Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sherpasmania

... albergue de poemas, poesias e... outras manias, bem sentidas, por sinal!!!...

Sherpasmania

... albergue de poemas, poesias e... outras manias, bem sentidas, por sinal!!!...

29
Jun07

... da lei da morte... libertando!!!...

sherpas

... vejo

águas mansas do Nilo,

calor intenso, grande sufoco,

pirâmides de Gizé

ainda de pé,

abarco-as porque tudo rodeiam,

permanecem ao longo do tempo que passa,

relembro centenas de milhares de escravos,

forçados trabalhos em prol da divina graça,

faraó, homem, Deus ou Sol,

alucinação de servos, agravos,

almejo uma réstia de frescura

perante

blocos graníticos que se empilham,

tomam forma continuada

na altura,

figuração dos raios que se espargem com fartura,

pretensão na Terra com labirínticos interiores,

percursos para tumbas, tesouros,

enredados  em essências, poções,

complicados  esparadrapos que cobrem corpos de defunto régio,

egrégio,

Deus infinito que se mantém,

múmia que se agarra a uma vida acabada,

quando se supõe um mais além,

pretensão do que fenece, quando falece,

amargura,

convencimentos posteriores,

sacrifícios, matéria que se dissolve,

areias escaldantes,

apegamentos que se cobiçam,

esqueleto em sarcófago que se esquece,

nada resolve,

testemunhos daquela época de gigantes,

presentes na margem Oeste,

impassíveis,

inamovíveis,

como quiseste, oh faraó,

quanto me apenas, metes dó,

 

trago comigo desgraça alheia,

recordo

azáfama, ordens, gritos, chicotes, gemidos,

comprimidos os gentios de civilização antiga

tão pequenina,

grandiosa nos feitos que cometeu,

afrontando Rá, temendo Anúbis,

cidade dos mortos, vivos ainda,

perpetuando corpos com denodo, doce Ísis,

quase me escondo, quase me tolho,

me coíbo,

sentindo todos os espasmos de dor,

ferimentos tão fundos, nas almas, nos corpos,

vítimas que se esgarram num encarniçamento,

seja por cá, seja onde for,

em dados momentos,

 

ganância que exulta,

mal que degrada, não se expurga,

depaupera,

demência na fauce que desfigura,

medonha postura,

pobre que se esquece, fraco que não luta,

doente que se afasta,

quanta desgraça,

Osíris que se ausculta quando se busca

não são Deuses, são homens indómitos,

loucos destruidores que matam, destroem,

são nojos, são nónimos,

opulentos, majestosos, degradantes,

manchas escuras, negras, más,

escarram chagas sobre o incapaz,

desferem armas, lançam chamas, raivas,

dominam como o Nilo que apascentam,

 

recria a natureza,

vizinho daquelas construções milenares,

resultado da soberba, da vileza,

humanos que intentam

dualidades grotescas, antagónicas, díspares,

 

 

resguardados, bem postos,

já mortos,

escondidos, secretos lugares com posses,

criados, cavalos, amantes, brilhantes,

riquezas exuberantes,

acolhem os restos, passagem p´rá eternidade,

recepção

com acordes, curvaturas, palmas,

festas de realce,

augúrios futuros, vénias, dádivas, oferendas,

 

esquecem as almas,

roubo, desfalque,

instigam ofensas,

mantêm a morte como caminho mais curto,

sofrimento, sorte… pensamento impuro,

 

donos dos povos, senhores da guerra, senhores da Terra, donos de tudo,

males do Mundo!!!... Sherpas!!!...

 

27
Jun07

... la Almudena!!!...

sherpas

… sentado em banco amplo, robusto, madeira pesada,

num dos muitos que a enchem, catedral de la Almudena,

colunas coríntias, criptas de encanto, vitrais diversos,

pinturas, frescos já recuperados,

fúria dum corpo, arrasto dum mal,

decrépito, já velho, figura de pena,

idoso, cabelo em desalinho em surda conversa, tristezas, segredos,

injúria, pela expressão que mostra,

olhar cravado no Cristo que culpa,

braços abertos, na Cruz da Catedral,

perante todo aquele espaço, arranjos florais, altar que se alça,

tronos dos clérigos com espaventos,

incúria dos tempos,

grito de alma,

 

20100813(012).jpg

grupos espaçados,

chusma que tira bonecos, se extasia,

clarões diversos, às vezes parados,

vozes de veludo, som que cicia,

crentes, não crentes, origens diversas,

deambulam, dispersam,

nave primeira, nos altares,

nave que cruza, na lateral,

jovens aos pares,

saudáveis, sem mal,

talhas doiradas, Senhora de seu nome,

tríptico com ares,

cenas bíblicas que gritam preceitos,

velas, esmolas, santos, santas,

pintadas, esculpidas, desconformes, com jeitos,

aconselham, avisam,

mudas que gritam,

almas que sentem trejeitos,

defeitos,

 

olhos que incendeiam, escancarados, ausentes,

mãos trémulas, frementes,

voz cava que balbucia,

não cala, invectiva,

acusa o sacrificado pregado na cruz,

da ostentação que sente,

dela afastado, de ausente,

amplidão tão fresca que convida ao recato,

descanso tão grato numa tarde de Verão,

sem penitência, simples oração,

visita turística, portas adentro,

relevos de medo,

bronzes pesados,

 

Petrus descomunal, pedra que pesa, que assombra, real,

casamento gravado naquele local,

Palácio do Oriente ofusca culpados,

góticos que enlaçam, que cruzam, traçam,

pormenores tão densos, gritos de alma,

vozes de veludo dos que visitam,

passam,

visão que estarrece, velho que sucumbe,

dor que grita, pedras seculares

para quantos lares,

estarrecem, incitam,

amedrontam,

chaga que arrasta,

acalma,

quanto se afrontam!!!... Sherpas!!!...

 

 

22
Jun07

... lucidez é... loucura???...

sherpas

… tudo que excede, recrudesce, se deita fora como maleita,

coisa pura quando normal, lúcida  e aceite, agradece,

dádiva que não merece,

dose bem distribuída numa espera,

numa fuga,

calculado distanciamento do louco que nos aparece,

recusa,

 

DSC03704

numa viagem que goza,

normal contentamento,

numa alegria tão natural, num choro justificado,

sentimento,

manifestação racional,

 

num escrito que surge

atitude que toma, urge,

num desenho que realiza, numa dança, numa cantiga,

num rapaz que refaz, que sonha com rapariga,

 

numa ilusão que tem, audição que apraz,

melodia que fascina,  poema que arrima,

obra que põe de pé,

reza que interioriza,

manifestação duma crença, na fé,

quando tem, pensa tudo que superioriza,

tão vulgar, tão lúcida, natural,

tão normal,

 

pobre louco arrebatado, lucidez que extravasa,

quando cria sem cuidado,

artista de várias artes mostradas em tantas partes,

algo que busca,

procura,

anormalidade sedutora, criatura,

tão diferente no meio de tanta gente,

 

redutora,

lucidez é loucura,

sofrimento que agasta, inflige, devassa,

contenta na tristeza, dá ânimo num repente,

luzinha tão fugaz

que torna mais capaz contradição permanente

que isola, torna ausente,

hilariante situação, gargalhada inesperada,

posição tão desejada!!!... Sherpas!!!...

 

 

 

21
Jun07

... loucura que... busco!!!...

sherpas

… louco,

arrebato meio Mundo

com ele me confundo,

disfarço a madrugada,

relego o passado, antevejo o futuro,

alcanço o sublime, massacro oceanos

invoco Neptuno,

 

DSC00332

solitário, entristecido, soturno

recalco amarguras,

ventanias do desassossego

nas noites de pesadelo,

cerradas… escuras,

estrelas no infinito,

desvairado,

perdido,

 

lúcido, interrogo o ignoto por questões de pavor,

abafo sentidos,

guardo rancor,

afago quem passa,

esqueço a desgraça,

arranco gemidos, dores, medos,

guardo segredos,

 

enganador me contradigo,

falo comigo,

emendo,

reduzo,

elevo meu ser,

louco varrido,

razão na lucidez que perverte,

ludibria,

converte,

loucura que busco,

verdade que ofusco!!!... Sherpas!!!...

 

 

 

18
Jun07

... argonautas e... influências!!!...

sherpas

… com uma “influência” junto dos Deuses adequados,

tal como Jasão junto de Tritão…

filho de Poseidon e Anfitrite,

talvez se conseguisse obter o Ouro que se necessita,

não o do Tosão,

pele doirada de carneiro alado,  

o que está quase acabado,

o que nos foi deixado pelo ditador com botas,

vítima fatal da… bendita cadeira!!!...

DSC03831

… tudo se consegue

com um empurrãozinho certo,

na hora certa,

no sítio adequado…

há gentes e partidos que sabem disso,

por experiência própria,

acumulada ao longo de décadas,

de práticas insistentes,

quase permanentes!!!...

 

… peripécias tantas, aventuras em viagem acidentada,

busca do Tosão de Ouro, tarefa imposta por tio usurpador

em terras de Tessália, Grécia antiga, filho de Esão,

eis o argonauta Jasão,

 

criado por um centauro, figura mítica,

arrostou penas duras depois de construir em Argos a nau,

todo um herói de época passada,

helénica,

pelas voltas e reviravoltas, elíptica,

curva com altos, baixos, ovalada,

descrita,

elogiada em livros, recontada de boca em boca,

coisa louca,

 

feitos que quedaram para a posteridade,

como exemplo, tenacidade,

perseguição dum querer, dum sonho que concretizou

segundo a profecia

que assim o dizia,

enfrentou dragão, arou campo com toiros que cuspiam fogo,

na Cólquida distante, cumprindo cargos do rei Eetes,

semeou dentes  de besta desconforme que se transformavam em guerreiros,

a todos venceu,

 

quando matou Pélias,

fugiu com Medeia, filha do rei,

cumpriu destino, teve filhos… pobre Jasão,

já com o Tosão,

dono e senhor repudia quem tinha raptado,

foge para Corinto, desposa Creúsa,

 

Medeia não esquece,

trama,

vinga afronta

quando desponta,

mata rival, seus filhos até, os que tivera com Jasão,

o do Tosão,

cruel destino,

vem a morrer por pedaço de madeira da nau Argo,

triste final… puro acaso,

cerra-se o ciclo, fecha-se o arco!!!...

 

… já naqueles tempos resultavam…

as influências!!!...

Influência do Vaticano sobre os capitais,

contra a AMI que pratica o aborto em condições aflitivas,

por violações…

conta muito, né???...

Práticas antigas!!!...

Poxa!!!... Sherpas!!!...

 

 

16
Jun07

... "juramentus solennis"!!!...

sherpas

… no sino da igreja soam avisos compassados, lentos, preguiçosos,

retintos, sonoros,

presença do Deus dos vivos, esperança dos que estão mortos,

marcam tempo, avisam dormente,

ser aparente,

anichado num canto, longe do espaço em que se encontra,

sonhos, voga bem alto, asas de vento,

longe das nuvens, pertinho do sol,

separado do que o oprime,

não sente, só dorme,

doce modorra,

rosto de fada, gnomo traquina, flor perfeita,

cor de enzima, sabor a fermento,

coisa estragada,

cidade Gomorra,

 

DSC03924.JPG

excessos nos leitos, orgias devassas,

pernas, peitos,

luxúrias, incestos,

costumes imorais, longe de Deus,

usanças em Sodoma,

grandes, poderosos, ímpios Cananeus,

rudimento que avulta,

gérmen, preceito,

antítese dum feito,

castigo divino, campânulas que soam,

retintas… entoam,

 

bruxa malvada, sorriso escarninho, cara de fel,

Sodoma que engana,

cara tapada,

Abraão que apascenta gado, conduz homens, dilecto da Voz,

génesis, teologia, protecção de nós,

anjos que avisam, casa de Léo, condena divina,

julgamento em fuga,

lascívia perversa, relação condenada,

catástrofe que arrasa,

fuga dum pai, mãe petrificada,

filhas incestuosas,

desgraça que cai,

virgens maldosas,

 

tempos que passam, juramentos que cumprem,

normas que esquecem,

atitudes hipócritas, Epicuro sobressai,

prazer continuado,

defesa de templo vivo,

ser prescrito, religiões que se alteram,

sarça que flameja,

ensinamentos que não cumprem,

voz tonitruante que avisa,

sino que soa,

minarete que chama,

Torá que ensina, escrituras antigas,

Caminhos, às vezes,

 

não matarás, no ventre, na guerra,

hipocrisia na Terra que… tudo altera,

templo em respeito, corpo perfeito,

na Paz, temperança,

esperança, aperfeiçoamento, sem objecção,

conhecimento na mão,

Esculápio, Deus maior da medicina,

Hipócrates “ignorantia júris”,

“juramentus solennis”

milénios passados,

tempos mudados,

 

matam na guerra,

enganam a gente, protegem o ventre,

tudo se altera!!!... Sherpas!!!...

 

  

 

 

16
Jun07

... conta comigo!!!...

sherpas

… imagens de medo,

olhares vagos

filhos nos braços,

terras de ódio, julgamento,

misericórdia inexistente de quem se preocupa com abortos,

critica,

impedindo auxílio aos que dão tudo,

que confuso este Mundo

DSC04100.JPG

religião que não entendo,

atira,

ajuíza,

pobre superior eclesiástico,

moderado,

sorridente perante o pesporrente,

administrador da guerra,

bem firme, incontestado,

não olhando ao que nos aflige,

nos agride,

nos atinge,

 

fome, miséria, guerra,

crianças inocentes

filhas da violação de momento,

crime hediondo, prepotente,

amargura, sofrimento,

caras apáticas,

cenas trágicas,

alívio duma mão amiga,

voluntário, doce AMIgo

conta comigo,

 

enlouqueceu, dizemos a cada momento,

época da indecência,

da luxúria, decadência,

dos valores que se esfumam,

dos cadáveres que se exumam,

macabra situação,

grito,

revolta,

aflição,

bendito na perfeição,

postura, oração,

duvida como escolta,

polémica, revolta,

palavras de negação,

ajuda que se complica,

matéria que se refreia,

atitude que desfeia,

desconfiança com que se fica,

 

afinal que andou Cristo a pregar na Terra,

antes de ser pregado na Cruz

quando o seu representante, sucessor de Pedro,

a isto nos induz,

 

neguem dinheiros, neguem proventos

aos que aliviam tantos lamentos

por uma causa justificada,

interrupção duma gravidez não desejada,

 

aborto,

feto morto,

no início

ou após nascimento,

não aborto,

vida dum morto,

sofrimento, longo martírio???... Sherpas!!!...

 

 

14
Jun07

... torno-me mais... racional!!!...

sherpas

… finitos prolongados por germinação,

continuidade que se entrelaça num amplexo,

amor carnal, junção através do sexo,

corolário duma ilusão,

elevação disfarçada por lírica de encantar,

verdes campinas,

um cicio, um pipilar, doce olhar,

densas florestas, magias infindas,

flores silvestres de variado colorido,

tela de pintor tresloucado de amor,

desejo incontornável, sofrido,

cabelos que rolam por ombros esbeltos,

contornos,

DSC07209

imagem que se idealiza

na nesga dum corpo que se adivinha,

entregas, encontros,

partilha que sublima,

fantasia que avoluma sonhos

quando nos pomos rendidos por rostos

que se guardam no mais profundo recanto do pensamento,

encantamento,

 

… langores, margens idílicas de ribeiras de águas mansas,

frondosas árvores, dois corpos nus que se abraçam,

evocam o princípio, fundamento, base de tudo que fomos,

repetição dum acto tão natural, emoção,

exaltação,

quando te espreguiças com deleite, descansas,

abres teus olhos que me enlaçam,

lagos de águas puras, espelhos onde me vejo,

pedras preciosas de jaez incomensurável,

retenho, rendido a teus encantos,

teu sorriso, teu beijo,

teu ardor,

teu amor,

 

avoco ritmos, dores, idade que não pára,

invoco ténue lembrança que separa

momento já vivido,

aponho  um laço com que traço destino,

enleio aquilo que fomos,

que somos,

sorrio perante gesta que se arresta no tempo infinito,

antevejo continuidade por gestação,

ligação carnal sem líricas de encantar,  

conjugo o verbo amar

sem recalques, embaraços, na minha condição de animal,

controlo a fúria, a raiva, embalo a paixão,

torno-me mais racional!!!... Sherpas!!!...

 

  

13
Jun07

... sexus!!!...

sherpas

… avessos, escorreitos,

perfeitos,

com laços bordados,

traçados,

bem feitos,

rendas mui finas,

diáfanas,

são galas,

 

complexos os sexos,

torneados

reversos convexos

que encaixam, ajustam, se dão,

se enlaçam na escuridão,

finitos nunca vistos

germinam quereres entre seres,

amores,

entregas, paixão,

 

olhos perdidos,

cerrados,

amplexos

são plexos,

são nexos,

encerram gostos,

bem postos,

 

sobrepostos,

apostos,

compostos,

comungam feitos arrebatados,

juntam corpos,

juntam mentes,

quereres,

sonham Paraísos perdidos,

clímaxes  que gritam,

convidam

doce refrega,

 

conseguidos

num laço traçado,

bordados tão finos,

sexos prendados

tão densos, complexos,

convexos,

inversos,

avessos,

confessos,

são versus diversos,

infinitos… Sherpas!!!...

 

 

 

 

11
Jun07

... culto da matéria... espúria situação!!!...

sherpas

... observo atentamente sorrisos ambíguos,

não entendo a cruel realidade,

uma vida, uma verdade,

maior valia, libertação,

elevação,

gnosticismo arcaico que recrudesce,

respostas que busco incessantemente,

ânsia de tempos idos,

neves eternas do Kilimanjaro

sonho que se vai desfazendo, permanente,

águas profundas do Nilo, Alexandria cumulativa no conhecimento,

farol que recordo por gravura,

quanta ternura,

civilização com maravilhas desfeitas,

grandezas diluídas, rarefeitas,

eternidade como pó de areia que esvoaça,

some, passa,

 

 

sempre me pontuei por estrictos valores morais,

razão pela que visualizo tentações de Cristo

indignos seguidores profícuos,

Judas dos dinheiros por que se vendem

quando entendem,

sentados em amplas poltronas do Vaticano,

diplomacia que enoja, fel, engano,

perfídia,

vence o Midas que transforma em ouro

tudo que toca no próprio dia,

com seu ar pesporrente, degradante,

abafando consciência, humildade,

da Bíblia

ensinamentos textuais,

ultrapassados, anormais,

destruição em massa por onde passa

se atreveu,

esquecendo aquilo que cometeu,

cristão de boa cepa, ilibado,

confessado

na Casa do Pai permissivo, não excomungado,

sob o labéu diáfano, quase impuro

dum representante do Pedro apóstolo

parecendo réprobo, diplomático, tolo,

 

glosando situação de cruzada antiga,

enfrentamento naquele momento,

dura quadriga

no Coliseu,

choque de ferros em terras de Galileia,

matança em lutas, guerras,

com, sem actualização

tecnológica de ponta que destrói, desponta,

antagoniza,

desfaz tudo que cria,

feros, duros Deuses da mitologia,

regresso a Júpiter, pai de Marte que permite quem agoniza,

guerra que preconiza como solução,

ao invés da fantasia,

quase magia,

Merlim do rei Artur lendário

reunidos na Távola Redonda, cavaleiros de Camelot,

surgidos das brumas intensas das terras de Avalon,

mítica ilha de nevoeiros perpétuos, sua origem,

paganismo que revolveu gentios nos valores,

busca da felicidade na Terra,

Celtas que se converteram, Santo Graal dum matriarcado esquecido,

escondido por razões, interesses de matéria que sobrepõe,

constrói templos imensos, não abjura quando dispõe,

impõe,

 

jardins suspensos da Babilónia,

berço da civilização escrita, terras da Mesopotâmia,

região entre Tigre e Eufrates, Babel horrível que se incendeia,

dias de mortos que se confundem, pedaços de corpos,

conhecimento que se saqueia,

museu que se cria, recria noutra latitude, longitude,

posição distanciada, potência que se evidencia,

indigna atitude

de tudo que se potencia,

ruínas que se cumulam, irrespeito de tudo que tenha sido feito,

incultura que perturba os mais benévolos pensadores,

agnósticos convictos,

relegados, quase prescritos,

 

não são perenes as neves do Kilimanjaro,

os cavaleiros de Camelot viraram Quixotes ridículos,

dementes romanescos,

tipo avarentos do Mercador de Veneza,

figura do judeu criada por Shakespeare,

quando os avalio assim reparo,

os Deuses são ícones de pedra, de barro, de madeira que estraga

os templos, arcas de Noé que albergam rebanhos cegos, vesgos,

tenho a certeza

ou... muito me engano

quando recordo aquele encontro no Vaticano,

seguidor do apóstolo, tão sorridente, de braços abertos

perante medonho visitante com feitos bizarros concretos,

 

culto da matéria, espúria situação,

Mídas que rejeita a perfeição,

conhecimento do valor do amor,

humanidade em declínio, dinheiro que assombra,

ciência que rotula, amedronta toda uma época,

esclarece,

doçura que se apaga, se apouca,

loucura que cresce, recrudesce,

emudece,

apocalipse que se instala, cavaleiros do mal que não param,

matam, destroem... disparam!!!... Sherpas!!!...

07
Jun07

... quando se liberta de... vil matéria!!!...

sherpas

 ... na última bancada do anfiteatro de Epidauro

som perfeito de moeda que cai no chão,

acústica que se aguça nas margens do Mar Egeu,

predicado,

sem cuidados de Esculápio,

qualidade de construção da Grécia antiga,

DSC03500

tal como som crepitante naquela pira junto ao Ganges

se cremam corpos,

se juntam águas de Brahmaputra,

na envolvência,

sol abrasador que incendeia,

devolução da alma em chama aos Deuses,

 

Nirvana, meditação,

segredos que soltam,

perfeição que alcança,

procura,

quando se liberta de vil matéria,

 

epílogo trágico de trilogia tebana,

Sófocles que narra,

não engana,

 

Édipo, adito a complexo Freudiano

que analisa saber, poder, afecto,

amor impossível, incestuosa relação,

mundo silencioso de poeta dilecto

perante falha humana degradante

do Universo, sua recreação,

 

visão infernal, qual Dante

desgarrado, violento, cru,

rejeita

tragédia em anfiteatro antigo de acústica perfeita,

pretende o que sente

como ser normal, inocente,

umbigação sem cremação

como Brhama montado num Lótus que brota do umbigo de Vishnu!!!... Sherpas!!!...

 


06
Jun07

... permanente inquietação!!!...

sherpas

... o poeta não silencia, pensa, sofre, amedronta, denuncia,

ri do que vê, incomoda,

incendeia tal como sol resplandecente em céu límpido, azul,

tão puro, em harmonia,

Paris 052

quando se não comporta, sagaz, quase matreiro,

como chama incandescente,

persegue continuamente qualquer ideia presente,

quando a tem, quando a sente,

matuta, barafusta,

revira-a com presteza,

primeiro,

dá-lhe a volta quando a contorna, sente-a como imenso vespeiro,

alheado,

pouco se importa,

depois de ter a certeza

coloca-a no papel como pira que o Sol acende,

num instante, num repente,

 

faz tremer todo o Mundo, abala alicerces bem fortes,

sobe ao cimo da montanha,

em silêncio, queda mudo perante vidas, sortes,

náufrago num oceano de enganos,

nos remos que não apanha dum barco à deriva

sente-se dono de tudo,

 

perdido como fantasma rasga o corpo, afaga a alma,

agiganta-se como um Deus

nos espaços que são seus,

interiores não guardados lança versos como farrapos,

rimas que choram às vezes,

canta hinos, melodias,

semeia dores, dá alegrias, sonha traços que são revezes,

destinos inimagináveis,

bocados bem agradáveis,

 

silêncios que o Sol atiça na pira dum pensamento

poeta que denuncia,

clama com muita chama o que sente, o que o inflama,

também renega ausência, prostração,

mente vazia,

intensa solidão... junto de quem mais ama,

permanente inquietação!!!... Sherpas!!!...


 

04
Jun07

... tenho medo de... não ter medo!!!...

sherpas

... tenho medo de... não ter medo,

de me tornar indiferente

perante o Mundo, perante a gente,

tornar-me algo inconsistente,

pedregulho insensível, duro,

matéria tosca, rebotalho,

rosto sem alma, simples dejecto,

sombra que segue quem muito se ergue,

por qualquer meandro tenebroso,

por atalho,

sem objectivo

colectivo,

qualquer afecto,

caminho mal definido,

bem activo,

quando se olha, se transluz,

... tenho medo de... não ter medo

do que se julga mais capaz,

quando desfeia, quando desfaz,

imbecil que se manipula,

na voragem, intensa gula,

se alheia, não permeia,

se considera bruta figura,

transfigura,

modifica sentimento que não sente,

deixa de ser o que é,

pequena notícia, um rodapé,

 

... tenho medo de... não ter medo,

quando analiso imbecil convencido,

quando aceito, quase desculpo,

me resguardo, me não culpo,

me envergonho do que não disponho,

não dou a quem precisa,

que não medra, se inferioriza,

se resguarda de quem atemoriza,

 

... tenho medo de... não ter medo

do que é negociado em segredo,

da claridade que se enegrece,

da transparência que se esquece,

da imposição que faz pressão,

da liberdade que se coarcta,

que se nega, transforma em nada,

 

... tenho medo de... não ter medo

de tanta morte matada,

destruição que se repete,

quando, com fúria, se acomete

país, terra, região,

gente aglomerada, multidão,

inocentes que estraçalham,

violência tão concertada,

mais milhão, menos milhão,

com defeito, desproporção,

insensível aberração

de quem tem o Poder na mão,

semeando males que espalham,

consentindo

quem vai mentindo,

 

... tenho medo de... não ter medo,

de aceitar o que bem querem,

como querem, como entendem,

fazendo de conta, simplesmente,

como quem mente,

de me tornar indiferente

perante o corrupto, o ladrão,

liderado pelo indigno pesporrente,

pelo amoral... como opção,

única saída, solução!!!... Sherpas!!!...

 

03
Jun07

... reviver... Ravel!!!...

sherpas

... como sereia inebriante,

loucura arrebatadora,

maviosa, sedutora

que nos reduz,

induz,

nos arrasta em paroxismo

surgem sons quase inaudíveis,

imperceptíveis,

que nos prendem,

nos captam,

se alteiam,

nos incendeiam,

nos assaltam

nos enleiam,

numa fúria que se solta,

coloca no meio dum vendaval

maravilhas incontáveis,

sentidos prostrados, rendidos,

como bola que carambola,

precipício abismal,

torrente fenomenal,

sonhos inalcançáveis,

Paraísos quase perdidos,

mente dum Ravel que é bolero,

como gosto, como quero,

 

quase me solto da Terra,

baralho corpos, pernas,

premeio dança que avança,

loucura dum infinito,

bênção dum Deus que gera,

tudo de bom, de equilíbrio,

prisão que prende qual teia d´aranha,

débil, forte fio,

que nos encanta, nos apanha,

 

fortes pancadas que soam,

acordes que vêm

que voam,

estremecem,

reparos que nos merecem

entrega, qual revoada

que nos reduz a nada,

sendo tudo,

bastante mais,

num Mundo

de criadores geniais,

auditores embevecidos,

maravilhados, estarrecidos,

confundidos,

 

oceano imenso em que me afogo,

labareda que me consome,

alegria, meu desgosto,

minha renúncia,

minha fome,

minha entrega, desistência,

arrastamento

em pensamento!!!... Sherpas!!!...

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2005
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2004
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D