Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sherpasmania

... albergue de poemas, poesias e... outras manias, bem sentidas, por sinal!!!...

Sherpasmania

... albergue de poemas, poesias e... outras manias, bem sentidas, por sinal!!!...

06
Jun05

... tempo de... calor!!!...

sherpas

… tempo de pavor, calor em barda,

não se ouve uma alma,

dia que não passa, noite que… muito tarda,

DSC02834

as horas, lânguidas, esparsas,

mal soam, mal se sentem,

mornas, quentes, preguiçosas,

no cimo das torres...

quase se não ouvem, lentas, arrastadas,

mal pressentidas, mal contadas,

 

caem… uma a uma, indolentemente,

tal como a gente,

que se esfuma, no refúgio,

no interior das casas, buscando abrigo,

fugindo ao horror, a este castigo,

intenso… calor!!!...

 

… o Alentejo, é de extremos,

no Inverno, com frio, no Estio...

como sentimos, como sabemos,

um grande mau estar, nas vidas que param,

que se arrastam,

 

por vezes, um ter de ser… um calhar,

às vezes… carro que soa, no enevoado de sonhos e penumbras,

corpo estendido, que se separa… voa, numa sorna que se goza,

olhos cerrados, outro sossego, outra prosa,

numa sesta, apetecida,

desejada, pedida,

 

numa tarde quente, abafada,

existência ausente, inexistente… apagada,

um ter de ser,

por querer!!!...

 

… de madrugada,

pela fresquinha, com claridade… apenas, brisa agradável,

quando soprada de norte, despertos, sem sol,

ainda envergonhado, pelos castigos, com que nos assola…

 

duras penas... é sempre, uma boa morte,

no fim do dia, escondido...

deitado, desejo de quem foge aos raios cruéis, implacáveis,

na hora da calma, do pavor, intenso calor, momentos nada agradáveis,

 

que... se não enfrentam,

que se desperdiçam,

quando as pessoas preguiçam,

refugiadas, escondidas, numa sorna, numa sesta

 

… que se acerta, num sono reparador,

pleno de modorra, de quem conhece,

de quem pára, de quem morre, todos os dias… sem pachorra,

 

de quem não corre... quase não come,

tanta incomodidade sente, pelo calor,

imenso pavor… um horror!!!...

 

… é assim, no interior, sem praia, sem brisa… com muita calma,

temperaturas elevadas,

um primor, para quem gosta,

para quem aposta,

para quem usufrui, seja onde for, sombra benfazeja, água de rio, de piscina, refresco que conforta,

gelado que atrai, estratégia que se não ensina, que sabe bem, que nos conforma,

 

quando se sai, espavorido… mais que afogueado,

cai, que não cai, suando as estopinhas, um ter de ser…

um calhar,

duras penas, as tuas, as minhas, com um sol… de rachar!!!... Sherpas!!!...

06
Jun05

... todos diferentes... todos iguais!!!...

sherpas

… todos diferentes,  todos iguais,

todos iguais mas,  outros… mais,

DSC06056.JPG

seres tão complexos,  diversos,  animais tão esquisitos no pensar,

de cores diversas...

dispersos por locais... onde têm de habitar,

 

nascidos da mesma maneira,  duma mãe que os concebeu,

burguesa, operária, rameira,  frutos dum amor que morreu,

dum amplexo... duma união,

 

dum comungar,  duma paixão,  ungidos,

logo à nascença...

pelo estigma da diferença!!!... …

 

no berço que os acolhem,  de rendinhas… bordados,

nos braços que o recolhe,  vazio,

desgraçado...

de quem nada tem para dar,  de quem está nu,  desamparado,

 

aqui, em qualquer lugar,  esquecido,  posto de lado,

por falta de todos os meios, embora parecidos… com os tais,

os fartos,

 

os que estão cheios, os diferentes, os mais iguais,

os que só pensam no bem estar,

 

no que o dinheiro proporciona,

no vestir, comer... gozar!!!... …

 

dentro,  fora da sua zona, esquecendo… quase por querer,

os explorados, ignorantes, os que se fartam de sofrer,

 

os calcados, como dantes, pelo sistema, pelos interesses,

dos que não querem abdicar das mais valias,

das benesses...

 

que não querem partilhar com a multidão de irmãos,

tão diferentes, tão iguais...

que, estendendo suas mãos, vão morrendo… mais e... mais!!!... …

 

esfomeados, escorraçados,

esquecidos ou ignorados...

num Mundo materialista, dominado pelo dinheiro,

 

matéria infecta, pouco altruísta,

mal maior... primeiro,

 

de mentalidades curtas, obtusas... sem sentimentos,

confusas,

dos tais seres tão complexos, diversos,

 

egoisticamente imersos em mesquinhas, vãs ganâncias... de matérias bem palpáveis,

em doses grandes, abundâncias,

de pouco valor, pouco duráveis!!!... …

 

porque a vida, é passageira, virtualmente… ilusória,

tal como os bens,  o dinheiro,

jactâncias de curta memória...

 

que tanto se dão com o primeiro... como com o último da história,

neste tão grande carrossel...

nesta existência imparável, neste tão veloz corcel...

desta era… incomparável!!!... Sherpas!!!...

 

06
Jun05

... fomos... como somos!!!...

sherpas

… muitas vezes, pluralizo, digo fomos… como somos,

hábito antigo... adquirido,

numa vida partilhada, em conjunto,

neste caminho percorrido, pelas estradas deste Mundo,

19042009(029)

desde há muito... muito tempo,

quando… resolvemos juntar aos pés dum altar, frente ao senhor prior,

um primor...

 

por vontade de quem, comigo, se quis casar,

respeito opções...por bem, tanto em ideais,

como em credos,

 

sentir, maneira de estar, tal como sou... sem medos, destoando, discordando… irrequieto,

não me conformo, não me aquieto,

embalado, nos meus pensares,

 

desejos, abstracções, esperanças, quereres, ilusões, quebro... aquiesço,

concedo, nivelo, desço!!!... …

 

e, fomos, fomos muitas e muitas vezes, vezes, sem conta...… inumeráveis,

situações inenarráveis,

mais positivas, prazenteiras...

 

hoje, quando as recordo, bem foleiras,

passaram-se anos, meses, com altos... muitos baixos,

encostados, um ao outro, em união de facto,

a partir daquele acto,

 

casamento de papel passado, frente a um altar,

em consciência, consumado,

difícil de, em meia dúzia de linhas... narrar,

 

descrever tanto viver, para a alegria, para a tristeza...… até morrer,

podem crer,

 

assim sinto, quando escrevo,

porque…... não minto!!!... …

 

ao longo deste nosso trajecto, projecto conseguido,

contrato do amor, de afecto, com muito picos, como todas as vidas, afinal,…

para o bem e... para o mal,

 

um sonho atingido, uma vida inteira, com zangas, discussões,

enlevos, paz e harmonia,

entrega, apego...… paixões,

 

percurso normal, mais que vulgar, quando se quer,

quando se entende, quando se não mente,

numa entrega total... tal e qual!!!... …

 

nem maior, nem menor, nada diferente, mais uma estória de casal... com dificuldades,

com canseiras, com trabalho, muito suor, certo aval,  

muita valia,… trabalheiras, como soe dizer-se por aqui, pelo Alentejo,

terra onde me vejo,

 

onde nos sentimos bem, tanto aqui, como além,

desde que juntos,

tal como somos, como sempre fomos,

neste... em todos os Mundos, quando, pensativos, nos pomos!!!... Sherpas!!!...

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2005
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2004
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub