Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Sherpasmania

... albergue de poemas, poesias e... outras manias, bem sentidas, por sinal!!!...

Sherpasmania

... albergue de poemas, poesias e... outras manias, bem sentidas, por sinal!!!...

02
Ago15

... debandada!!!...

sherpas

... época do sossego, acalmia,

Agosto, mês do aprofundamento, intervalo da loucura,

chamam-lhe nome diferente que me recuso a proferir,

quando lembro, interiormente, não deixo de sorrir,

 

 

tanta discussão, tanta procura na democracia adulterada,

na CASA dela, quando se pratica, triste espectáculo,

convénios, interesses, visão manipulada,

galgando barreiras, qualquer obstáculo,

dando a entender o que fazem crer, amplo anfiteatro,

artistas convictos do que fazem, desfazendo, no acto,

 

com respeito devido que bruxuleia, ainda,

mais inclinado para um cepticismo que m´amedronta,

s´avoluma, s´adona deste triste, desta gota,

tão simples, transparente, quiçá diferente,

coisita de nada, naco de gente

que nunca foi corrente, boleando, simplesmente,

 

mais d´acordo, menos ligado, sempre interessado,

humano, embora “naco” desta imensa mole, porque nascido,

não conduzido, porque não,

não induzido,

contradigo, quando me sinto compungido,

escrevo, mostro, sinto desgosto,

este o meu ser, este o meu rosto,

como pessoa que ama, que entende,

não gosta,

 

profundamente entristecido pelo CIRCO mediático,

montado, estudado, depravado, de qualquer politico,

conjunto, agora, em geral debandada,

portas abertas, bocas cerradas, esquemas guardados,

estratégias de medo, resultados catastróficos,

consequência de quem se não posiciona na arte mais nobre,

apaziguar,

fazer um carinho àquele que sofre,

 

justo, impoluto, exemplar,

ao serviço da causa pública,

pondo de lado clube, partido,

dono ou gangrena

que gera doença,

causa desconforto, provoca dor,

gera sofrimento, cria monopólio desconforme,

causa miséria, penúria, fome,

morte desnecessária, abandono, suicídio,

queda desastrosa, grande precipício,

 

turbulência s´agiganta

quando encontra mar imenso,

ondulação se levanta, quanto m´espanta, desespera,

em mim s´aferra descrédito,

naquilo que deveríamos ser,

como País, como União, como Mundo globalizado,

mediante acção concertada d´aves com penas,

com artes,

melodia infinita, orquestra afinada em todas as partes,

 

rejeitar galarós de capacidade diminuta,

com pintos encascados,

mal saídos do ovo, quais CALIMEROS inocentes,

sem vontade própria, personalidade vincada, carácter,

que não são gota que nos afaga, chuvisco doce, carícia,

antes,

enxurrada que inunda, provoca, tudo mata,

nos deslumbres, haveres e posses que encobre,

missão impossível, “para lamento” tão pobre,

 

 

massacrando povos,

renegando o espírito,

desprezando velhos e novos,

não sendo tão nobre, estando cativo,

gesticulando,

seguindo maestro, gritando desaforos,

fazendo democracia, o “mal menor” entre todos,

 

levando-nos como possessos,

tão loucos,

agora, em debandada, descanso imerecido,

parte incerta, paragem de remanso, época d´acalmia,

quanta razia,

destruição que m´espanta,

me faz escrever, me torna céptico,

gota que canta,

 

recordo minhas referências,

honro meus compromissos,

tão insignificante, tão “coisita de nada”

sinto-me defraudado, órfão de toda e qualquer instituição,

abandonado nesta Pátria ditosa, poetas, heróis, santos,

conduzida por incapazes, vorazes tão omissos,

feros, incultos, insensíveis, egos tão grandes,

do ESTADO, tão distantes,

 

pessoas sem eira, sem beira,

desconcerto,

que, quando acordo, bem desperto,

não evito,

grito,

m´indigno, m´envergonho, dou berros,

porque sim, não embarco na corrente,

sou gota que comunga,

que sente,

 

que chora,

deplora, invoca aos maiores,

apela à CONSCIÊNCIA colectiva

aos oito SÉCULOS d´existência, força viva,

com grandezas, baixarias, actos inesquecíveis

que duram, perduram,

nos fazem País,

 

Mundo, com tanta crueldade,

massacre constante,

um TODO, casa que nos pertence, tão bela,

perto, tão longe, distante,

 

que s´uniformize, se refaça,

se torne maçã belaça,

rutilante no seu esplendor,

liderança MAIOR

para esta GAIA ( TERRA ) que bem a merece,

me parece,

para que ELA melhore,

 

assim o penso,

considerando-me diminuto,

gotita d´água fora da corrente,

quiçá... um pouquito diferente!!!... Sherpas!!!...

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2005
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2004
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D