Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sherpasmania

... albergue de poemas, poesias e... outras manias, bem sentidas, por sinal!!!...

Sherpasmania

... albergue de poemas, poesias e... outras manias, bem sentidas, por sinal!!!...

04
Mar07

... ventos adversos!!!...

sherpas

ventos adversos sopram pelo ocidente, carregados de falsas promessas,

remessas,

enfurecidos vendavais se acumulam, rotativos, cumulativos, naquela frente,

perspectivas repentinas de mortes, feridos,

colocando tudo às avessas,

 

forças ocultas se escutam, se percebem nos ruídos produzidos,

tremendas, energias que se medram regadas com empenho, devoção,

concertadas naquela direcção,

 

nascem para os lados do oeste, nada de novo, nada que preste,

tempo de dúvidas, razias de medo,

prostração de quem teme, tamanho segredo,

 

caminho estudado, já traçado, zona de agitação,

em grande evolução,

fonte pródiga no seu caudal, pressões propícias, céu carregado bem denso,

clima propenso,

 

seguras as estruturas,  mais débeis, algumas

que se não aperceberam ainda,

da sua vinda,

 

partindo do ocidente, vão cair de repente,

algo se sente,

acalmia que se extingue, sopram os ventos, bem fortes, imensos,

enérgicos, apensos,

junção de coisas brutas,

unidas, bem juntas, calculistas,

de há muito previstas,

 

rajadas tão concertadas, estratégias bem ou mal vistas,

fins que adivinho, objectivos cobiçados,

tão sem cuidados,

 

elevação, com derrube dos que estão instalados, ventania se adivinha,

que já sopra, se acerca, avizinha,

quanto ruído… alguma força!!!... Sherpas!!!...

 

04
Mar07

... ditador ou... salvador???...

sherpas

… desconforme se levanta, ensombra, fauces horripilantes, cavernosas,

da tumba escura...

viscosa,  onde se encontram

restos abjectos,  memórias que nos agastam

como povo,

 

008

estórias, vida horrorosa, passado degradante que se afasta,

fazendo ranger ossos que ainda restam...

poeira que provoca, quando se invoca, hálito fétido, presença venenosa,

inversão de toda uma situação,

arreigo que se pretende,

perversão que... não se entende,

 

grupos que despontam vontades, ocultando feras verdades, mistificando

tempos vividos, já passados, fomes, guerras, perseguições...

adulando imagem que se dissipa, heranças que se rejeitam, dissenções,

 

enfrentamento que se avilta por monstro que destruiu,

oprimiu...

nunca tal coisa se viu,

 

alguns seguidores da suprema besta, recordada pelos que a veneram,

ainda esperam...

tal como outras, destruidoras, ideias adversas, tão contrárias,

intentando posterizar, em vão,

enfrentando punhos, cerrando fileiras, toda uma Nação que diz não,

 

olvidando caveiras, tentando sorrir, buscando o advir,

páginas duma história que se vai fazendo... esquecendo dores, gemidos,

tempos antigos,

vidas duras, ditaduras,

 

voragem do tempo que passa, recordação de quem tenta

dar vida a uma longa treva que se interpôs, perpetuando um esquálido já esquecido,

mal que foi, mal que traça, mesmo com tudo que se inventa,

quando se tenta...

 

colocar como referência um horror, tempo perdido,

apartados do Mundo, humilde raça...

nobre grandeza agrilhoada,

décadas de medo, pavor,

 

fantasma que surge, ainda ruge, das mais profundas nesgas do inferno,

sempre presente, sempre eterno...

triste recordação,

maldição,

 

má intenção que se renova, se incendeia como pólvora,

adoradores daquela figura demoníaca,

cinzenta, carregada, tristonha, opaca,

que por cá vingou... quando se instalou!!!... Sherpas!!!...

 

04
Mar07

... mortandade... colectiva!!!...

sherpas

… grupos numerosos ao sabor das ondas,

desistiram,

fugiram do ambiente que rejeitam,

mole imensa de líquidos,

sobras, vertidos,

não mar azul

transparente

com que sonhas,

bandos de gaivotas que o enfeitam,

cardumes de peixes, moluscos, crustáceos,

mamíferos amigos,

 

aqueles cetáceos

que são arrastados pelos ventos,

pelas águas putrefactas,

grandes massas

que se agitam,

adulteradas,

horizontes que se alongam,

costas que banham,

 

onde se assanham

pequenos entes,

donos de tudo,

desprezando o próprio Mundo,

casa dos vivos que se suicidam,

vontades que tomam,

quando em grupos,

fugindo da promiscuidade,

alimento que não têm,

mantendo equilíbrio,

com brio,

por outra razão,

quando morrem nas praias desertas,

amostragem de horror,

completa exaustão,

 

desperta

sentimentos de culpa,

 

quando nos advêm,

perante imagens trágicas

que nos assustam,

esforços que fazemos,

tememos,

tentamos evitar

concertação de morte colectiva,

término da vida,

decidida,

mamíferos como nós,

 

são fugas,

determinação, pesadelo,

naquele cotovelo,

baía fechada,

bem apartada,

cemitério escolhido,

desistência,

vertido

nas areias doiradas,

águas paradas,

 

ambiente falido,

oceano de engano,

esgoto… tamanho!!!... Sherpas!!!...

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2005
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2004
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub