!!... Sherpas!!!...
29
Abr05

... estou dorido... adoentado!!!...

sherpas



… estou dorido, adoentado
mais calado, menos produzido,
um pouco, mais isolado,
não tenho escrito,
vou rebuscar o guardado,
mau sinal, triste… meu fado,
cabisbaixo, vou arrastando,
desconfortos, assomos,
outros tempos, vou cantando,
com reduzidos arroubos,
com menor imaginação,
cansaço… aflição!!!...

… momentos passageiros,
já não canto a vida,
não irrito… os foleiros,
quedo-me recatado,
perpasso os olhos pelo… alheio,
não me rebelo, constato,
homem que sou, de pouco trato,
amigo, de facto,
de corpo inteiro,
quando me dou, me entrego,
não pedindo, porque não peço,
dando, quando arremesso,
minhas rimas, meus sentires,
meus augúrios, meus provires,
com denodo, satisfação,
com pujança, ilusão,
quando… me sinto bem,
não olhando a quem,
numa revolta permanente,
numa alegria constante,
pelo meio da minha gente,
exultante… extravagante!!!...

… estou dorido, adoentado,
mais isolado, sossegado,
perdeu-se-me o pio, a criação,
adormecida… a imaginação,
no meu recanto, já não canto,
rebusco coisas velhas,
vou juntando e… mando,
de casas arruinadas,
as telhas,
já escritas… já cantadas!!!...

… as musas, por vezes… falham,
deixam-nos, vão embora,
não se condoem, esmagam,
pelo abandono de quem chora,
pobre poeta, adoentado,
triste… bem isolado,
revolucionário de treta,
fazedor de coisa pouca,
já não escreve, não inventa,
foi-se-lhe calando… a boca!!!...

… são espaços, escassos,
raros,
avassaladores, bem caros,
constrangedores,
provocam espasmos e… dores,
dias maus, sombrios,
muitas linhas, poucos fios,
numa meada emaranhada,
quando se buscam querelas, lios,
ficamos, por vezes, sem nada,
doridos, adoentados,
menos produzidos,
isolados,
quando não fazemos… escritos!!!... Sherpas!!!...


29
Abr05

... conformados... se apartam!!!...

sherpas



… há alturas, mais enfraquecidos,
já cansados… de ideias parcas,
reduzidos,
conformados, calados, quando se apartam,
quando se sentem soçobrar,
abandonados, sem inspiração,
sem musas, dizem, escrevem, clamam,
os que sentem esta emoção,
os que comungam, os que morrem,
um bocadinho… todos os dias,
solidários que são, quando têm,
dor, ansiedade, carinho amor, partilha,
pelos que sofrem, pelos que morrem,
pelo pai esquecido, pela mãe vilipendiada, pela filha,
pelo filho escarnecido, pelos que não comem,
por todo o Mundo que… sofre,
por todos aqueles que não podem,
pelos fracos, pelos débeis, miseráveis,
tratados, como se não fossem,
pelos execráveis,
excluídos, esquecidos… degradáveis!!!...

… morrem todos os dias,
mais e mais, de tanta maneira,
escrevendo fantasias,
chorando a triste rameira,
o drogado viciado,
o miserável sem tecto, nem beira,
o excluído, pela cor, pelo defeito, pelo fado,
inclinação desviante, sendo igual,
humano, inteiro… tal e qual,
o arrogante prepotente,
o que maltrata toda a gente,
insensato… imbecil,
o que mata com fuzil,
o que destrói com palavras,
corrosivas,
odientas, abusivas,
a que aborta, o que não nasce,
o injustiçado,
o usado,
o que não cresce, o que desaparece,
o que, aos poucos… desfalece,
misérias que se acumulam, que se disfarçam,
que se anulam,
choros avultados,
dores partilhadas,
grandes coisas… pequenos nadas!!!...

… são assim, solidários,
nada partidários,
isolados… muito crentes,
no que os rodeia, os incendeia,
conscientes,
metidos com eles, introvertidos,
chorosos, sentidos,
por vezes… parcos de ideias,
perante coisas feias,
quando se calam,
conformados… se apartam!!!... Sherpas!!!...


29
Abr05

... primeiro ... debate mensal!!!...

sherpas



… primeiro debate, aberto, sem peias… na A.R., entre o Governo e as oposições, confrontos, sem afrontas, com dignidade, apontando divergências, esclarecendo dúvidas, propondo soluções, contrapondo, convergindo, com pactos mais alargados, sem pactos, consoante pontos de vista, quando no Poder, quando na oposição, estreia de novos líderes, de primeiro-ministro… novo ciclo, nova era, assim se espera!!!... Estou delirante… pode ser que seja desta!!!... Há problemas graves, arrastados de outras legislaturas, bem mais duras e indiferentes, outras gentes, arrogantes, extravagantes, laxistas… com descuidos imensos, por vezes, vai para trinta anos, os que se arrastam, nossa amargura, nosso descrédito!!!... Tanta coisa por fazer, podem crer, na saúde, no ensino, na justiça, na segurança, nas finanças, na economia, pontos-chave dum País, algumas vezes… remendados, um ter de ser, quedando com os mesmos buracos, quiçá, mais alargados!!!...

… ouvi um pouco, já não sou louco… ao ponto de estar amarrado, frente a um televisor, nas bancadas destinadas ao Povo, no excelso hemiciclo, estando presente… mais simplesmente, ouvindo, através dum rádio do carro!!!... Tenho posto de lado, cada vez mais… não sei porquê!!!... Vou-me apercebendo, aos poucos, como convém, vou emitindo opinião, escrevendo a meu jeito, o que me dá na gana, com inteira liberdade, confesso… mais inclinado para o lado do coração, solidário e com sentimento!!!...

… enfim, os políticos são assim, tentam disfarçar, tentam emendar a mão, tentam cativar, tentam enterrar, bem fundo… os males de que os seus partidos, os respectivos, padeceram no passado, continuam padecendo, embora mais discretos, questão de evolução, de acordo com os tempos, com a sociedade que os rejeita, quando eram, como eram… que exige transparência e clareza, averiguação e castigo de tanto e tanto processo, inquérito, aberto e fechado, prescrito, logo a seguir, com o tempo, esteve mais que visto, nunca vendo nada, continuando na mesma, como a lesma, corrosiva e viscosa… um lamento, um engano, uma trama permanente, desejo e ânsia dos que teimam, dos que não largam, dos que continuam andando por aí, por aqui, como modo de vida, maneira de estar, cómoda, bem paga, com inteira imunidade, impunes… dos sete costados, bem largos, de habituados, acostumados!!!...

o primeiro dos ministros, o presente… já se apercebeu disso, quer ir por outro caminho, quer governar, segundo diz, segundo torna a dizer, em favor dos cidadãos, no concreto, como deve!!!... Há quem o tente descredibilizar, o tente denegrir, missão do maior partido da oposição, pequena coisa, por sinal, afirmando que não governa, que governa pouco, que não arrisca, que não faz, que se mantém passivo, quase inexistente, por intermédio do novo líder, o Marques, de seu nome… com Mendes, para o identificarmos ao completo que, por vezes, mente, esquecido do que foi, do que não fez, quando era governo, ainda há pouco!!!... Teve resposta acertada quando lhe replicaram que o dito não fez pouco, exerce as funções há pouco… tempo, claro!!!... É um facto e contra eles… não há argumentos!!!...

… sempre pugnei por um Estado forte e protector, tenho as minhas razões…. não sou liberal, muito menos a favor da lei da selva, das corrupções e compadrios, qualidades de certas direitas, adversas a todos os cidadãos, os que gostam de dar umas migalhinhas, praticar a caridadezinha do fica bem com eles, com a religião que dizem praticar, enquanto se fartam, até mais não, com exaustão, orgulhosos dos seus amplos aforros, ganâncias mil, regalias e mordomias de espantar, ganhos exuberantes… em bolsas e negociatas, pondo e dispondo de vidas alheias, a quem empregam, a conta-gotas, a quem desempregam, com desapego, com afinco, em quantidades assombrosas, por ganhos, por economias, com desassombro!!!... Homens, donos de empresas, de pequenos impérios de informação, com valias mais fortes do que o Estado… não lembra nem ao Diabo!!!... Penso assim, sou… como sou!!!... Gosto e sinto-me bem… com um Estado forte e protector, que tenha força suficiente para encarar corporações, defendendo as pessoas, sem distinção, como cidadãos iguais, numa democracia de facto… sem favores aos senhores!!!... Estou expectante!!!...


… pela frente, face aos parolos, exigente e rigoroso, por trás… o que se vê!!!... Incrédulo, transcrevo:

-
Dívidas do Totonegócio adiadas

Assuntos Fiscais do anterior Governo adiou pagamento até 2010




O Fisco não pode agir contra os clubes de futebol que não estejam a cumprir o Totonegócio até 2010, avança a edição de hoje do jornal Público. O diário adianta ainda que foram notificados pelo Fisco cerca de 70 clubes com dívidas fiscais até ao final de Julho de 1996 e não abrangidas pelo Totonegócio.


…in SICOnline!!!...

… não dá para entender, um descalabro, um favor, uma permissividade, profunda promiscuidade, falta de verdade!!!...

… depois, ainda falam em pactos, puros entretenimentos, os incríveis negociadores, fingidores, fazedores de coisas ininteligíveis, asneiras e trapalhadas… fartura delas!!!... Deu para ver, para nos apercebermos do que… não queremos, simplesmente!!!... Está na cara, não está???... Sherpas!!!...


29
Abr05

... bestas... letradas!!!...

sherpas
… não generalizo, para nosso bem… há muitas excepções!!!...

… bestas que eles são, os meninos,
mimados, malcriados, de pequeninos,
mal habituados, convencidos, os orgulhosos,
mal agradecidos pelo que possuem, os vaidosos!!!...

… lá em casa, muita birra, maluquice, num desequilíbrio,
fê-los medrar, como numa estufa, num arrepio,
mal formados, num ápice, os doutores,
muitos… com cursos superiores!!!...

… uns, em matemática, poliglotas,
em medicina, em farmácia,
pura falácia,
outros, em parafusos… cambotas,
canudos de engenharia,
novas tecnologias,
sonhos, venturas… fantasias,
mestres de alquimia
na mentira, na perfídia,
mudam a verdade… da noite para o dia,
vivem a triste realidade
com paizinhos, numa redoma,
orgulho e vaidade,
metendo a família numa fona
esquecendo os que, do sangue,
são, em estudos, inferiores,
naquelas mentes de, mentecaptos,
quando se julgam… superiores!!!...


… pobres bestas, coitadas,
que foram mal educadas,
por pais desequilibrados
que lhes deram, às carradas,
mimalhices assolapadas,
exemplos bem… caricatos!!!...



… de manias, têm montões
mal podem com elas
pois, são tantas as ilusões,
que se julgam umas estrelas,
na escuridão geral
onde, para seu grande mal,
se situam as alimárias!!!...


… já gerentes, directores,
empresários e gestores,
estes crânios, estes doutores,
qualificações várias
nos diversos… muitos sectores
onde eles, uns senhores,
perante gentes ordinárias
são os reis, indignos pendores!!!...


… gente fina, alaranjada,
que não se mistura bem
com vulgares, da pesada,
que, de títulos, pouco têm
saberes… não sabem nada,
porque, a sabedoria,
foi-lhes, a eles, ofertada,
o que lhes dá a mania
de se considerarem superiores,
excelsos, outros sabores,
viajantes endinheirados,
que vivem sós, isolados,
introspectivos… contristados!!!... Sherpas!!!...



28
Abr05

... dia da mãe!!!...

sherpas



… espalhei meu canto, minha chama,
meu sentir, minha emoção,
entreguei o coração, minha alma,
dei-me… com ilusão,
a uma causa nobre, mui elevada,
à minha mãe, adorada,
velhinha e gasta… com muitos anos,
sombra dum passado, que se afasta,
outros tempos, outros antanhos,
com muita gente, menos gasta,
éramos muitos, queridos manos,
na casa da nossa saudade,
lar de nascer, de viver, de amor,
um enlevo… doce primor!!!...

… passados que são, com união,
tantas estações, quentes e frias,
agruras… dissabores,
tristezas e alegrias,
em comunhão,
doenças, mortes… dores,
renascer de esperança,
no riso duma criança,
outros odores,
casamentos dos novos… que renovam,
que nos acolhem, nos aconchegam,
nos envelhecem,
não nos esquecem… agradecem,
roda da vida,
um ter que ser,
acontecer,
da mocidade… perdida!!!...

… foste origem,
espalhaste teu fruto, quando jovem,
foste dádiva, foste promessa,
foste sorriso, foste beijo,
foste colo, foste bênção,
agora, te vejo,
velhinha, curva, fruição,
doce regalo… benfazejo,
causa nobre, bem elevada,
querida mãe… adorada!!!... Sherpas!!!...

28
Abr05

... trabalho forçado... antes do Maio!!!...

sherpas



… era proibido,
proibiam a dignidade,
simples animais irracionais… indigno,
pura verdade,
força bruta, sem paga alguma,
de pouco… que era,
naquele tempo passado,
naquela era,
já ultrapassado,
fazendo fortuna,
para o dono, para o patrão,
Senhor superior, distante,
aberração,
gentes que não eram gentes… aviltante,
tão longe, tão perto,
no campo, a céu aberto,
com chuva, com frio,
calor no Verão, no Estio,
trabalho braçal, forçado,
tão mal compensado,
escória, um fardo… um escravo!!!...

… cumprindo horários,
bem pesados,
numa fuga breve, sem greve,
fazendo turnos,
diurnos, nocturnos,
tal como no campo,
sem escolha… trabalho esforçado,
muito mal pago,
na fábrica, na oficina,
operários,
erários,
não deles… gregários,
sombrios, bisonhos,
sem sonhos,
escravos, fardos… escória,
sem estória!!!...

… mangas de alpaca,
serventes, pedreiros,
toda uma praga,
malteses,
às vezes… ganhões,
por conta dos agrários, seus patrões,
donos das terras,
nas minas… os mineiros,
soldados para guerras,
carpinteiros,
artesãos, cozinheiros,
criadas e criados,
amas… de meninos birrentos,
produzidos, mal educados,
briguentos,
de pessoas,
simples intentos!!!...

… nas terras, nas fábricas,
desequilibradas… desajustadas,
dando o corpo ao manifesto,
numa canseira, fadiga imensa,
um passo atrás, muito menos,
fazendo, desfazendo,
tal como o homem, assim pensa,
aquela a quem queremos,
nossa mulher, querendo,
cumprindo… papel de mãe, dona de casa,
tanto fora, como dentro,
trabalhando,
penando!!!...

… fúria de vida,
sombras tenebrosas,
fantasmas… fugida,
tempos desalmados,
sugados, calcados,
humilhados… sem serem, sequer,
tanto o homem, como a mulher,
obliterados… usados!!!...

… veio o Abril risonho,
logo a seguir… Maio, o primeiro,
instituído, gritado, um sonho,
igualdade, liberdade, pioneiro,
direitos adquiridos,
alguns… já perdidos,
salários justos, mais elevados,
uma luta, um ajuste, umas contas,
uma greve, braços, punhos… levantados,
um querer, um novelo, muitas pontas,
insatisfação que se aponta,
ruge o vento, passa a brisa,
acalmia que tarda, que se agita,
quanta esperança se alberga, nesse dia,
o primeiro de Maio… a alegria,
do que sonha, do que pensa,
do que quer mudar,
conquistar… o que intenta!!!... Sherpas!!!...
27
Abr05

... vila alentejana... raiana!!!...

sherpas
… repito, porque gosto… é evidente!!!... Sobre o meu Alentejo, o de sempre!!!...



… vila alentejana, raiana,
rainha da… papelada,
produzida, enfeitada,
colorida, cantada
nas flores que a enfeitam
nas quadras que entoam
saias, lhes chamam
quando as musicam e dançam
em alegres patuscadas
bem regadas, bem regadas!!!...


… tem um povo brejeiro
graças ao bom… do Nabeiro,
que por lá esbanja o dinheiro,
crescendo, com harmonia,
vista, com simpatia,
por Portugal inteiro
que revê na sua alegria
na sua festa maior,
o Alentejo… em Campo Maior!!!...


… durante um ano ou mais
vizinhos, filhos… pais,
orientados por comissão,
vão enrolando papéis,
como manda a tradição,
a muitos e muitos cordéis,
com muita imaginação,
horas de trabalho, devoção,
vão criando poesia
de muitas e muitas cores,
nos milhões de belas flores,
que irão dar muita alegria
os olhos que as admiram,
quando… por elas passam!!!...


… é folclore, romaria,
bairrismo… inteireza
o que os empurra, guia,
para criar tanta beleza,
que os torna notados
falados, admirados,
em Portugal… em Espanha,
por esta festa tamanha,
dum povo bem orgulhoso
que, se tornou famoso,
pois consegue fazer magia
com papel de fantasia,
com o qual inventa… cria
tudo o que satisfaz
num clima de união… de paz!!!...


… já era bem conhecida
pelo Delta, pelo Camelo,
marcas do café torrado
de quem, o dito Nabeiro,
um industrial bem forrado,
é, decerto… o primeiro,
sempre nomeado,
pelo que dá a um povo inteiro,
mais que homenageado
nas ruas, nas praças, nas colectividades,
na estátua de corpo inteiro
em todas… as festividades!!!...


… camponês, é alentejano,
teve a sorte de… ser prendado,
pela situação de raiano,
pelo filho dilecto, amado,
senhor Comendador
que, como qualquer benfeitor,
cheira bem como uma flor,
também pica, como o cardo,
é humano… famoso,
o que o torna vaidoso,
por vezes, esquecido
que, por muito que tenha subido,
maior será o trambolhão
quando se estatelar… no chão!!!...


… tenham cuidado,
Campo Maior… o seu dono,
não se deixem embalar,
como povo abençoado
sem precaução ou abono
que só os faça cantar,
descuidar o essencial,
que forra a tripa,
para nosso mal,
para todos… fundamental,
orienta a nossa vida,
o reles, o vil metal
que, agora , vem do café
algum… cai do papel,
se se esbanja, de má fé,
não há papel nem cordel
que vos valha e, até
se esquecem as benesses,
as honrarias as quermesses
dos arraiais populares
que aquecem vossos lares,
de todos os camponeses,
que brilham sempre… em Agosto,
depois de tantos meses
a trabalhar… com muito gosto!!!... Sherpas!!!...







27
Abr05

... primeiro domingo... 1º de Maio!!!...

sherpas



… caso curioso, inusitado,
simples agenda de… calendário,
escolha, intenção, premeditado,
uma junção,
dia da mãe, dia revolucionário,
primeiro de Maio, pois então!!!...

… não, não está desajustado,
antes pelo contrário,
que melhor dia, o mais indicado,
do que este, doce erário,
mais valia… simpatia,
mulher, mãe, operário,
matriz,
origem, êxtase, enlevo, cariz,
tal como se vê, tal como se diz,
júbilo, manifestação, mostragem,
nova página… outra imagem,
desemprego, racionalidade,
consciência… dignidade,
direitos de qualquer mulher,
juntamente com os seus iguais,
companheiros na vida, como se quer,
nem menos, nem mais,
ao nível, equilibrados,
com sufrágios, sufragados,
referendos, referendados,
fantasmas… postos de lado!!!...

… dia em cheio, pleno,
redutor, por parte… dos migalhinhas,
remanso, agitado ou ameno,
não contraste, antes junção,
revolucionário, protestativo,
exigente, em união,
sonho que se augura, alusivo,
em comunhão,
os pais, as mães, os filhos
quando no activo,
deixam de ser cadilhos,
deixam de ser… passivo!!!...

… sociedade equilibrada,
pretensão… tão desejada!!!... Sherpas!!!...


26
Abr05

... escrever!!!...

sherpas


… escrever, só por escrever,
sem ter nada que… dizer
mostrar o que quer que seja,
do que pensa, do que veja
é pura idiotice,
grande patetice
de quem não tem que fazer
e acaba por… se aborrecer!!!...


… ter ideias, pensamentos,
sobre tudo… sobre nada,
é possuir sentimentos,
é como uma escalada
ao âmago da existência,
como uma funda experiência
que nos inebria, enaltece,
nos eleva, enobrece,
nos enche de empatia
nos dá tristeza, alegria,
num enorme desconcerto,
na certeza… um desacerto,
p´lo incerto, simpatia
razão p´ra viver
no profundo do nosso ser!!!...


… entra em sintonia
com a pura… fantasia,
neste breve intervalo,
um saltinho de cavalo,
desde o nascer esperançoso
até ao final choroso
da linda sinfonia
que nos acompanha de dia
até ao triste vendaval
que nos arrasta… p´ró final!!!...


… é aproveitar e… bem
o Dom que Deus nos dá...
Feliz de quem o tem
porque só, nunca está!!!...


… a solidão,
para quem tem que escrever,
é uma grande companhia
porque, ao coração,
vamos rebuscar, trazer
o que nos deu alegria!!!...

… por vezes, nas recordações,
encontramos… espinhos aguçados
quebram-se as ilusões
tornamo-nos amargos, desiludidos
então escrevemos com tanto fel
que nos apetece ser cruel
com tudo, com todos que nos rodeiam,
como se apaziguássemos
os demónios que… nos incendeiam!!!...


… escrever é um prazer
difícil de descrever!!!...
Escrever sobre ideias… imagens,
torna-nos bons, dá-nos vantagens
sobre os outros, mais infelizes,
porque nós, os que escrevemos,
vivemos duas vezes...porque queremos!!!... Sherpas!!!...




26
Abr05

... não eram centenas... eram milhares!!!...

sherpas



… eram milhares, confesso,
muito largos, calculados,
por quem, como não professo,
mero participante, como tantos,
se viu naquele grito,
naquele ajuntamento gigante,
num hiato, nada restrito,
aberto, livre… emocionante,
tal como, há trinta anitos atrás,
quando a memória nos traz,
era eu, mais novo, rapaz!!!...

… os restos, os que pululam,
disfarçados, diminuídos,
que, pelos vistos, pouco avultam,
os enriquecidos,
de maneiras diversas, controversas,
com bolsas, com oportunidades,
promíscuas, obscuras,
mediante poucas verdades,
negociatas estranhas,
usando tramas e manhas,
donos da comunicação,
entre outras… a televisão,
a das novelas, das vaquinhas,
com atitudes mesquinhas,
no meio de grande perversão,
noticiam… umas centenas,
achincalham, fazem pequenas,
este tipo… de manifestação!!!...

… fazem palhaçadas, dão circo,
com risos amarelos, forçados,
controlo-me… não grito,
quando oiço os entrevistados,
gaiatos, inconscientes, arrevesados,
estupidificados,
pelos tempos, pelo dinheiro,
em parte ou… por inteiro,
satisfazendo apetites,
alargando logros, enganos,
mentiras… de todos os tamanhos,
figuras ridículas, bem tristes!!!...

… estamos nisto,
numa situação caricata,
não é para isto que existo,
País de treta, patarata,
quando espremido, não dá nada,
inculto, iliterado, apagado,
vilmente enganado,
onde está o serviço público( ???...)
tão falado, mencionado,
quiçá… posto de lado,
minha vergonha, meu repúdio,
atentado grave, danoso,
pelos patriotas de pacotilha,
escondido, como tesouro… numa ilha,
prometedor, maldoso,
enviesado… mais que abusado!!!...

… não quero acirrar ninguém,
longe de mim, tal intento,
não me aquieto, fico aquém,
de pé atrás, quando entendo,
manobras escabrosas,
mais que escandalosas,
notícias deturpadas,
manipuladas,
desfazendo no que se constrói,
pela inveja que… os rói,
coisinhas poucas,
cabeças loucas!!!...


… não eram centenas, eram milhares,
com sentimento, emoção,
um relembrar… outros ares,
novo sonho, ilusão,
bem portugueses, gentes jovens,
sabedores da portuguesa,
com valores, com muitos bens,
dignos, prometedores,
ainda tenros… já uns senhores,
com fibra, com inteireza,
conhecem bem… a PORTUGUESA!!!... Sherpas!!!...
25
Abr05

... misturar Deus... com o Diabo!!!...

sherpas

… misturar Deus com o Diabo,

coisa louca,

coisa pouca,

assim penso, como acho,

coisa tremenda… de grande monta,

 

faz-me confusão,

dou a mão,

confesso, não compreendo,

política ou… religião,

dois Poderes que,

pelo que entendo,

ambição feérica, perdição,

 

discursos,

medalhas, condecorações,

guerra, paz,

ódio… maldição,

numa junção absurda,

ilusões,

curvaturas,

subserviências,… satisfação!!!... …

 

apetites vorazes dos figurões,

hoje… diabinhos à solta,

matando, sem distinção,

revolucionários ferozes,

noutros tempos,

noutra volta,

bem formados,

com contratempos,

audazes,

quando novos… capazes,

 

acomodados,

diligentes,

serventuários,

pouco dignos,

excelsos rapazes,

frequentando igrejas,

sacrários,

 

ungindo os dedos,

a testa,

curvando a espinha,

quando em dias de festa,

 

longe da morte,

longe da rinha,

consciência pesada,

bem medalhada,

coisinhas poucas...…

espécie de NADA!!!... …

 

por ali passaram… os senhores da guerra,

curvados, humildes,

perante outro Poder,

o das crenças, das fés e religiões,

naquela terra,

 

País de brincar,

de padres e freiras…

adorando um SER,

Espírito que desceu,

abençoou,

segundo dizem,

afirmam os cardeais,

vermelhos diferentes,

a quem se doou,

uma esperança,

uma fé… entre outras coisas mais,

 

físico, espírito,

promiscuidade,

sorrisos malévolos,

contemplativos,

pouca verdade,

outros objectivos,

junção de anjos com feras,

reis, políticos de várias esferas,

atentos, condecorados,

precisos, excelsos, controversos,

esquecidos,

firmes,… muito concisos,

calados, pujantes,

adversos, contrastantes,

por demais… extravagantes!!!... …

 

admito, por vezes… não entendo,

não concebo,

custa-me engolir,

é este… o meu sentir,

qual a diferença, entre a crença,

como Poder,

executivo, legislativo… judiciário,

Poder dos homens, terrenal,

como os mais,

em tudo, …absolutamente iguais,

perante televisões,

computadores… jornais,

embevecidos,

pavoneantes,

tal como dantes, …

extravagantes!!!... …

 

misturar Deus… com o Diabo,

assim penso, assim acho!!!... Sherpas!!!...

25
Abr05

... um Parlamento... a fingir!!!... (SAPO)

sherpas



… um parlamento, mesmo a fingir… como este, muito mais a sério, como o da República, na dita Assembleia, é um lugar de discussão, de todos os temas, sem distinção, como deve, abertura total, abrangente, no que concerne… a toda a gente!!!... Não há, repito… tabus, enrolamentos, disfarces, fingimentos, encapotamentos, aproveitamentos, hipocrisias, fantasias, puras ilusões e manias de quem, na altura, detém o Poder, ou, melhor dizendo… os Poderes, manipulados ou não, que confusão!!!... Desde que assim procedam, tanto aqui, como lá… no sítio adequado, o jogo deixa de ser sério, queda viciado!!!... Minha maneira de ver… chocado que estou, pelo que me impuseram, uma loucura, um apagamento, um corte, uma censura, sem sentido algum!!!... Assim penso, continuo a pensar… ainda mais, quando vejo, certos e determinados… misturarem credos com ideologias, religiões com políticas, pensares próprios com filosofias doutros, um fartote, sem coacção alguma!!!...

… não quero bater mais na vaca fria, morta e enterrada que está!!!... Vamos em frente!!!... Já sou velhinho para me aquietar, para me sujeitar a simples bacocos de vistas curtas, com falhas e atitudes graves… regras com que se regem, mal organizadas, degradantes e ultrapassadas, pelo diminutas e curtas que são, desajustadas!!!...

… um parlamento, mesmo a fingir… como este, muito mais a sério, como o da República, na dita Assembleia, deve ser aberto, plural, sem falsas posições, sem guetos, sem proibições!!!... Para ser um Parlamento, como deve… não teme, não treme, não se sujeita, não dobra a espinha cervical, numa curvatura subserviente, pouco acentuada, displicente, como escravo perante o dono, como sujeito passivo… perante a entidade patronal, nosso grande mal, ainda agora, que perdura, por parte de certos lacaios… macacos e papagaios!!!... Iguais a nós próprios… com ideias nossas, com posições assumidas, não fingidas, cordatas, de não pataratas!!!... Sem ofensa, duma maneira abrangente… é como sinto, não minto!!!... Sherpas!!!...
25
Abr05

... grito... enorme canto!!!...

sherpas



… não consigo tirar do sentido,
por mais que tente… em vão,
a ferida foi funda, está comigo,
tremenda desilusão,
embora tente afastar, rir, brincar,
olhar à volta, com emoção,
sentir o dia, festejar,
ser outra vez, como era,
indolente, contente… uma fera,
criador, sem dor, incólume,
tenho um vazio enorme,
desgosto que se avoluma,
que agasta, em suma,
mágoa, revolta que me baralha,
que sobe, vem ao cimo,
me atrapalha,
me tira a vontade, o tino,
me descontrola,
como bola que rola,
que aumenta,
não colorida, branca e preta,
como no passado,
naquela manhã cinzenta,
antes… de se ter dado,
o acontecido,
não esquecido,
comemorado… sempre lembrado!!!...

… há restos, há bocados,
espécimes raros, desajustados,
ainda novos, não vividos,
com defeitos… imbuídos,
zelosos, subjugados,
um pouco, por tantos lados,
escondidos, arrecadados,
outras gentes, indiferentes,
com missão esquisita, disforme,
perseguindo… o que tem fome,
o que se não acautela,
o que vai em frente,
diligente,
sem barreira, uma fera,
ultrapassando o pensamento,
contra qualquer impedimento,
sem espavento… discernimento!!!...

… liberto, sem peias,
concreto, sempre aberto,
sentindo o sangue… nas veias,
nem de longe, nem de perto,
coagido, subjugado,
numa fuga… desvairado,
procurando algo,
uma resposta, numa aposta,
com ele próprio, análogo,
desde que nasceu,
naquela leda madrugada,
tantas vezes… cantada!!!...

… quer sonhar, outra vez,
tal como o Senhor o fez,
tal como os Deuses quiseram,
tal como a consciência o permite,
tal como tantos… esperam,
tal como ele existe,
libérrimo, num grito,
sem pranto… enorme canto,
apaziguador do aflito,
do colérico, do desfasado,
aqui, em qualquer lado,
pobre, triste… subjugado,
moderado, mais que anulado!!!... Sherpas!!!...
24
Abr05

... tragédias!!!...

sherpas

... rude seria o golpe se, de repente,

de chofre,

na subtil harmonia dum agregado,

duma família,

descambasse a hecatombe da morte,

da tragédia,

de algo que deite abaixo,

que destrua,

que arrombe,

que faça noite, do dia,

que, num plácido riacho,

se cometa uma riada,

de água alamaçada que tudo arrasta,

tudo tapa,

tudo transfigura e... mata!!!...

... na dantesca passagem

daquela louca. voragem,

das águas enlouquecidas,

raivosas,

embravecidas,

fora das regras,

dos limites,

final de tantas vidas,

que choraste,

sentiste,

ventania tremenda,

ciclone ou tufão,

imenso clamor,

vozeirão,

terrível castigo,

reprimenda,

originando medos,

emoção,

aos que, na sua senda,

desta vida... se vão!!!...

 

... sem queixumes,

sem ardores,

como simples... penhores,

dos muitos e muitos favores

que dão voz aos seus clamores,

aos seus avassaladores furores,

que nunca foram agradecidos por estes vermes,

vencidos,

arrastados pelos ventos,

nuns minutos,

nuns momentos,

desta terra que se abre,

que se esgarra,

que treme,

que se mexe...

que sabe,

que se sente,

que freme,

que se violenta,

de repente,

por um ser que é... pouca gente!!!...

 

... pode ficar soterrado,

aqui, agora... noutro lado,

a sós,

isolado no meio duma multidão,

num terramoto,

de ocasião,

num maremoto repentino

que, sem freio, sem tino,

o faz desaparecer,

o leva,

o faz morrer,

quase sem dor,

sem sofrer,

por falta de previsão,

numa quebra da ilusão da vida

premeditada,

bem segura,

bem marcada,

que, de leve,

insegura,

é breve... pouco dura!!!... ...

 

... um raio que ilumina toda uma região,

que, num esgar... num clarão,

queima,

assassina,

toda a vida existente,

até o mais resistente,

deixando cinzas e pó

no que, antes, era verde

que, agora, mete dó

de triste,

agreste,

tudo marcou...

deixou,

na paisagem que reveste aquela porção de terra que soluça,

chora... berra!!!...

 

... má sorte,

pelo imprevisto,

pela faísca alucinante,

caso raro...

nunca visto,

que, num tão curto instante,

modificou o equilíbrio,

com maldade, sem brio,

da natureza, bem delicada,

constantemente atacada,

pelas fúrias dos elementos,

pelos fogos, águas e ventos entre outros... contratempos!!!... Sherpas!!!...

24
Abr05

... coisas do... Parlamento!!!... (SAPO)

sherpas



… entretenimento ou… esclarecimento, saber os quês e os porquês das coisas, ir ao fundo da questão, aprofundar, sem medos, sem receios, com inteira liberdade de pensamento, abarcando vários temas, não estanques, abrangentes… desde que, devidamente estruturados, numa linha de pensamento, sem tretas, sem perdas de tempo, sem opiniões manipuladas, grandes coisas, pequenos nadas… indiferente, como gente, respeitando e sendo respeitado!!!...

… fazer do Parlamento um simples gueto privado, devidamente apartado, isolado, fazedor de conversas ocas, repetitivas, vazias, sem sumo… de costas viradas para os grandes temas da actualidade a nível universal, de todos os tempos, já passados, origem de todas estas baralhadas, promiscuidades tremendas… é pura parvoíce, patetice assumida, por quem, no desempenho das suas funções, moderador lhe chamam, censor… quanto ao meu pensar, o que corta de qualquer maneira, sem passar cartão, sem dar satisfação, sem aprofundar, sequer o que foi escrito, o que vai ser escrito, a médio, longo prazo porque, queiramos ou não… política e religião, nem sempre se deram bem, sempre se adoraram… contradição, desde sempre andaram irmanadas, em grandes baralhadas, salsadas que me metem confusão!!!...

… os escritos, o das crenças e religiões, o que se esfumou por completo… num ápice, era um projecto meu, devidamente esquematizado, com uma intenção… a de provar que são temas que se completam, que se fundem, que estão unidas, benzidas e ungidas, com uma única intenção… a do PODER, sobre a humanidade!!!...

… continuo com a minha, sinto pena pela falta de visão, não se justifica a atitude… mais ainda, quando o ia construindo, sem tomar as devidas precauções, de manter cópia, de guardar, simplesmente!!!... Daí a minha revolta contra o dito de DRAGÃO… gatinho perverso, confesso… facilitador de tanta asneira, de tanta porcaria, de certos abutres que por aqui proliferam, doutros que tais, mais iguais, de xanxadas, de disparates, de dislates… de outras coisas mais!!!...

… em tempos, sobre blogs, fóruns e chats… tinha escrito o que penso, a meu jeito, a preceito!!!... Confirmo o que escrevi, na altura… acentuo, pelo menos por aqui, pelo Parlamento, perde-se muito tempo com trivialidades, fazem-se demasiadas citações, transcrições de saberes alheios, escondem-se propositadamente… pensamentos próprios!!!... Tinha ido por aí, além do copy e paste, me parece ser assim o que faço, com frequência, tinha começado a usar os pensares doutros, citando e transcrevendo, cogitando, por mim, fazendo alguns reparos, simples apontamentos, comparando quando… mal me descuido, num momento, sou abatido, sem contemplação, sem satisfação alguma!!!...

… enfim, quem tem o encargo de assim proceder, por vezes… excede-se, quiçá com zelo a mais, sem se cuidar no que faz, sem pensar, sequer, corta a direito… sem se vislumbrar, sequer, numa de fúria, de arrebatamento, alucinação, embirração!!!... Tem o Poder… na mão!!!... Somos um País de reizinhos, em qualquer recanto, por mais isolado, pacato e reduzido que seja… cá, os encontramos, convencidos, submissos, pertinazes, pouco ou nada eficazes, por vezes… cortando o fio à meada, tentando colocar na linha, o desalinhado, chamar a atenção, puxar as orelhas, ao mais distraído, ao aselha, ao teimoso, como lema, como função, tomando-lhe o gosto… provocando desconfiança e incómodo, má querença, desavença!!!... Coisas!!!... Sherpas!!!...
24
Abr05

... a ciência... meus amigos!!!...

sherpas


… a ciência, meu amigo,
é uma… simples experiência,
do homem que pensa consigo
e, ao longo da sua existência,
procede como um alquimista,
como um indigente arrivista,
dentro da sua ignorância
que julga, com arrogância,
ter descoberto o mistério
que o trouxe a esta vida
o leva ao cemitério!!!...


… num caminhar, numa ida,
numa viagem… sem regresso,
numa passagem, de fugida,
sem volta, sem retrocesso,
enquanto tal não acontece
vai pensando, vai escrevendo,
tudo que faz, esquece,
o que os mais novos vão lendo,
considerando excelentes,
os escritos dessas gentes,
que, com o passar dos tempos,
são, aos poucos, ultrapassados
como temas velhos, lentos,
fora de uso, antiquados!!!...


… levando-os a pensar,
um bocadinho… a preceito,
a buscar, experimentar
tudo o que têm mais ao jeito,
como alquimistas passados,
numa obscura ciência,
simples e puro achado,
mediante alguma experiência,
do que existe, já criado,
como ele, pobre mortal,
acidente… tão natural!!!... Sherpas!!!...


23
Abr05

... até que se deu... aconteceu!!!...

sherpas



… antes, era um buraco negro… a inexistência,
a escuridão, a sombra, o vazio,
simples falência,
um bago, coisa sumida,
uma partícula comprimida,
um simples pavio,
um átomo universal,
com tudo, sem nada, inexistente,
tal como pensas… tal como se sente,
na procura de tanta gente,
capazes, inteligentes,
cientistas… proeminentes!!!...

… nada existia, até que se deu,
aconteceu!!!...


… num ápice, por Deuses e Deusas,
fortes, potentes,
no meio duma nuvem densa,
bastante irritados, já cansados,
naquele Olimpo imenso,
sentiam-se… aborrecidos,
mais que… saturados,
segundo reza a mitologia,
inventaram homens,
mitos, fantasias… mania!!!...

… nada existia, era o Caos… até que se deu,
aconteceu!!!...

… há quem diga, tenha escrito,
que um ser sobrenatural, Omnipotente,
com todo o Poder descrito,
se encarregou, pesporrente,
de ir criando, a seu gosto,
os mares, os oceanos, as terras, os continentes,
vegetais e animais, à discrição… bem disposto,
preparando a vinda apocalíptica,
em grande, bem à vista,
duma figura mítica,
em tudo semelhante,
ao seu Senhor… extravagante!!!...

… no Paraíso… aconteceu,
até que se deu!!!...

… explicação científica,
aquela com que se fica,
questão de junção de células,
condições propícias,
milhões e milhões… biliões,
de transformações,
verdadeiras ou… fictícias,
moléculas, partículas,
infinitas, de tão grandes… ínfimas,
seres disformes, discrepantes,
gigantes,
alterações, evoluções,
gritantes,
teorias… as mais diversas,
estudos, tratados, pensares,
tantas mentes avessas,
crentes, mais simples… espirituais,
pouco actuais,
por interesses, por promessas,
confessionais,
teólogos, estudiosos,
caprichosos… de tantas religiões,
as das multidões!!!...

… nada existia, fundiu-se, aconteceu,
quando se deu!!!...

… com muitos Deuses e Deusas,
cada um para seu ofício, benefício,
abusadores… uns Senhores,
com todos os seus pendores,
de nomes bem sonantes, os de dantes,
os de agora, na hora,
todos eles… extravagantes!!!...

… já éramos gente, com menos valias,
mais inferiores… umas simpatias,
que… tanto ascendiam,
como desciam!!!...

… à sua imagem e semelhança,
uno, indivisível… magnânimo,
com filho dilecto, predilecto,
com fé, com esperança,
dando filho, como exemplo,
muito ânimo,
corrente, início, profusão,
sacrifício,
exclusão… em comunhão,
com discípulos, com profetas,
com escritos… puros estetas,
em família, com pais e primos… uns santos,
de todos os tamanhos,
religião que se forma, que supera,
que se iguala,
que se aguarda, que se espera,
quando se fala,
quando se proclama,
quando se… aclama!!!...

… aconteceu,
quando se deu!!!...

… monoteístas, várias,
em colisão,
mais actuais… muito iguais,
ambição,
temeroso, justificação,
aceitação… em desunião!!!...

… santos, santas… enxameiam,
proliferam,
ascendem, desesperam,
pedidos intensos,
fumos, mirras… incensos,
fragrâncias odorosas,
adoração,
prostradas, chorosas,
almas… em suplício, flagelação,
pecado, confissão… perdão!!!...

… implosão, big bang,
mitologia, Deuses e Deusas,
um Criador,
várias versões,
ilusões,
crenças, não crenças,
interesses… perversões,
avenças!!!...

… nada existia, aconteceu,
quando… se deu!!!... Sherpas!!!...




Pág. 1/4

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2005
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2004
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D