Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sherpasmania

... albergue de poemas, poesias e... outras manias, bem sentidas, por sinal!!!...

Sherpasmania

... albergue de poemas, poesias e... outras manias, bem sentidas, por sinal!!!...

26
Dez06

... step by... step!!!...

sherpas

… a velha miserável que via passar,

continua passando,

mais miserável, mais velha,

o drogado acabado, quase pele e osso,

continua esquelético,

mais acabado, drogado,

a prostituta que se vende na rua,

continua na rua,

quase nua,

ainda se vende, ainda é prostituta,

o desempregado, sem destino, atarantando,

continua teso,

sem dinheiro,

soturno, incerto, desempregado,

… o pagador de impostos, classe média acabada,

vai-se apagando,

classe que fica mais baixa,

vida azarada,

continua pagando impostos,

grandes desgostos,

o tipo rico que aparece na televisão,

cada vez mais rico,

cada vez mais na… televisão,

vai sorrindo, aparecendo, falando,

forrado, com ilusão,

mediático, aplaudido,

sendo trapalhão,

venerado pelo político,

 

… a criança sem eira nem beira,

pobre, sem pais, abandonada,

foi encaminhada para instituição,

espécie de prisão,

continua pobre, desamparada,

títere, boneco de feira,

por vezes, diversão,

notícia que se atira,

sem pais,

como outras mais,

 

… o político de qualquer quadrante,

extravagante, aldrabão,

no Poder, na oposição,

quadro degradante,

quando não faz, de incapaz,

porque mente,

cada vez se interessa mais por ele,

somente,

luzidio o carro, bonita pele,

conservado,

bem colocado,

 

… o emigrante que deixa o País,

busca saída, procura vida,

já não conta para a estatística

porque não fica,

reduz o número, aumenta a confiança,

quanta jactância

quando se diz,

logro que aumenta quando comentam,

até intentam,

sedução com intenção,

dinheiro que vem,

que sabe bem,

 

… a compra que se não fez, já se não faz,

pobre rapaz,

rapariga que espiga,

tanto faz,

música precisa,

concreta, concisa,

gargalhada na hora,

vamos embora,

tristezas que se colocam debaixo do tapete,

como um foguete,

rápido o gesto,

amor, afecto,

puro joguete,

embrulhos, engulhos,

futuros sombrios,

quão poucos brios,

 

… contentor da desgraça à porta do supermercado,

atulhado de restos, de sobras,

quantas esmolas,

passados de prazo que se deitam fora,

lágrima que chora,

quem vê, se condói,

sombras da noite, fomes e misérias,

são restos também,

de quem nada tem,

dependurados, rebuscando sôfregos,

lixos e sacos,

quanto nos dói,

baixos segredos,

tristes recados,

sociedade doente,

tempo que passa,

já não chora, vai embora,

modifica-se, aceita… indiferente,

 

… o doente, o desvalido, o dependente,

cuidados e desvelos,

família que se esforça,

que supre qualquer falha,

gente valente,

arranja energia, puxa cabelos,

transforma quereres,

inventa saberes,

revira obstáculos, segue o caminho,

amores e carinho,

jura baixinho,

sofre a dobrar,

consegue calar,

 

… o indigente, vítima do sistema,

da bebida que ingere,

do vício que acalenta,

continua na mesma,

ossos no chão,

deambula, pedindo,

rouba, por vezes,

goza o que lhe dão,

hermético, sofrido,

na solidão,

imbecilizado… vai sorrindo,

 

… mais um Natal, promessa caída,

vida que se esgueira, vida rendida,

continuidade tão igual,

rotina que se instala, teima,

males que se agravam, grossa toleima,

hipocrisias mil,

canção em vinil,

passado chorado,

presente amargado,

futuro aqui tão perto,

negro, complicado… incerto!!!... Sherpas!!!...

 

{#emotions_dlg.confused}{#emotions_dlg.sad}

25
Dez06

... Deus, nas alturas... nem adivinhas!!!...

sherpas

… a noite foi fria, conchego nos lares de cada família,

renascer duma esperança, menino que se espera,

acontecimento que se repete, quanto se promete,

partilha de comeres, beberes, brilho e fantasia,

aproximação da PAZ que se deseja na Terra,

boas vontades, troca de oferendas, lembranças que se têm,

ausentes, presentes no seio dos que vêm,

reunidos no dia do acontecimento,

mesa com pais, com avós, com tios,

muitos os filhos, os netos também,

 

alguns cânticos, noite mais longa, esquecimento,

árvore rainha, base forrada de caixas lustrosas,

conversas sem tino, gargalhadas espontâneas,

quereres inocentes, sorrisos abertos,

longínquas as guerras, sombras tenebrosas,

 

mortes contínuas, fomes e tramas,

indigentes protegidos, mantas que lhes dão,

cama quentinha, diferente do chão,

num canto duma rua, num portal qualquer,

estômago reconfortado, ceia opípara,

conforto de momento, caridade da altura,

 

Natal de promessas, período adocicado,

bonitas palavras, intenções que se projectam,

um beijo, um abraço, um discurso, uma missa,

tudo rebrilha, se atira um recado,

o que eles fazem, dizem, inventam,

hora de parar, pensar a carniça,

Messias redentor… mesmo agora, aqui chegado!!!...

 

… manhã esbranquiçada pela geada,

o verde mudou, coberto por camada inesperada,

junto à janela do meu apartamento, mimoseira em botão,

perspectivo tempos de aflição, pólen liberto,

pressão, impressão, alergia àquele amarelo vivo, bem perto,

 

tosse que volta, que me comprime o peito,

o tabaco deixou marca, grande defeito,

repetição cíclica, aflitiva,

tal como no Mundo que descansa, que parou,

pausa normal, acalmia natural mas, não mudou,

 

no Muro, lamentarão como sempre

gentes de fé, judeus que se comprimem,

outros Muros levantarão, separando,

abrigando enquanto vão matando,

 

intolerância que se não afasta, se mantém,

riquezas, faustos, ululantes constantes

desfile de mortos, multidões enfurecidas,

pobrezas, fomes, mortes, feridas,

rebentamentos, terrores, medos para quem os tem,

 

ameaça que regressa com a mesma pressa,

inconstantes, palavras esquecidas,

Palestinos sem destinos, odiando,

donos de tudo, armamentos diversos,

espalhados pelo Mundo, petróleo perverso,

 

mercado que se joga, que destrói, desequilibra,

Povos recentes matando inocentes,

populações dependentes,

que desaparecem num instante fugaz,

raivosos, dementes… destruindo a Paz!!!...

 

… tolerância que afaga, transforma um cadinho,

parcela cristã que adora, venera,

aquele Menino nascido em Belém,

Messias que se augura, que tarda, não vem,

 

comendo manjares, bebendo vinho,

recato dos lares, carinho que se espera,

famílias normais, aconchegadas, risonhas,

esmola que deu, ajuda que reparte,

levados pela época que espalha, que parte,

 

palavra sensata que alivia, que esquece,

tempo gelado, caramelo da noite fria,

brancos caminhos, tapadas as nódoas,

chagas constantes, situações degradantes,

inconstância que permanece

na loucura instalada,

mais que arreigada,

 

nucleares semeados, fins arrecadados,

ameaça que pensa, que tenta, estudada,

bonecos do Poder, quase sem querer,

na corda bamba… viver ou morrer!!!...

 

… tempo de Paz, época do conhecimento,

sorrio quando penso,

utilizado no pior sentido, armas sofisticadas,

matar à distância, sem cheiro, sem som,

num jogo aparente, botão que se prime,

Mundo que oprime,

 

que reduz, transforma sentimentos, despreza, calca,

quantos seres mais serão destroçados,

quando se quer, se estuda, mata,

fantoches que somos, parte dotada,

 

el dorado prometedor, riquezas, fausto,

ao invés dos abandonados,

ladainhas, rezas, crenças,

intervalo da sangria desatada,

nojos, ódios, zangas, rinhas,

Deus nas alturas… nem adivinhas!!!... Sherpas!!!...

 

19
Dez06

... cerro os dedos... com força!!!...

sherpas

… cerro os dedos, com força, tento conter o que me escapa,

ideias a que me agarro

antes que alguém as destorça,

machuco unhas que se cravam nesta mão cheia que paro

junto ao peito que sente,

coração que se aferra,

pés bem firmes na Terra,

 

lúcido,

permanente,

 

 

nesta matéria tão densa que se incendeia,

pensa,

cérebro de louco, demente,

vontade de mudar o Mundo, quando calado me quedo,

escrevendo sobre tudo que vejo,

máquina que não para, avulta,

que se insurge,

luta,

 

desgarrada,

desconforme,

numa fúria que me destroça,

 

desamparada,

informe,

com todas as forças que tenho,

cerro os dedos… com força!!!...

 

… o rosto quase se altera, maxilares bem juntos,

colados,

dentes que rangem um pouco,

tal besta descomunal,

bruta fera,

olhando para tantos lados,

enfurecido como louco,

 

indómito,

descontrolado,

 

amante da utopia, rejeito o espúrio,

vómito,

enegrecido, subjugado, força do mal que assola

inocente,

de bom cariz, feliz… infeliz,

naquilo que algo me diz,

no pouco que me contenta,

me faz grande… aumenta!!!...

 

… cerro os dedos,

agarro bem,

colo maxilares,

 

com força,

 

magoo as mãos,

cravo unhas,

no pedaço que me sustém,

 

antes que alguém destorça

ideias, pensamentos,

intentos,

 

braços, corpos, mentes,

ligados em tantas gentes,

enormes, inocentes,

 

indómitas

vontades que crescem,

sentem,

cerro as mãos… cerro os dentes!!!... Sherpas!!!...

 

15
Dez06

... encantos... por tantos cantos!!!...

sherpas

… dou voltas por tantos lados,

vou de encontro ao passado,

quando me detenho,

 

lobrigo,

 

comparo belos bocados,

lembro vidas que acabaram,

já foram,

 

deixaram de ser,

parentes,

bons amigos,

pararam

quando morreram,

 

… locais por aí espalhados,

mudados que eles estão,

entra em mim um desespero,

tento agarrar tempo que foge,

 

quanto o desejo,

quando o quero,

 

quando o sinto afastado,

bem longe,

 

nesses lados que detenho,

guardo para mim,

tenho,

 

saudades da minha vida,

regressos que prolongo,

faço,

deles

não me desfaço,

junto-os… pedaço a pedaço!!!...

 

… dou voltas por tantos lados,

faço presente

do passado,

quanto mais curto,

 

mais escasso,

 

recordação que se alarga,

tantos recantos,

bons bocados,

gentes que adorei,

recordação amarga,

 

quando os tive

porque me dei,

nas voltas que a vida deu,

os que amo,

os que amei,

pedaços que já juntei,

memória que ainda vive,

doces enlevos,

 

encantos,

 

por tantos sítios… tantos cantos!!!... Sherpas!!!...

 

 

13
Dez06

... caem os céus... fogem os deuses!!!... (... completo!!!...)

sherpas

 

 

 

1)… caem os céus,

 

ribombar constante,

 

escuras as ruas,

descortinam-se os véus,

cidades sem norte,

campos sem limbo,

anuncia-se a morte,

sem horizonte,

ali, bem defronte

quadros sem Deuses,

 

tão degradantes,

 

perdidos na Terra,

Senhores sem sorte,

humanos que são,

quem foi mais que gente,

reles condição,

não são etéreos,

 

pobres gigantes,

 

2)… andam a monte,

 

reduzidos,

sem céus,

sem manto,

 

conchego,

 

pedaços de véus

por qualquer canto,

de tão elevados,

tal como penso,

 

simples que são,

 

acidente,

descuido, maldição,

Deuses como gente,

quebrou-se o mito,

lançou-se um grito,

equilíbrio perdido,

 

estrondos enormes,

seres desconformes,

azul celeste

espalhado pelo chão,

fugas que deste,

recanto de encanto,

 

locais desfasados,

fogem as palavras,

céus despedaçados,

albergues dos Deuses,

escuridão,

perdidos que… estão!!!... Sherpas!!!...

12
Dez06

... um punhado de... terra!!!...

sherpas

 

 

 

… agarro um punhado de terra,

comprimo-o com toda a força,

tento desfazer o que me fez,

antes que ela se destorça,

forma bizarra,

escurecida,

nela,

o olhar se me aferra,

quando a liberto,

mão aberta,

distendida,

não comprimida,

 

alivia formato imposto,

desfaz-se,

para meu desgosto,

vai-se esboroando,

aos poucos,

mostrando segredos,

medos,

tantos fantasmas passados,

quantos desvairados,

quantos loucos,

hecatombes de pasmar,

tantas mortes,

mescla terrífica,

pavores,

quantas dores,

 

se acumulam,

escondem,

seja lá onde for,

na vida que se afasta,

um renovar,

um recompor,

energia que se não gasta,

elevo-a,

inalo-a por inteiro,

cerro os olhos,

primeiro,

deixo-me levar pelo vento,

circulo meu pensamento,

 

espiral alucinante,

existência que permanece,

tanto agora,

como ontem,

planeta rutilante,

neste punhado de terra,

que já foi corpo,

que já foi monte,

foi planta exuberante,

nesta mão que se cerra,

pedaço de tanto morto,

 

odor que me alivia,

poeira em que se transforma,

quanta raiva,

quanto desgosto,

posição de tantas formas,

energia que soçobra,

quando acaba,

quando sobra,

magia de momento,

simples gesto,

pensamento!!!... Sherpas!!!...

 

 

 

08
Dez06

... palavras... como diamantes!!!... (completo)

sherpas

1)… pedra bruta,

colossal,

carbono puro, sob pressão tremenda,

cristalizado,

palavra justa,

sensacional,

reprimenda, emenda,

no local,

arrazoado,

enfeite mais burilado,

 

faces de brilho adamantino,

palavras que eu afago,

índice de refracção elevado,

nas emoções que sempre trago,

fluorescência de vários matizes,

sentidas como diamante,

num cântico, num hino,

 

num ror,

num compor,

num poema trabalhado,

brilhante, já lapidado,

 

2)… quantos infelizes,

na busca, no rebuscado

dum pedaço de céu escondido

nas profundezas

da Terra,

Paraíso quase perdido,

 

belezas,

 

que encerras

na tua textura tão dura,

reflexos que assombram,

imagens com que sonham

 

… outros, bem mais felizes,

deslumbrados,

enriquecidos,

 

estonteantes latidos

de corações subjugados,

perante maravilhas,

 

jóias límpidas, puras,

 

tal como o pensamento

de momento,

palavras doces,  rudes,

desconformes,

altissonantes, enormes,

quando se descrevem, extasiados,

quando as afagas,

tão leves!!!...

 

3)… depois de trabalhadas,

deslumbrantes, luminosas,

preciosas,

se tornam como elas,

 

tão belas...

 

… pequenas lágrimas disfarçadas,

espargidas pelo Universo,

tristezas condoídas,

divindades que lamentam

descontentamentos,

 

como reverso,

confesso,

 

das criaturas por Eles engendradas

que se digladiam, matam,

desencaminhadas,

 

por elas,

 

palavras que disfarçam

pústulas, vitupérios,

enquanto se afastam

com rostos sérios,

compondo discursos,

 

com que lavras

posições!!!...

 

4)… enganadoras,

impuras,

diferentes, sendo duras

como diamantes,

cruéis,

insensíveis,

não tão brilhantes!!!...

 

… calamidades, tumultos,

massacres que lhes escapam,

 

aos Deuses,

 

seus castigos,

deixando de ser amigos,

não atendendo a pedidos,

deplorando,

chorando lágrimas que vão caindo,

pedras brutas, duras,

escondidas no âmago da Terra,

impuras,

que, por calhares,

 

sortes,

azares,

 

descobrem, limpam,

enfeitam,

quedando sublimes,

perfeitas,

luminosas, incandescentes,

 

5)… palavras belas das gentes,

tal como jóias ricas,

promessas,

floreados às remessas,

 

diamantes,

 

mais elevados, no Olimpo,

entristecidos,

chorando lágrimas que espargem

pela Terra dos esquecidos,

puras como gigantes,

felizes, infelizes,

conforme procedem,

 

agem,

 

… humanos… tão aberrantes,

quando dizem, desdizem,

invertem,

desmerecem,

esquecem!!!...

 

… pedras vulgares, sem graça,

sem brilho, sem pio,

lágrima que passa,

que deixa fino pavio,

fumo que desvanece,

chama que se consumiu

palavra oca,

opaca,

que saiu da boca,

diamante

industrial sem reflexos,

bem duro,

cortante,

díspares… complexos!!!...

 

6)… sobras divinas,

partilhas,

descuidos,

lágrimas que se derramam,

desgostos,

 

mais finas,

esmeradas,

 

cobiças que se têm,

se buscam,

 

fluidos

 

bem percebidos,

não receptivos,

descuidados

com palavreados,

outra raça que troça,

com graça,

compara, anela, envolve,

devolve

riquezas,

 

contendo belezas,

 

quando as descreve… inocente,

como sente!!!... Sherpas!!!...

 

02
Dez06

... recorda!!!...

sherpas

 

recorda

aquele cais deserto, quanta saudade,

 

lentamente

voga,

 

liberta a amarra que o prende,

 

solta,

tanto barulho,

quanta emoção,

abraços, beijos na despedida,

partida,

coração que vai, fica,

 

chora,

 

clama tua vontade,

agita

corpo, tua metade,

pobre,

 

sofre,

 

cerra teus olhos,

lembra

aquele fim de tarde,

 

silêncio,

 

quantos abrolhos,

sombra que se desfaz,

 

horizonte,

memória terna,

 

bem defronte

espaço vazio,

chora,

quanto vazio

Mundo imenso,

 

implora,

 

morde o silêncio da tarde,

parte!!!... Sherpas!!!...

 

  

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2005
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2004
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D