Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sherpasmania

... albergue de poemas, poesias e... outras manias, bem sentidas, por sinal!!!...

Sherpasmania

... albergue de poemas, poesias e... outras manias, bem sentidas, por sinal!!!...

29
Fev08

... desoras!!!...

sherpas

 

… nebulosas faces me perseguem interrompendo descanso imerecido,

rotina do dia que acaba, já cumprido,

sem afazeres de monta, num faz de conta, período de afastamento,

sem tarefas, aposentado,

juntando dias, meses, anos acumulados,

arrostando caras esbatidas, presentes em todo o lado,

fantasmas doces que acariciam meu rosto, deleitam-me, sorrio, ainda prostrado,

cambaleando, ergo-me do leito, dono do corpo prossigo por salas vazias da casa,

ensonado, perdido, confuso, sem destino,

tossico,

estendo-me num sofá que por ali está, ilha na escuridão que me rodeia,

acalmia tão grande, sossego, descansam os vivos, os mortos estão

vivos quando os recordo,

presentes,

testemunho o que foram quando gentes,

 

inquietação, dificuldade na respiração, algum receio do que se torna constante,

ansiedade indecifrável que amedronta, interrompe sono agitado, constância doentia,

quase apatia,

desagradável sensação de quem está só no meio da multidão,

silêncio que não silencia quem delicia

trazendo sentimento que julgava perdido, quando acompanha, acaricia,

faz companhia,

 

deambulo, sento, levanto, estendo, cerro olhos, abro luzes da sala,

percorro tudo que me rodeia,

desempenho tarefas domésticas na cozinha, arrumo tachos, panelas, talheres,

descasco batatas, cenouras, acendo aquecedores,

vou-me entretendo,

afastando imagens que provocam ideias que envolvem,

nada resolvem,

 

encaminho passos, ligo o computador, martelo teclas, escrevo,

despejo o que estranho, levanto, faço abluções matinais a desoras,

ensaboo a barba que desfaço,

quando a retoco e faço, desfazendo,

lavo o rosto, componho o corpo,

mato o tempo, meio morto de sono,

sem demoras, afanoso, ocupado, perseguido,

faces estranhas, noite perdida,

pedaço de vida… não conseguido!!!... Sherpas!!!...

 

 

27
Fev08

... caminho!!!...

sherpas

 

… sigo linha azulada que me seduz,

olho águas paradas, areias de sonho,

reflexos díspares, lugares incríveis,

rapariga elegante, corpo brilhante que se destaca,

presença que domina paisagem completa,

distância tão curta, murmúrio da brisa, consumo o que busco,

sossego, beleza, encantamento,

preencho percurso, aprecio, deduzo,

 

comparo, reparo, pintura repleta,

qual obra de mérito, apurado esteta,

num piscar do tempo,

elemento tão líquido, solo tão fino, deusa na escarpa,

duna moldura, mar pormenor, imagem maior,

amor, desejo, abraço com beijo, solidão no Outono,

praia deserta, linha azulada,

visão que disponho,

 

local em declive, ondas se espraiam,

enrolam, desmaiam,

odores de magia, fantasia se adensa,

leve neblina que rodeia, abarca aquele chão, aquele mar, aquela deusa,

encobre jóia preciosa, natureza pujante,

que logo recobra, rebrilha formosa,

renovada, areia molhada,

azul distinto, criatura dotada,

 

foco deslumbrante, Sol que dá cor,

reflecte sabor,

enche imaginação, algum frescor,

sensação que somos imensos quando nos detemos,

apreciamos o que nos dão,

local, ocasião,

lugarejo perdido, multidão,

inverso, solidão,

praia deserta, linha azulada,

sons tão dispersos,

 

visão duma fada,

pés descalços no areal,

não marginal,

de Prometeu, discernimento,

origem, criação,

aparição,

mulher primeira, Pandora,

qual Vénus tão bela,

curiosa de segredos que encerra,

maleitas se espalham,

toque celestial,

persuasão,

cerrada no que resta,

esperança, simples vestal,

virgem que atesta como festa,

oferenda para quem… contesta!!!... Sherpas!!!...

 

 

24
Fev08

... sujeitos!!!...

sherpas

… não quero desfear quem se considera,

reparando,

construtor de ideias contrárias aos que se julgam,

bonecos feitos,

manobrados por quem pode neste universo,

dependentes,

corpos sem vontade própria,

desejando,

ocultando falhas avultadas,

fazendo jeitos,

características dos que não passam de sujeitos,

 

ambivalências que se guerreiam,

por dinheiros,

não sendo, só tendo,

parecendo o que mostram porque reféns,

fatos perfeitos, lugares de estrondo,

figuras de topo,

sorrisos forçados, máscaras, sons,

trastes que falam,

que tratam,

que estragam,

destinam futuros,

buscando pretextos, instantes,

um gozo,

 

viagem tão fina,

instalação perfeita,

escravos que são,

são mentes, são duros,

políticos às vezes, pandemónio instalado,

sangria que fazem

quando desfazem,

desligam,

elevam, norteiam desejos,

abraços, beijos,

 

curvaturas brejeiras,

farturas de medo,

compassos na pauta,

tristeza, solfejo,

arquejo de quem arfa, resulta sobejo,

informes nos excessos, escassos na fome,

pestilências,

ensejo,

não como, vomito, reparo… só vejo

sujeitos

quase apagados.

sem predicados,

alguns trejeitos!!!... Sherpas!!!...

 

 

22
Fev08

... janela!!!...

sherpas

 … cristal que se torna opaco, quando cerro os olhos,

 choro,

 me separa do que vejo,

quase parede, inexistente, transparência

que permite abarcar cena dantesca,

excrescência,

alma que sofre, acontece partilha da dor,

solta que está terrível besta,

tão longe, tão perto, imperceptível afago que antevejo,

envio mensagem surda que me preenche,

tanto para dizer,

sentimento que tolhe pensamento,

acabrunhado,

recolho-me ao silêncio que envolve penumbra onde me encontro,

ave agoirenta que passa,

faz desgraça que se intensifica,

garras demoníacas que rasgam carnes, esmagam quem for,

 

gritos que não soam,

solto queixumes por quem vejo sofrer,

retorço mãos, cravo unhas dos dedos ferindo,

sem gemer,

revoltas me assolam, ecoam,

recessos bem fundos, coração destroçado,

sinto  imenso entorno que se desmorona,

pesadelo de quem não dorme, de quem já não sonha,

 

deslocado no tempo, olhos abertos, acordado,

mágoas com que fico olhando através do cristal,

parede que não existe, impede audição, visão que se sente,

aparente acalmia, em borbotão,

sucessão de péssima situação,

lugar que foi inferno, desterro, cemitério,

fraca gente,

corpos que arrastam trapos sujos, ultrajados,

sem culpas nem pecados,

fúrias desatadas, loucuras da natureza que não perdoa,

zumbe o vento na atmosfera cinzenta, densa,

abatem-se águas, correntes como rios descontrolados,

 

grito lamentos, berros, descontentamentos,

fazendo, inquieto, registos de quem entoa,

Deuses que descarregam cúmulos que lhes deram,

sobejos que devolvem com juros,

com aumentos,

vida escura de quem cala inocência que não sente,

vítimas empurradas, vistas que me reduzem,

entristecem,

conduzem,

desgraças que se abatem… num repente!!!... Sherpas!!!...

20
Fev08

... calamidade!!!...

sherpas

… através da janela de casa, receio,

abatem-se fúrias dos céus, escuridão que inunda quando despeja,

águas que sobem, arrastam, destroem, sem poesia, devaneio,

não se deseja,

pequenos que somos perante o que sinto,

arrastamentos, carros que parecem barcos, formigas no meio,

casas avassaladas, objectos estragados,

pertenças, lembranças, carinhos sujos, enlameados,

rostos tão tristes, cidades, destinos, subjugados, húmidos e frios,

ruas que são rios,

 

elevados pensares de quem se julga, pouco partilha, nada comunga,

tralha tão feia que se enleia, remoinhos,

escaninhos,

sarjetas tão cheias, mortes que surgem,

águas que caem, juntam, rugem,

danos tão grandes,

miséria de alguns, móveis, colchões, cadeiras, estantes,

desvario,

caras sem rosto, profundo desgosto,

lágrima que assoma, estupefacção, braços estendidos, confusos perdidos,

parca palavra,

corpos vazios, mãos sem nada,

 

calamidade repentina,

afastados que estão, grandes poltronas, cumprem rotina,

palavras ocas que dão,

sensação tão triste, medonha razia, amargura na rua, torrente de lama,

instante que regista, desespero que chaga,

desgraça que não pára,

ferida tão funda que tudo inunda,

sentida, compungida, tão muda,

 

responsabilidade que se atira, que passa, que fica,

sem culpa, na mesma, sem sorte na vida,

carregos de medo, trabalhos de dor,

chuva que cai, torrente que inunda, na rua o pavor,

desfeito seu sonho, negócio estragado,

lar decomposto, mais arruinado,

num dia, saída,

altera, destina,

só queda presença… laivo d´horror!!!... Sherpas!!!...

 

 

 

 

19
Fev08

... cascata!!!...

sherpas

… água da cascata que vergasta pedras milenares,

caindo de altos cumes em cachão,

abundante corrente dum degelo, sua fonte,

nascimento do que foi nuvem, agora chão,

líquido que se esparge,

rega que se deseja,

vida que se dissemina, absorve, criação,

 

outros tempos, outros ares,

puros retornos, ciclos sem mácula, repetitivos,

simplificação,

empurrão na pequena semente que desabrocha,

apelação do que frutifica

que dá o pão,

estendendo-se para lá do horizonte,

campinas vastas,

celeiros cheios, cânticos, odes,

trabalho dos pobres,

na pontinha do vento que sopra,

sussurro que me desperta,

recorda, me alerta,

 

imagens que tenho retidas,

dimensão tão distante,

afectos que marcaram percursos doutras vidas,

risos, coros, saltos, danças,

harmonia de quem colhe o que lhe dão,

integração,

natureza pletórica, pouco explorada, desconhecida,

recuada no sonho, recordação,

 

alguma ilusão, descoberta por descobrir,

um há-de vir, um ter que ser,

alguma confusão,

resposta curta, um encobrir,

época remota, décadas atrás,

um tanto faz,

sapiência incipiente,

pouca ciência naquela gente,

modéstia tão simples, mulheres com vestes,

papoilas silvestres,

searas tão fartas, agora gastas,

géneros distintos, agarração,

seguindo instintos, buscando o gosto

ao sol posto,

 

recostadas na palha, na eira aloucada,

sombras do nada,

suspiros do gozo,

sol de Agosto,

dias de canseiras, sabores do esforço,

amor ao pescoço,

abraço tão forte, entrega total,

tão longe, distante…  natural!!!... Sherpas!!!...

 

 

17
Fev08

... descaros!!!...

sherpas

… descaro de quem se não comporta,

não importa,

protecção férrea de lei que permite,

ao abrigo de quem insiste,

palhaço triste,

báscula mistificadora que aguenta,

não rebenta,

suportando pesos de vergonha intensa,

indiferente

aos que contestam, porque sente

costado aliviado,

como ausente,

fazendo percurso tenebroso,

acumulando antipatias,

sacos imensos,

acto vergonhoso,

sorrisos de quem tira, reparte,

da verdade da mentira com que se enfeita,

obra, acaso que rende em qualquer parte,

indecorosa posição, palavreado que não convence,

diminui, desfeia, rejeita,

 

época de abastanças, farturas de quem foi dono,

País de alguns, seu abono,

cautela, enriquecimento dentro da lei,

dentro da grei,

dinheiros, influências exuberantes

tão degradantes,

olhos fechados, revirados, ocultos,

quais encapuçados, ratos comuns,

pilhos da coisa pública,

que se disputa,

que se esfrangalha como qualquer tralha,

atrevimento de quem não atende,

não prende,

não trabalha em favor do desfavorecido,

empobrecido,

com aquele grande sentido,

esquecido,

 

falsos valores de quem se mostra, confessa,

mente, embrulha, disfarça,

sem graça na trapaça que comete,

batota com escolta,

de valor elevado,

fardado na vacuidade que possui,

infâmia que pratica quando enrica,

ninguém lhe tira aquilo com que fica,

ferrete na testa que não aceita,

contesta,

enjeita,

 

são desperfeitos, pecados maiores,

tão simples na vulgaridade,

lei da inverdade, mentira que flui,

direito da lei, advogado que invoca, quando roga,

propõe explicação,

com ou sem razão,

quem diz que não,

imagem tão reles, provas, papéis,

rogos, créditos,

prejuízos enormes,

gentes, fomes,

cruéis,

inéditos tão grandes,

pior do que antes!!!... Sherpas!!!...

 

 

16
Fev08

... repousos!!!...

sherpas

… a vida segue igual,

um que outro contratempo, no sítio, no local,

sorriso de aceitação, desvalorização,

como varinha de condão,

quem não teme, não treme,

agenda que se cumpre, obrigação,

sem propósito de importância capital,

simples passeio que se dá,

direito que se tem, destino casual,

alguns inconvenientes protocolares,

quando se empinam, dão ares,

se perfilam, falam,

curvaturas, deferências, elogios,

aproximação numa falsa projecção

recanto sem encanto porque são como são,

encruzilhada de caminhos,

um rei, uma Nação

sem sustentação, pedras seculares,

vestígios  que ainda resistem,

extasiados, em peregrinação,

 

lá vão,

reflexo a tempo,

tal como o general Cartaginês,

inflexão numa só vez,

contentamento que vem,

surpresa no desvio, palavra amiga, incentivo,

fica bem,

pretexto cativo,

visão abrangente pela tropa que se desloca,

tal como ele,

não provoca,

sente-se na pele,

sente-se na obra,

 

não me venham com cantiga gasta,

como outros que sobrevoaram com espavento,

comitivas que aproveitaram,

sempre o fizeram,

prometeram,

continuam, não param,

deram pistas a empresários,

sorrindo, mostrando conhecimento,

convidaram hospedeiros,

deliciaram-se com ceias, passeios,

reciprocidade que surge,

abertura de horizontes, aproximação,

exotismos como destinos,

troca de mimos,

aproveitando como sedução,

induzem,

não produzem,

 

faz parte, direito que gozam,

pedra que agita águas paradas,

fuga momentânea de gaiolas douradas,

notícias que projectam,

orgulho nacional de quem se porta,

escorreito, afeito,

direito, tão feito,

como se comporta,

ensinado a preceito,

distanciamento

quando nuvens toldam

ambiente carregado que incomoda,

afastamento,

propósito concertado pelo tempo,

imagem que se renova,

campanha que antecede período que se aproxima,

na Jordânia, na Conchinchina,

paragem idílica, elevado nível,

diplomacia que se reparte

em qualquer parte,

 

calendário que cumpre

antes que afunde,

troca de experiências, soltura,

intensa busca, procura,

improvável proveito de quem assiste,

aguenta tudo porque resiste,

há que manter

jogo com regras definidas,

sempre assim foi, farturas, gozos,

viagens atribuladas, aprazíveis… repousos!!!... Sherpas!!!... 

 

 

 

14
Fev08

... gamela!!!...

sherpas

… tranquilo, no lugar que okupa,

quanto se preokupa, enquanto desfruta,

apreciando homem de sucesso garantido,

desfraldado ao vento,

sem comentário nem gemido,

compungido,

simples bandeira que se passeia,

observando o desgraçado, o oprimido,

como panaceia,

no seu roteiro periódico,

nas palavras comedido, parco, bem módico!!!...

 

… gamela repleta que cria saliva em bocas famélicas,

vontade tão grande, comida que se vislumbra,

obras de vulto, seus grandes cultos,

criaturas inocentes, amorfas, angélicas,

imersas em sombras, tanta penumbras,

fumos tão densos que não deixam ver,

passam fome, arrastadas que são por bandos rivais,

vidas descuradas, recebendo trocos, tristes abrolhos,

deixando os mais com seus capitais,

 

… tranquilo, no lugar que okupa,

quanto se preokupa, enquanto desfruta,

 

entretidos que estão, arriscam palpites, opinam posição,

buscam lugar, agarram quinhão, maior estadão,

criam riqueza, assombros e arroubos, descrédito intenso,

agarrados a bom bocado, firmes, apensos,

não pensam, sequer, num tipo qualquer,

desempregado, doente, velhinho, futuro que vem,

jovem que arrisca, acaba seu curso, currículo que tem,

se vira, se busca, encontra fechada porta murada,

trata da mala, busca caminho, parte sozinho,

acaba por ser nada, ninguém, sem nunca ter,

passa com ele, amigo que tem, simples vizinho,

 

apreciando homem de sucesso garantido,

desfraldado ao vento,

sem comentário nem gemido,

 

vorazes, com gana, empurram, espezinham,

ultrapassam poder, dão circo, dão rasgo, quase infernizam,

atiram paleio, chamam mansinho, batem nas costas,

sorrisos perfeitos, corpinhos ao jeito, quase mãos postas,

devoram momentos, apelam às leis, fazem propostas,

cozinham projectos, direitos, defeitos, interesses aos molhos,

atropelam repentes, feras inclementes, reviram os olhos,

gulosas, dementes, repleta a gamela,

 

compungido,

simples bandeira que se passeia,

observando o desgraçado, o oprimido,

 

são corpos, são porcos,

falcões disfarçados, serventes às vezes, cãezinhos de trela,

estratégias tremendas com túneis e pontes, trajectos tão tortos,

enganos, perfídias, insídias, traições,

incúrias, disparates se abatem, populações,

 

como panaceia,

no seu roteiro periódico,

nas palavras comedido, parco, bem módico,

 

gamela tão farta, porcos tão reles, serviços que não prestam,

rapam o fundo, devoram sem pejo o que lhes vão dando,

ignoram o que são, não deixam, não restam,

torvelinho insensível, cantinho tão triste,

obras de vulto, pendor, altar-mor, religião, seus cultos,

naqueles que tramam, que chamam, enganam, que furam, resistem,

quadro medonho, roda que gira, Poderes… ocultos!!!... Sherpas!!!...


 

13
Fev08

... ponto!!!...

sherpas

… pode ser um ponto isolado numa página branca ou escura,

com rima que saltita, dança, quando encanta, delicia,

perdido, sem sentido, qualquer espécie de métrica, enquadramento,

quase escondido naquele deserto de ideias, perdido, sem guia,

coisa vazia, interrogante quando se pergunta,

murmurando para seus botões, fraca valia,

no que se considera ou não… poesia,

 

pode ser choro convulso, dor permanente, chaga de vulto,

riso incontido, gargalhar constante, histeria colectiva,

contrários que chocam, martirizam, algo oculto,

contraponto que se adivinha num simples ponto,

situação que causa dúvida, repleção,

perante tanto espaço por preencher, num ter que ser,

reflexo ocasional de quem não quer,

acabando por escrever o que tem pensado,

num ímpeto arrebatado, improvável, de quem se julga,

aceitando o casual, tão normal que se não culpa,

descrevendo o vento, o insecto, o objecto, o mar que se espraia,

a morte que impressiona de medonha, abjecta no seu amor,

seja onde for,

 

a criança que sofre, mais esqueleto, cheia de fome,

meninos prendados, tão protegidos, filhos do homem,

universalidade que arrecada num ponto que se estica,

ligeira brisa,

páginas repletas, cheias, completas, com rima, com métrica,

cantares de flores que remanescem, desabrochando,

corpos que comungam dum idílio que vão amando,

aves que voam, depenicam pedrinhas numa calçada,

galos, galinhas, poderes de papo cheio,

vazios armários, casarões de rebentar,

ventres esquecidos, partos com dores, futuro dos filhos,

mentes inversas, delírios p´ra dar, guerras nos mundos,

bocas caladas, faces viradas, sozinhos, mudos,

 

águas da fonte, cristais que brilham, riquezas a esmo,

farturas, gastos, lautos repastos, mentiras do mesmo,

hipocrisia que cansa, avidez que sente,

poesia num ponto que prolonga, se torna poema,

instante que surge, página vazia, som ou fonema,

espaçamento que alinha surgindo num esquema,

casa bonita, rapariga airosa, paisagem de sonho,

palavras amigas, tão simples, sensíveis,

locais da esperança… damascos, sedas, sorrisos visíveis,

 

torturas que esquecem, param, prolongam,

surgindo provires,

recomeço interminável, vida que aperfeiçoa ser complexo,

que se entrega, revolta, reproduz pelo sexo,

que mata, que esfola, que maltrata com primor,

causando revolta, pasmo, pavor,

 

num ponto me refugio, página imensa,

tão só, sofrido no que se não pensa,

poema que sai, rugido que sinto,

pequeno, mediano, sem grande tamanho,

desilusão que persegue, estorna, engano,

comparação com quem foi, não comungo, diferente,

coisinha de nada… amostra de gente!!!... Sherpas!!!...

 

 

 

12
Fev08

... não vivo!!!...

sherpas

… não vivo, dos outros, a vida,

quando a levo de vencida,

percorrendo meu caminho

por sinuosos atalhos,

veredas que calcorreio,

evitando fúrias, ralhos,

quase no fim do destino,

 

não me governo do alheio,

vou sempre pelo passeio,

desvio confrontos ocasionais,

dos que, de menos ou de mais,

se propõem com um fito,

impondo uma ordem, um grito,

atirando com mortos, não vivos,

passadistas congelados,

recuados, bem parados,

obliterados de pensamento,

fixantes no que se fixam,

quando endeusam, não cantam,

quedos, quando se ficam,

 

não evoluem, espantam

com obras que foram caras,

momentos que são memórias,

sentires que enlevaram

outras datas, quase raras,

águas idas, outras estórias,

 

réstias que marcaram rumos,

fogueiras que incendiaram,

esbatidas no espaço imenso,

débeis laivos, escassos fumos,

cheiros que não adormecem,

males de que alguns padecem,

 

quando passam, não fenecem,

trilhos da teimosia,

hinos do amor, da alegria,

cânticos, fantasia

que se viveu em tempos mais recuados,

sempre presentes, recordados,

 

foram marcos, foram fontes,

fronteiras, águas correntes,

povo ignorante, muitas frontes,

carneiros que eram gentes,

portas que rangeram nos gonzos,

ombros poderosos, potentes,

forças incalculáveis,

muros de tantas décadas

que em ruínas se desfizeram

quebrando enguiços, engonços,

ideias renováveis,

tempos prometedores

aliviando chagas, dores,

 

início da aventura,

descoberta, exploração,

vigilância, vida dura,

algumas mortes, estertores,

agonia de vencida,

exaltação, grandes senhores,

coragem, dedicação,

causa primeira… a Nação,

 

pioneiros de tantos irmãos,

firmeza na confusão,

certeza na convicção,

batalhas duras, férreas

que afastaram duras faces

cinzentas, que oprimiam,

andaram de boca em boca,

assentaram em tantas terras,

concretizaram façanha louca,

 

cantavam o que diziam,

afastaram prepotentes,

alimárias que não queriam,

não gostavam, não consentiam,

dar valor a inocentes,

perseguindo valentes audazes,

heróis de tempos idos,

embora mortos… não esquecidos!!!... Sherpas!!!...

 

 

 

 

12
Fev08

... recomeço!!!...

sherpas

... vou, venho, fico parado,

quase estático,

observo um lugar paradisíaco,

enlevado,

detenho o olhar sobre rouxinol que saltita,

entoa melodia que encanta,

vida diminuta, colorida, de cantar,

brilha ao sol que o ilumina lá no alto,

cedro pujante que se levanta

na margem da ribeira que vai correndo,

sombra aprazível, recanto,

o tempo vai passando,

manhã luminosa, prometedora,

 

época tão vil, enganadora,

 

afastado das tensões que enxameiam

por esse mundo feio, tão distante,

tão perto, no pensamento,

incendeiam

espíritos de qualquer ser falante,

quando nos distanciamos do que é perfeito,

avaliando, sem defeito,

o que se desfeia,

por actos, loucuras cometidas,

arremetidas sanguinolentas,

contra outros seres, outras vidas,

 

natureza que alberga monstros horrendos,

que os premeia, quando os enleia,

 

são dádivas, momentos,

tão singelos, puros, tão belos,

num campo, num vale, numa serra,

numa ave que se passeia, voando,

que saltita num ramo dum cedro, entoando,

divinais, porque harmoniosos, sons imerecidos

pelos meus ouvidos,

espaço, intervalo quando me calo,

observo,

retenho quando vejo,

imagem que sinto no peito, guardo, levo,

 

singeleza que me acabrunha,

engrandece, quando penso,

alivia peso imenso que tenho,

males que combatem bens que se sobrepõem,

contrapõem,

surgem por acaso, embevecem,

adormecem,

rictus que me desfigura,

como indigna criatura,

falecem,

maus instintos que me perseguem

porque vejo, julgo

denego, acuso,

 

éden prosaico, passageiro,

pedaço de céu, encantamento,

tão fugaz, ligeiro,

ave que passa, saltita, canta,

quase nos chama, apela, interpela,

sossega, adormece maus instintos,

sons agudos, repenicantes, retintos,

distintos,

madrugada solarenga,

ventinho fresco que agita,

nos avisa, grita,

alerta p´ró futuro que pode ser diferente

daquele que se sente,

não gosta, desgosta,

 

interposto

na face, no rosto,

de quem se arrosta,

pecador que se maldiz, maltrata,

se gasta,

afasta!!!... Sherpas!!!...

 

08
Fev08

... OLHOS!!!...

sherpas

… portas de entrada, sobranceiros,

olhos ao alto,

algum sorriso, algum esgar, algum socalco,

espelhos da alma, afagos do coração,

esmeros primeiros,

amizade, entendimento, rejeição,

quantas emoções à solta,

naquela rua, naquela casa, naquela volta,

choros convulsivos, abraços amigos,

grande solavanco, barranco tremendo,

chaga de corpo, mente que sofre,

terra que cobre,

 

sepultura bem funda, lágrima que escorre,

ruga que fica, olhar carregado,

fechado, escondendo lá dentro,

abafando sofrimento,

planta que fica, rasgo na cara, olhar mais triste,

tudo isto existe,

 

tudo persiste, se nota quando se olha,

se marca na fronte,

água na fonte,

lama no charco,

terreno áspero, seco, já gasto,

quando me farto,

idade que avança,

lugar que alcança,

terreno mais baixo,

ilusória visão,

gargalhada, choro, convulsão,

 

perda dum sonho, soçobra a esperança,

 

felicidade que se esvai,

tristeza que cai,

pano negro tão denso,

cobertura espessa,

repente que passa, quase se não pensa,

roda que não pára,

magoando, lá vai,

entretendo o vivente,

palhaço tão triste,

estardalhaço que faço,

riso que abafa,

música que difunde um pedaço,

 

pequeno, escasso,

 

dança que encanta na praça,

quando ela passa,

cores garridas,

montes de vidas,

percalços, sossegos,

fúrias, medos,

retratos que ficam,

rugas que afundam,

rasgos que traçam,

olhos na cara, feições que alteram,

corpos que esperam,

 

entradas que cerram,

portas bem fortes,

azares ou sortes,

variações se atropelam,

 

vidas de todos,

ilusões de alguém,

não olhando a quem,

 

súmula que pertence aos que arriscam,

vendo partir os que desistem,

não ficam,

adiando um pouco,

paragem dum louco,

passagem marcada,

coisinhas de nada!!!... Sherpas!!!...

 

 

 

 

 

06
Fev08

... lentas!!!...

sherpas

… lentas, sonoras, vão caindo,

as horas,

na torre da igreja aqui ao pé,

lugar de fé,

passa o tempo, inexorável,

pouco amável,

sobre corpos, sobre mentes,

repentes,

implacável,

sobre campos, paisagens,

viragens,

marcando chagas irreversíveis,

bem visíveis,

no que era belo, tão singelo,

novelo,

 

confusões que complicam, estragam,

quando matam,

extinguindo o que é preciso,

sem siso,

pensando disparates enormes,

com fomes,

construindo escabelo improvisado,

tocando mais alto, sem ser tocado, 

alçado,

tão periclitante, sem cuidado,

caindo,

 

julgando que avança,

regredindo,

porque não alcança,

pujança,

temeroso, faltoso,

indeciso,

destruindo ao longo dos tempos,

monumentos,

 

horas que soam,

entoam,

passam, arrastando loucuras,

procuras,

tão frágeis,

voláteis,

medíveis de espanto,

desencanto,

 

igreja que promete,

remete,

sonho que desfaz certezas,

na fé que desmerece qualquer,

riquezas,

fazendo sofrer quem sofre,

não come,

incúria que persiste,

existe,

no homem!!!... Sherpas!!!...

 

01
Fev08

... carnaval!!!...

sherpas

… fotografei os disfarçados,

pelas ruas da cidade, no desfile que passava,

cirandei, com muito cuidado, por entre aglomerado de gente,

curioso, perante crianças plenas de fantasias,

rostos sorridentes, vidrados,

alegria que são três dias,

num Carnaval que se renova, se lava,

retorna, imagina, quando se sente,

música que entoa pelos ares,

sambas brasileiros, ritmos vivos,

ares menos circunspectos,

montanhas de carinhos, afectos,

velho que recorda tempos idos,

encostado, indiferente,

rosto carregado de socalcos,

caminho de alegria, amargura,

linha que se acentua,

estórias que o marcaram, recalques,

num quase final que continua,

encostado à parede,

quase não reage, está presente,

 

tentei guardar na memória,

através da digital,

tirar boneco daquela cara,

deixá-la bem perto, em pormenor,

rejeitei, por quebra do que considero grande mal,

avassalamento da intimidade,

num vai que não vai, nem repara,

indecisão que me prende,

realidade,

 

fui-me embora, continuei por ali,

pára, dispara, retém,

casas, grupos, entretenimentos, momentos,

sons que soam,

animação,

confusão,

generalidades em turbilhão,

festa de rua, desfile,

imagem que não agride,

perpetuação,

 

apontamento com que quedei,

revisitar, noutra ocasião,

impessoal,

para mais tarde recordar,

andei, sorri, apontei, retive, parei,

verifiquei,

corrida alucinante,

barulho que se mistura,

encontro com pessoa amiga,

conversa sem importância,

algo me diz, investiga,

cumprimento de quem se não vê há muito tempo,

recordatório, informação,

ângulo dum quadro adequado,

indecisão,

máscara exuberante, extravagância,

 

coloco-me bem no centro,

de lado, apontando,

dou mais uns passos, quase corro,

vou contra quem vai desfilando,

 

recordo aquela feição,

quanta pena, quanto socorro,

quanta presença com indiferença,

não estando,

marcadas, bem fundas,

as rugas,

recordando,

quantas dores, alegrias, fugas,

vida que se foi aninhando,

mapa sem destino,

desfigurando,

intimidade que não fui capaz de avassalar,

numa rua… em dia de Carnaval!!!... Sherpas!!!...

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2005
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2004
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D