Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sherpasmania

... albergue de poemas, poesias e... outras manias, bem sentidas, por sinal!!!...

Sherpasmania

... albergue de poemas, poesias e... outras manias, bem sentidas, por sinal!!!...

15
Jul05

... a pedido... meu amigo!!!...

sherpas


… parasita ínfimo, tão enorme,
perturbador assumido,
provocador de morticínio, de fome,
bicho careta, convencido,
perscrutador, investigador,
sábio, sem conhecimento,
filósofo, sem filosofia,
bafiento, acumulador,
miséria, morte, dor,
flores murchas, gastas,
valias raras,
num Mundo confuso,
Universo, adverso,
controverso,
a pedido, meu amigo,
mais me custa,
não se ajusta!!!...


… Sol que se espelha,
raivoso, energético,
vidas que se consomem,
num caos permanente,
existente,
tendo como lema,
um sistema, patético,
dos que, por via da energia,
acumulada numa partícula,
força conjugada, que… descontrolada,
mal conhecida, um dia,
pode causar tanta razia,
a pedido, meu amigo,
não consigo,
mais me custa,
dor imensa… nesta luta!!!...


… cloaca imensa se destapa,
se vaporiza,
bichos, feras, ratos e vírus,
sem futuro nenhum,
num planeta gémeo, bem perto,
a uns milhares de anos-luz,
local incerto,
com três ou quatro luas,
dias permanentes, efervescentes,
com mortos renascidos,
reincarnados,
reluzentes,
policromáticos, biónicos,
máquinas, homens, heterónimos,
segunda pele, decomposta,
corrompida na sua génese,
a pedido, meu amigo,
não lobrigo,
mais me custa,
quase assusta!!!...


… origem pós atómica,
resto, vómito, simples posta,
pirueta, reviravolta cromática,
apóstata,
não crente… indecente,
inverso, no colorido,
aberrante grito, lancinante, sofrido,
caos produzido,
sem sentido,
a pedido, meu amigo,
mais me custa,
quase… assombra, esta justa!!!... Sherpas!!!...

15
Jul05

... quando se vai... a lembrança!!!...

sherpas






… pequenas coisas, saudades imensas,
quando paras, quando pensas,
quando olhas, com tristeza,
todo o tempo que passou,
quando sentes, com ternura,
o que foste, como foi,
quando tentas agarrar,
o que te não pertence, escapou,
quanto nos amarga, quanto nos dói,
este preâmbulo, esta penumbra,
quando te falha a memória,
quando não recordas a estória,
o episódio marcante,
falha natural, não aceite,
coisa que dói, revoltante,
quando se rebusca, na mente,
nos sentimos impotentes,
débeis, esquecidos, inocentes,
como volúvel e fraca gente,
neste rodopio infernal,
espiral vertiginosa,
passagem fortuita, banal,
de criatura singular,
pouco segura… não formosa,
tal Leonor, esbelta, graciosa,
ágil, jovem ainda,
alvo de amores projectados,
de poetas enamorados,
no final… das nossas vidas!!!...

… não venhas tarde, cantava,
com voz maviosa, pausada,
um pouco rouca, sem esforço,
fadista do meu passado,
já entradote, colosso,
que eu apreciava, pela pose, comportamento,
pelo poema que entoava,
pelo que, quando cantado, lhe punha de sentimento,
pelo tom de voz que dava,
quando cantava… que encantava,
não esqueço, nem um momento,
a nossa Hermínia, a das tabuinhas,
naquelas casinhas,
as da Mariquinhas,
com sorrisos, requebros,
entremeando seus versos,
com ditos espirituosos,
ela, com o seu Pacheco,
quando cigana, nos filmes,
rezando sinas, rogando pragas,
ainda, em mim, fazem eco,
essas imagens humildes,
do cinema feito nas fragas,
nos campos de outros tempos,
sem maldades, sem excessos,
mais humanos… menos perversos!!!...

… na Coimbra dos meus amores,
do Mondego, do choupal,
quantas moçoilas, quantas flores,
quanta juventude cantada,
quanto fado esganiçado, notas arrastadas,
paixões descontroladas,
numa escadaria qualquer, numa rua estreitinha,
junto de tantas amadas,
quantas e quantas serenatas,
na tua cidade, na minha,
guia mor, romaria,
ilusória fantasia,
da mocidade perdida,
desta idade que avança,
que se não condói, que nos mói,
quando nos vai… a lembrança!!!...

… quanto gostaria de reter,
de manter, em mim, a recordação,
bem viva, jamais esquecida,
como um haver, como um ter,
pessoal, muito meu, avarento convicto,
de saberes, de conhecimentos,
sujeito a esquecimentos,
memória curta,
com a idade, se nos encurta,
facto passível de acontecer,
sem eu querer, sem crer,
inevitável, não evitável,
consequência execrável,
de quem muito gosta, de quem muito quer,
de quem guarda no peito, perto do coração,
sempre ao jeito, bem guardado, retido,
tantos seres, tantos factos acontecidos,
como memória muito própria,
embrulhados num envoltório,
resguardados, muito queridos,
que se lhe escapam,
desse cofre forte de emoções,
de fantasmas… de ilusões,
quando se não acautelam, passam,
por vezes… às vezes!!!... Sherpas!!!...


Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2005
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2004
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub